23 de ago de 2010

Ate o pardou achou um lar [...]




Salmo 84.3a

Ate o pardal achou um lar



Introdução:

Este é o cântico de um peregrino cujo alvo é quase atingido.Através de todo ele há um sentimento de paz e comunhão que transcende o ritual e outros aspectos externos do culto.Embora o poema reflita os sentimentos dos peregrinos de qualquer período , parece que vem do período da monarquia em uma ocasião quando o templo ainda estava em pé.
C.H Spurgeon diz que este sagrado poema é um dos mais escolhidos da coleção, este é o mais doce dos salmos da Paz.
Diz o Dr. Thomson que um pardal que perde o seu companheiro, encontra-se muitas vezes pousado no cume de um telhado lamentando o seu isolamento (SL102. 7).
Sobre os dois pássaros que encontram abrigo nos átrios de Deus , tem sido notado que o pardal é o mais insignificante , o pássaro de menos valor , mas ambos sentem-se bem-vindos na Casa de Deus junto aos seus altares.
No tempo de Jesus, os pardais eram vendidos por um preço muito baixo, dois por uma moeda de cobre e cinco por duas moedas de cobre (dezesseis avos de um denário)(Mt10. 29; Lc. 12.6).Talvez fosse a cotação no templo, porque provavelmente eram consideradas ofertas de um homem pobre.Quem não podia pagar por uma ovelha ou bode podia trazer um pardal(Lv.14.1-7)

O Pardal:

O pardal é nome genérico dado aos pequenos passaros da família Passeridae, género Passer e Petronia. Os pardais são aves cosmopolitas e adaptam-se bem a áreas urbanizadas e à convivência com os seres humanos. Alimentam-se à base de sementes durante a maior parte do ano e de insetos na época de reprodução. O pardal-domestico foi introduzido pelo Homem em todos os continentes e é atualmente a espécie de ave com maior distribuição geográfica.Esta ave robusta, com seu bico curto e cônico, é uma criatura bastante familiar em todas as cidades. Existem mais de 60 espécies relacionadas na Europa, Ásia, África e América. O pardal instalou-se nos primeiros povoados há muito tempo atrás e hoje vive bem tanto no campo quanto nas cidades. Pardais e agricultores são inimigos porque o pardal causa grandes prejuízos nos pomares e plantações de cereais. Nas cidades, essas aves se reúnem ao entardecer em bandos muito barulhentos, que não se aquietam até que a noite chegue.
Os pardais constroem seus ninhos nos beirais das casas. As pessoas reclamam da velocidade com que se multiplicam, considerando-o uma peste.
Talvez não tenhamos apreço pelo pequeno pardal, mas o filho de Deus os usou para ilustrar o cuidado de nosso Pai celestial(Mt10.31;Lc.12.7)
Há duas espécies de pardais ao sul da Europa, de relações muito intimas: o pardal italiano, Passer italie, e o pardal dos pântanos, Passer hisaniolensis, este ultimo encontra-se no vale do Jordão, onde se multiplicam sobre as arvores.O pardal das arvores, Passer Montanus, relaciona-se intimamente com o pardal das habitações; talvez na Palestina não se fizesse distinção um do outro.

Ensinamentos do pardal ao ministério pastoral :

“A maior dificuldade que a liderança pastoral enfrenta é definir seu papel. O pastor deve ser profeta, mestre, homem de recursos, capacitador, especialista religioso, pregador, conselheiro, terapeuta, executivo, facilitador, líder, treinador, administrador, guia espiritual, ativista social – ou todas essas coisas? Geralmente se espera que os pastores sejam ‘onicompetentes’ e onipresentes.” (A igreja de alto impacto, Mundo Cristão, p. 326).
Embora o ministério pastoral seja extremamente difícil e pastorear é nobre porem uma tarefa árdua, ao olhar para o pardal que é na maioria das vezes menosprezada por nós, encontramos preciosas lições para seguirmos com a vocação a que fomos chamados:

1.º Os pardais nos ensinam a cantar sempre

• Cantar nas adversidades

Exemplo Paulo e Silas:

“E a multidão se levantou unida contra eles, e os magistrados, rasgando-lhes as vestes, mandaram açoitá-los com varas. E, havendo-lhes dado muitos açoites, os lançaram na prisão, mandando ao carcereiro que os guardasse com segurança”. (Atos 16.22,23)
E, perto da meia-noite, Paulo e Silas oravam e cantavam hinos a Deus, e os outros presos os escutavam. (Atos 16.25)
Embora a situação adversa em que se encontrava Paulo e Silas o texto diz que oravam e cantavam hinos a Deus.
Embora o canto do pardal não seja muito agradável, ele não se importa e canta mesmo quando solitário.
Muitas vezes no ministério pastoral cantar também não é agradável, lutas, desilusões, falta de companheirismo, inclusive abandono. Nestes momentos às só encontramos refugio n’Ele e alçamos a voz mesmo que embargada aos céus e cantarmos.
Quereis cantar louvores a Deus? Sede vós mesmos o canto que ides cantar. Vós sereis o seu maior louvor, se viverdes santamente. (Santo Agostinho)

