26 de mai de 2009

Historia da Vida e Perseguições contra Martinho Lutero

Este ilustre alemão, teólogo e reformador da Igreja, filho de Juan Lutero e Margarita Ziegler, nasceu em Eisleben , uma cidade da Saxônia , no condado de Mansfield , no dia 10 de novembro de 1483.
A posição e condição de seus pais eram originalmente humildes, e a porfissão de zeu genitor era trabalhar nas minas; porem, e provável que pro seu esforço e tarbalho ajuntara uma fortuna para sua família, porquanto, posteriormente, chegou a ser um magistrado de classe e dignidade. Lutero foi prontamente iniciado nos estudos, e aos treze anos foi enviado a uma escola de Magdeburgo , daí a Eisenach, na Turíngia, onde permaneceu por quatro anos , onde demonstrou as primeiras indicações de sua futura eminência.
Em 1501, foi enviado a Universidade de Erfurt, onde passou pelos costumeiros cursos de lógica e filosofia. Aos vinte de idade, recebeu o titilo de licenciado, e passou logo a ensinar física de Aristóteles, ética e outros assuntos ligados a filosofia. Posteriormente, por indicação de seus pais, dedicou-se á lei civil, a fim de trabalhar como advogado; porem foi separado desta atividade devido ao incidente relatado a seguir.
Ao andar certo dia pelos campos, foi lançado ao solo por um raio, enquanto um amigo morreu ao seu lado. Este fato afetou-o de tal modo que, sem comunicar o seu propósito a algum de seus amigos, retirou-se do mundo e enclausurou-se junto à ordem dos eremitas de Santo Agostinho. Fez sua profissão de fé no mosteiro de Erfurt, após ter sido noviço durante um ano, e tomou ordens sacerdotais, ao celebrar a sua primeira missa em 1507, sendo transferido um ano mais tarde do Mosteiro de Erfurt à Universidade de Wuttenberg, pois após a fundação da Universidade, pensava-se que nada seria melhor para dar reputação e fama imediatas do que a autoridade e a presença de um homem tão celebrem, por seu grande temperamento e erudição, como era Martinho Lutero.
Em 1512, sete mosteiros de sua ordem tiveram uma divergência com o seu vigário geral. Lutero foi escolhido para ir a Roma e defender a sua causa. Naquela cidade, observou o papa e sua corte, e teve também a oportunidade de contemplar as maneiras do clero, cujos modos precipitados, superficiais e ímpios de celebrar a missa foram severamente por ele criticados. Assim que ajustou a disputa que havia motivado sua viagem, voltou a Wittenberg e foi constituído doutor em teologia, à custa de Federico, da Saxônia, que frequentemente lhe ouvia pregar, e que estava familiarizado com seu mérito, e lhe reverenciava muito.
Lutero dirigia de modo cuidadoso a mente dos hoemns ao Filho de Deus, a sua vida estava de acordo com o que ele professava. A fim de preparar-se melhor para a tarefa que havia empreendido, aplicou-se atentamente ao estudo dos idiomas grego e hebraico; e a isto estava dedicado quando se publicaram as indulgências gerais em 1517.
Leão X, que sucedeu a Julio II em março de 1513, teve o desígnio de reconstruir a magnífica catedral de São Pedro em Roma, cujas obras haviam sido iniciados por Julio, mas que ainda precisava de muito dinheiro para ser concluída. Por esta razão, Leão X, em 1517, aprovou a concessão de indulgências gerais a toda a Europa, em favor de todos os que contribuíssem com qualquer soma de dinheiro, para reedificação da catedral, e designou pessoas em diferentes paises para proclamarem estas indulgências e receberam o dinheiro das mesmas. Estes estranhos procedimentos provocaram muito escândalo em Wittenberg e, de modo particular inflamaram o zelo de Lutero. O qual era por natureza ardente e ativa. Neste caso, por ser incapaz de conter-se, estava decidido a declarar-se contrario a tais indulgências em todas as circunstancias.
