10 de set de 2014

Carta aberta à blogosfera, Pastores e Lideres.

POR MARCOS SERAFIM
Amigos e irmãos graça e paz!

Meu intuito com o blog que leva o nome de Blog do Pr. Marcos Serafim é simplesmente  propagar o evangelho destacando mensagens evangelísticas, estudos e reflexões que em sua maioria são de minha própria autoria, quiçá de outrem citados devidamente nomes e fontes.
Questionado porque não escrevo sobre politica eclesiástica e outros assuntos ligados à denominação a qual pertenço Assembleia de Deus, os motivos são claros e simples dos quais mencionarei agora.

Primeiro por que não sou administrador de nenhuma igreja, embora saiba que há coisas que poderiam ser feitas e com muita qualidade, porém, esse ato deve partir da atual liderança da igreja. As contribuições poderiam ser investidas em missões, em projetos humanitários e sociais, mas estamos muito aquém, pois a conta é alta e grossa.
Meu espanto é que igrejas com menos tempo de existência, desenvolvem projetos que nos superam em gênero, numero e grau, mas o discurso é ataca-los.
A Assembleia de Deus não pertence a nenhum pastor ou família, embora seja de certa forma dominada por alguns clãs, mas Ela não é de nenhum dono ou bloco. Impérios magníficos como os macedônios governados por uma dinastia de reis que inclui o celebre Alexandre, o Grande, ruíram, e nada restou somente a historia para contar, assim também os atuais passarão, resta saber que historias contarão, pois nada na vida é eterno, tudo passageiro como diz o Apostolo Tiago.

Segundo por que a politica eclesiástica está tão ou mais desgastada que a politica partidária, há interesses que fogem a minha compreensão, tenho certeza de que algo bom há por trás senão esse interesse seria menor e não exacerbado como é.
Por falar em politica partidária principalmente em época como essa de campanhas politicas onde estão disputando ‘candidatos indicados’ pela denominação, há sem duvidas nos bastidores uma guerra intrínseca, resolvidas bem antes do que muitos possam imaginar; agora a luta é de voto por voto para saber quem será eleito. Absurdo mesmo é ter que ir ao culto onde dizemos que este culto é ‘prestado’ a Deus, e candidatos quer cristão ou não usam a tribuna para discursarem evasivamente suas propostas que na maioria das vezes (sempre) não saem sequer do folder de campanha, e admira-me pastores cedendo seus púlpitos  e aplaudindo as ladainhas de sempre, quando aplaudir a Deus, a Cristo, ao Espirito Santo é um horror tremendo e maiorias dos tais ficam escandalizados, puríssimos hipócritas!
Não foge a linha a politica eclesiástica, que é feita à surdina, nas recamaras secretas, mas com muita intensidade, talvez pior que a politica partidária, por que nestes casos há conchavos políticos de sudeste a noroeste e por ai vai! Resta saber quem paga a conta!

Terceiro detesto homens bajuladores que vivem a sombra deste ou daquele líder esperando recompensas, se digladiando, e é mais lamentavelmente ainda quando os mesmos torcem para ver o insucesso de alguém querendo tomar o posto do mesmo.
Homens que pregam e ensinam as suas igrejas moralidade, santidade, honestidade, trabalho, devoção, carinho, glutonaria e principalmente fidelidade, dizem e não fazem. Cargos públicos oferecidos em troca de favores dando assim mal exemplo as muitas nuvens de testemunhas que nos rodeiam desfavorecendo a igreja de Deus, a pergunta é: onde está o ensinamento acima mencionado? Foi literalmente pelo ralo abaixo, e tantas outras coisas que dariam vários livros.
O pastor Ricardo Gondim, pastor da Igreja Betesta em São Paulo em sua escrita “Deus nos livre de um Brasil evangélicodisse: Um Brasil evangélico significaria que o fisiologismo político prevaleceu. Basta uma espiada no histórico de Suas Excelências da bancada evangélica nas Câmaras, Assembleias e Gabinetes para se apavorar. Se, ainda minoria, a bancada evangélica na Câmara Federal é campeã em faltas e em processos no STF, imagina dominando o parlamento.”
Aí o discurso e sempre o mesmo estamos trabalhando em prol da igreja de Cristo e isso requer demanda total. Meu conceito é que se algum pastor for ser candidato ao pleito eleitoral que se licencie de sua igreja, pois não há como servir a dois senhores!
O Pastor Ricardo Gondim disse ainda em “Deus nos livre de políticos evangélicos” o seguinte No Brasil seria diferente? Acredito que o melhor dos mundos que políticos evangélicos moralistas prometem pode não acontecer. Pelo contrário, com o histórico já bem documentado da fragilidade ética dos líderes e com a falta de senso crítico dos seguidores, caso o avanço do neopentecostalismo continue e maiores empresas da fé comprem horário na televisão, o pior ainda está por vir. Infelizmente.

Quarto ouvia-se dizer que as separações ao ministério eram feitas através de muita oração e preparação dos candidatos a tal função, hodiernamente são por dízimos gordos. Candidatos à presidência de igrejas de tal modo, hoje os mesmos empurram seus filhos à liderança da igreja mesmo sem qualquer vocação ministerial.
Foi veiculado pela mídia lugares onde você tem que pagar para pregar, olha que situação critica chegamos, nossos primeiros lideres o que diriam? Gente se vendendo igual à mercadoria para alçarem lugar de destaque, o que Jesus diria se chegasse de surpresa a tais igrejas?

Concluo dizendo que chegou a hora de pregar a genuína Palavra de Deus, sem emendas, sem contos da carochinha, use a bíblia como regra de conduta, fé e pratica, sem distorções.
Muitos deveriam aproveitar o tempo disponível que têm para mergulhar nas Escrituras, preparar sermões através de oração, estudo continuo, ler bons livros, extrair o verdadeiro e puro evangelho da palavra de Deus, ao invés de usar textos diretos ou indiretos para esse ou aquele problema.
Precisamos de homens comprometidos com Deus e a sua palavra, mas o que estamos vendo são mensagens enlatadas, copiadas da internet, sem orações, profícuo estudo. Homens que antes de tudo se preocupem em alimentar o rebanho, e não sugar o rebanho, independente da classe social.
O apostolo São Pedro na sua primeira carta capitulo cinco e versículo dois diz: “pastoreai o rebanho de Deus que está sob vosso cuidado, não por constrangimento, mas voluntariamente, como Deus quer; nem por sórdida ganância, mas de boa vontade;”


A Deus seja a Gloria!

Marcos Serafim Silva