• Cantar em reconhecimento ao bem que Deus lhe tem feito

Cantar em gratidão a Deus pelos muitos benefícios que Ele nos tem feito, cantar pela salvação, perdão dos pecados, principalmente por nos colocar sobre príncipes do seu povo. “Para fazê-lo assentar com os príncipes, mesmo com os príncipes do seu povo.” (Salmos 113.8).
Pois tudo que recebemos foi pela sua infinita bondade e graça, que nos revelara através de Cristo, nosso Salvador, como diz o apostolo:
“Toda a boa dádiva e todo o dom perfeito vêm do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de variação. Segundo a sua vontade, ele nos gerou pela palavra da verdade, para que fôssemos como primícias das suas criaturas”. (Tiago 1.17,18)
Lembro-me dos dias antigos; considero todos os teus feitos; medito na obra das tuas mãos. (Salmo 143.5)
Cantarei ao Senhor, porquanto me tem feito muito bem. (Salmo 13.6)
Para nós que não tínhamos valor assim como o pardal, devemos agradecê-lo por tudo o que nos tem feito como diz o louvor, meu Tributo:

A Deus toda a glória
A Deus toda a glória
A Deus toda a glória
Pelo que Ele fez por mim
Com Seu Sangue salvou-me
Seu poder transformou-me
A Deus toda a glória
Pelo que Ele fez por mim

2.º Os pardais nos ensinam a viver uma vida de humildade

Humildade vem doLatim humus que significa "filhos da terra". Refere-se à qualidade daqueles que não tentam se projetar sobre as outras pessoas, nem mostrar ser superior a elas. A Humildade é a virtude que dá o sentimento exato da nossa modestia,cordialidade,respeito,simpliciddae,honestidade e passividade.

• Humildade precede a honra

O temor do Senhor é a instrução da sabedoria, e precedendo a honra vai à humildade. (Provérbios 15.33)
O galardão da humildade e o temor do Senhor são riquezas, honra e vida. (Provérbios 22.4)
• Humildade não é sinônimo de fraqueza

O próprio Cristo esvaziou-se de sua posição de gloria tomando a forma de servo, todavia não se sentiu fraco.
Não atente cada um para o que é propriamente seu, mas cada qual também para o que é dos outros.
De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus,
Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus,
Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens;
E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até a morte, e morte de cruz. (Filipenses 2.4-8)

3.º Os pardais nos ensinam a vivermos uma vida de dependência

• Dependência entregar-se e lançar-se nos seus braços de Deus

Noé, um homem dependente de Deus. Até que ouvisse a voz do Eterno, Noé não ousou sair da arca (Gn 8.13-19). Isto demonstra total dependência de Deus. O Senhor fechara a porta da arca por fora, portanto, só Ele deveria abri-la (Gn 7.16). A sujeição a Deus deve fazer parte do caráter de todo o homem que deseja agradá-Lo (Fp 2.5-8; Mt 26.39,42).

Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nele, e ele o fará. (Salmos 37.5)
Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós. (1Pe 5.7)

• Dependência é reconhecermos que nada somos

J. B. Moody disse: “a verdadeira adoração se estriba na grandeza reconhecida, e essa grandeza se vê de maneira superlativa na soberania divina, e os homens não podem, realmente, prestar culto postados em qualquer outro escabelo”
Talvez pela posição que alguns ocupam se torna difícil o reconhecimento da grandeza de Deus, e não deixar que o nosso ego infle , fazendo-os excêntricos e alto suficientes.
Jesus afirmou: “Eu sou a videira, vós as varas; quem está em mim, e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer.” (João 15.5)
O ladrão na cruz deu-nos um grande exemplo de dependência e de reconhecimento de nossa pequenez: “E nós, na verdade, com justiça, porque recebemos o que os nossos feitos mereciam; mas este nenhum mal fez.”
“E disse a Jesus: Senhor, lembra-te de mim, quando entrares no teu reino.”
“E disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso.” (Lucas 23.40,41, 42)

4.º Os pardais nos ensinam a vivermos uma vida de atenção

Eles mantêm os olhos abertos, e no mesmo em que se vê um grão de trigo na rua voa para pegá-la.

