27 de abr de 2010

Píncaro da Fama

Píncaro da Fama

Mas confiaste na tua formosura, e te corrompeste por causa da tua fama, e prostituías-te a todo o que passava, para seres dele. E tomaste dos teus vestidos, e fizeste lugares altos pintados de diversas cores, e te prostituíste sobre eles, como nunca sucedera, nem sucederá.

Tornou-se comum no meio evangélico afamar alguém. Cantores, pregadores, pastores, escritores, colunistas, congressistas, conferencista internacional; alguns intocáveis; endeusam-se tanto que não parecem seres humanos, impermeáveis, impenetráveis. Por causa dos lauréis e sem se aperceberem vão se sentindo realmente pequenos deuses, pois foram postos por alguns no ápice da fama. Multidões, ginásios lotados, pessoas ovacionando o nome como um estádio de futebol que grita pelo seu ídolo solitário, estrela da mídia, ou uma celebridade dessas fabricadas pelo marketing, viagens, dinheiro, cachês, shows e espetáculo, sem contar que agora existe até contrato com metade de entrada antes do evento e no evento o restante, atitude lastimável, mas há quem aceite fazer o que?Há quem pague horrores para tais, que ao invés de usarem o que receberão pela graça (Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus); não entendem o que significa a graça.
O vocábulo Graça provém do latim gratia, que deriva de gratus (grato, agradecido) e que em sua primeira acepção designa a qualidade ou conjunto de qualidades que fazem agradável a pessoa que as têm.
A palavra graça provém também de grátis, derivado do latim gratiis (pelas graças, gratuitamente) e gratificar, que desde o século XV equivalia a agradecer.Graça é um conceito teológico fortemente enraizado no Judaísmo e no Cristianismo, definido como um dom gratuito e sobrenatural dado por Deus para conceder à humanidade todos os bens necessários à sua existência e à sua salvação. A graça capacita o que ela manda fazer. Esta dádiva é motivada unicamente pela misericórdia e amor de Deus à humanidade, logo, movida por Sua iniciativa própria, ainda que seja em resposta a algum pedido a Ele dirigido. E também por esta razão, a Graça é um favor imerecido pelo Homem, mas sim fruto da misericórdia e amor divino.
Porque diz a Escritura: Não ligarás a boca ao boi que debulha. E: Digno é o obreiro do seu salário. Porém alguns abusam da oportunidade e autoridade que Deus lhes deu para favorecimento próprio, enriquecimento ilícito, favorecidos pelas oferendas dadas pelo povo de Deus. Usam essa dita autoridade para proporcionar ao seu povo um espetáculo com um showmen , gritando , derrubando pessoas, movimento bem estranho, e tudo com a oferenda dos irmãos, embora muitos acreditem que seja sem qualquer custo para o povo, enganam-se. Concordo ser moral, ao trazer alguém para ministrar num congresso, seminário deve-se abençoar a vida desse companheiro desde que esse seja gente séria, não preocupado com o que vai ganhar no final da conferencia, e nem exigir quanto se vai ganhar, e ai e onde está o problema, que muitos só saem quando assaltam a igreja local, mas culpados não são os tais, infelizmente quem os convida. Porque não usar o obreiro local, que trabalha conosco, por que como diriam alguns:- santo de casa não faz milagre, na afirmação de Cristo:- “E escandalizavam-se nele. Jesus, porém, lhes disse: Não há profeta sem honra, a não ser na sua pátria e na sua casa”.
Ser reconhecido quem não gostaria? O problema é quem quando ganha reconhecimento e não preserva a humildade, a guarda do coração para não torná-lo altivo como diz o sábio:- “Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem às fontes da vida”, a honra, a sensatez, o bom caráter, volta e meia a gente ouve falar de imprudências cometidas por tais pregadores, cantores e por ai vai.
Que pena ver alguns que já estiveram no píncaro da gloria humana e hoje seus nomes estão esquecidos, alguns se descuidaram tanto de vidas espirituais que jamais se levantarão, porque infelizmente não souberam administrar o que um dia foi sucesso tornar-se um verdadeiro fracasso e por não preservarem a palavra de Deus como diz o profeta Isaias:- “Eu sou o Senhor; este é o meu nome; a minha glória, pois, a outrem não darei, nem o meu louvor às imagens de escultura”.
Transfiramos a fama, a gloria, o louvor, a adoração para Aquele que merece como diz o apostolo São Paulo:- “Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém”.


Em Cristo,


Pr. Marcos Serafim Silva