Por esta , na véspera do dia de todos os santos , em 31 de outubro de 1517, fixou publicamente , na igreja adjacente ao castelo naquela cidade , as noventa e cinco teses contra as indulgências , onde desafiava a qualquer que se opusesse a elas, fosse por escrito ou por debate oral . As proposições de Lutero acerca das indulgências haviam sido publicados há pouco, quando Tetzel, o frade dominicano comissionado para sua venda, manteve e publicou suas teses em Frankfort , que continha um conjunto de proposições diretamente contrarias as de Lutero. As teses de Tetzel também foram queimadas em Wittenberg , como reação, pelos luteranos. Porem o próprio Lutero negou ter parte nesta ação.
Em 1519 , Lutero manteve um celebre debate em Leipzig com Juan Eccius . Porem essa discussão terminou finalmente como todas as outras, e não teve o privilégio de ver as partes aproximar-se , de modo algum; mas que se sentiam ainda mais como inimigos pessoais, do que antes do debate.Por volta do final do ano ,Lutero publicou um livro no qual defendia que a comunhão fosse celebrada de ambos os modos ; isto foi condenado pelo bispo de Misnia em 24 de janeiro de 1520.
Em 1527 , Lutero sofreu um ataque de coagulação de sangue ao redor do coração , que quase pos fim a sua vida. Em 1533 Lutero escreveu uma epistola consoladora aos cidadãos de Oschatz, qua haviam sofrido algumas penalidades por terem aderido a confissão de fé de Augsburgo;e, em 1534, foi impressa a Bíblia que Lutero havia traduzido para o alemão , como protótipo de antigo acordo fechado em Bibliopólis , por mãos do mesmo editor , e que foi publicada no ano seguinte, neste ano Lutero publicou um livro intitulado “Contra as Missas” e a “Consagração dos Sacerdotes”.
Em fevereiro de 1537 foi celebrada uma assembléia em Smalkalda sobre questões religiosas, Para qual Lutero e Melanton foram convidados. Durante esta reunião ele ficou enfermo, e não havia esperança de que se recuperasse. Ele escreveu seu testamento, no qual legava a seus amigos e seus irmãos o seu desdém pelo papado.
Naquele ano na companhia de Melanton, foi a Saxônia, sua província natal qua há muito tempo não visitava, ali chegou são e salvo. Porém, pouco depois foi chamado pelos condes de Mansfelt, para que arbitrasse um impasse em relação as suas terras, quando lá chegou foi recebido honrosamente. Por aqueles dias andou com a saúde muito debilitada e ao sentir que chegava o tempo do seu martírio, aconselhou aos que com ele estava rogando-lhes que orassem a favor da propagação do evangelho, porque sabia que o Concílio de Trento, que teve uma ou duas reuniões, e o papa, inventarão coisas estranhas contra o Evangelho.
Nos seus últimos minutos, orou ao Senhor nosso Deus com devoção de alma, dizendo: “Meu Pai celestial,Deus eterno e misericordioso! Tu manifestaste a mim o teu amado Filho, nosso Senhor Jesus Cristo. Ensinei a respeito d’Ele, e tenho-o conhecido; amo-o da mesma forma que preservo a minha própria vida, minha saúde e minha redenção; a Quem os malvados têm perseguido , caluniado e afligido com vitupérios. Leve a minha alma a Ti”. Também citou vária vezes a frase: Em tuas mãos entrego o meu espírito. Tu me remiste, ó Deus da verdade!”. Em seguida recitou João 3;16: Porque deus amou ao mundo de tal maneira que deu o Seu Filho unigênito, para todo aquele que n’Ele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Assim sua alma foi chamada ,pacificamente à presença de Deus.
Lutero morreu em 1546, aos 18 de fevereiro, onde sua alma foi separada do seu corpo terrestre.

"Os quais pela fé venceram reinos, praticaram a justiça, alcançaram promessas, fecharam as bocas dos leões," (Hebreus 11.33)

Em Cristo , n'Ele que está acima de todos nós - Marcos