• Atenção na vida familiar

Uma das maiores incoerências na vida cristã e ministério pastoral são deixar a família de lado, nossa família é o sustento para nosso desempenho ministerial.
O pastor James Kemp menciona algumas prioridades que devem nortear a vida familiar do pastor.
A primeira é dar-se a si mesmo antes de doar presentes aos filhos e a esposa. Um exemplo deste fato se verificou quando uma esposa se queixou para seu marido, afirmando que ele não a amava mais, embora ela tivesse muitos bens, jóias, carro do ano, casacos de pele caríssimos, a melhor casa da cidade e um negócio próspero. Todas estas coisas juntas não supriam a ausência de seu esposo que buscava a realização do patrimônio da família, sua realização pessoal, colocando sempre seus afazeres em primeiro lugar. Sua esposa e filhos estavam ficando em segundo plano. Uma boa orientação bíblica está em II Cor 8:5, onde o Apóstolo Paulo elogia os irmãos da Macedônia por terem dado a si mesmos à Cristo, antes de ofertarem para a obra. Aquele esposo ouviu a sua esposa dizer: “- querido, eu não quero as coisas que você me dá... quero você!”. Muitas vezes esquecemos-nos de dar a nós mesmos, esquecemos de direcionar todo o nosso carinho e todo o nosso amor para nossas esposas e para nossos filhos, colocando as coisas materiais em primeiro lugar.
Em segundo lugar, Kemp aborda que muitas vezes na ânsia de ver a igreja crescer; antes de ver a construção do templo concluída, antes de nos realizarmos ministerialmente, devemos nos realizar como bom pai e bom esposo. Escrevendo à Timóteo e a Tito, (I Tim 3:4-5 e Tito: 1:6), o apóstolo Paulo assegura que a ascensão não pode considerada um sucesso quando o preço pago é o de um lar em frangalhos. E, aí o autor conclui afirmando que: “- muitas pessoas se casam com a profissão; pastores e líderes com o ministério. Esquecem suas famílias e acabam cometendo certo tipo de adultério”. Deste modo o lar deve vir antes de qualquer outra atividade, até mesmo antes das atividades da igreja.
Se não és cristão no lar, nunca o serás em qualquer outro lugar (Autor: Peter Marshall)

Salmo 128:

Bem-aventurado aquele que teme ao Senhor e anda nos seus caminhos.
Pois comerás do trabalho das tuas mãos; feliz serás, e te irá bem.
A tua mulher será como a videira frutífera aos lados da tua casa; os teus filhos como plantas de oliveira à roda da tua mesa.
Eis que assim será abençoado o homem que teme ao Senhor.
E verás os filhos de teus filhos, e a paz sobre Israel.

• Atenção na vida com a sociedade

Preocupar-se com o ser humano total. Não é só com o bem-estar espiritual, mas também com o bem-estar físico, emocional, material. Por isso devemos cuidar do nosso próximo integralmente, principalmente dos necessitados e marginalizados sociais.Podemos afirmar que o bem-estar espiritual é o resultado da paz de Cristo que alcança todas as áreas da vida do cristão. É o resultado do bem-estar físico, emocional, econômico, familiar, comunitário. Tudo está nas mãos de Deus, nEle confiamos e Ele é fiel em cuidar de nós. Sua salvação alcança-nos integralmente.Enfatiza a paixão pela evangelização. Desejamos e devemos trabalhar com paixão, perseverança e alegria para que o amor e a misericórdia de Deus alcancem homens e mulheres em todos os lugares e épocas.A Parábola do Bom Samaritano é uma famosa parábola do Novo Testamento que aparece unicamente no Evangelho de Lucas (10:25-37). O ponto de vista majoritário indica que esta parábola foi contada por Jesus a fim de ilustrar que a compaixão deveria ser aplicada a todas as pessoas, e que o cumprimento do espírito da Lei é tão importante quanto o cumprimento da letra da Lei. Jesus coloca a definição de próximo num contexto mais amplo, além daquilo que as pessoas geralmente consideravam como tal.
Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus. (Mateus 5.16)

• Atenção no ministério

“Pregar a Escritura é pregar a Cristo; pregar a Cristo é pregar a cruz; pregar a cruz é pregar a graça; pregar a graça é pregar a justificação; pregar a justificação é atribuir o todo da salvação à glória de Deus e responder a essa Boa Nova em grata obediência por meio de nossa vocação no mundo” (HORTON, Michael. Reforma Hoje. p. 124)
A figura do pastor é primordial para que a Igreja alcance seus propósitos, devendo o mesmo ter como modelo o próprio Jesus Cristo, qualificado como "o bom pastor", o pastor em seu exercicio ministerial deve:
Apascentar o rebanho com inteligência: Apascentai o rebanho de Deus, que está entre vós, tendo cuidado dele, não por força, mas voluntariamente; nem por torpe ganância, mas de ânimo pronto; (1 Pedro 5.2)
Refutar heresias doutrinárias: MAS o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios; (1 Timóteo 4.1)
Exercer vigilância em vários aspectos: alguém que seja irrepreensível, marido de uma só mulher, tendo filhos crentes que não sejam acusados de dissolução, nem sejam desobedientes. Pois é necessário que o bispo seja irrepreensível, como despenseiro de Deus, não soberbo, nem irascível, nem dado ao vinho, nem espancador, nem cobiçoso de torpe ganância; mas hospitaleiro amigo do bem, sóbrio, justo, piedoso, temperante; retendo firme a palavra fiel, que é conforme a doutrina, para que seja poderoso, tanto para exortar na sã doutrina como para convencer os contradizentes. (Tito 1.6-9)

5.º Os pardais nos ensinam a sobreviver quando vêm as noites frias

No sentido figurado

• Frieza /indiferença
Calvino falando com autoridade e a experiência de um eficiente pastor, escreveu em 1548: "Os pastores piedosos e probos (integro/honrado) terão sempre que manter esta luta de desconsiderar as ofensas daqueles que querem desfrutar de vantagem em tudo. Pois a Igreja terá sempre em seu seio pessoas hipócritas e perversas, as quais preferem suas próprias cobiças à Palavra de Deus. E mesmo as pessoas boas quer por alguma ignorância quer por alguma fraqueza, são às vezes tentadas pelo diabo a ficar iradas com as fieis advertências de seu pastor. É nosso dever, pois, não ficar alarmados por qualquer gênero de ofensas, contato, naturalmente, que não desviemos de Cristo nossas débeis mentes" (João Calvino, Gálatas 1:10. P. 190).

• Para as noites frias há:

Uma Coluna de Fogo

• Protegia o povo do frio da noite.

- E o Senhor ia adiante deles, de dia numa coluna de nuvem para guiá-los pelo caminho, e de noite numa coluna de fogo para iluminá-los, para que caminhassem de dia e de noite. (Êxodo 13.21)
- Nunca tirou de diante do povo a coluna de nuvem, de dia, nem a coluna de fogo, de noite. (Êxodo 13.22)
• Protegia contra o perigo das feras do deserto.

- Todavia tu, pela multidão das tuas misericórdias, não os deixaste no deserto. A coluna de nuvem nunca se apartou deles de dia, para guiá-los pelo caminho, nem a coluna de fogo de noite, para lhes iluminar; e isto pelo caminho por onde haviam de ir. (Neemias 9.19)

• Trazia luz ao povo, dando-lhe direção segura.

- E dirão aos moradores desta terra, os quais ouviram que tu, ó Senhor, estás no meio deste povo, que face a face, ó Senhor, lhes apareces, que tua nuvem está sobre ele e que vais adiante dele numa coluna de nuvem de dia, e numa coluna de fogo de noite. (Números 14.14)

• A Necessidade de Paulo

Quando vieres, tragam a capa que deixei em Trôade, em casa de Carpo, e os livros, principalmente os pergaminhos. (2 Timóteo 4.13)
Esta, pois, são as três necessidades conscientes de Paulo. Quando nosso espírito está solitário, precisamos de amigos. Quando nosso corpo está sentindo frio, precisamos de roupas. Quando nossa mente está entediada, precisamos de livros.
Uma capa – para o corpo
Os livros – para a mente (alma)
Os pergaminhos – A Palavra de Deus para o espírito

Conclusão

Sois mais que passarinhos. O Pai cuida do pardal, muito mais de vós, que valeis muito mais do que muitos pardais. O que acontecer não tenhais medo, valei muito mais do que os pardais.
Não se vendem cinco passarinhos por dois ceitis? E nenhum deles está esquecido diante de Deus.
E até os cabelos da vossa cabeça estão todos contados. Não temais, pois; mais valeis vós do que muitos passarinhos. (Lucas 12.6,7)

Pr. Marcos Serafim Silva ®

Obras consultadas : Dicionário Ilustrado da Bíblia
A bíblia explicada S.E Macnair
Comentário Bíblico Moody
Dicionário da Bíblia – John D. Davis http:
//pt.wikipedia.org/wiki/Humildade
Lições Bíblicas CPAD / 3º Trimestre de 2007
davarelohim. blogspot.com/.../as-tres-necessidades-de-paulo.html
LOCKMANN, Bispo Paulo; CONSTANTINO, Zélia. Seguir a Cristo, manual de discipulado