25 de dez de 2010

A nossa Redenção




O apostolo Paulo declarou que a prioridade maior de sua vida era a Pessoa de Jesus, o Cristo Crucificado (Gl 2:20; Gl 6:14). Mas sua crucificação não tem uma dimensão meramente histórica. Ela integra a maior conquista espiritual da humanidade, maior derrota de Satanás e o selo da nossa reconciliação com o pai Celestial.
A cruz tem dimensões universais, porque o pecado atingiu toda a raça.Quão terrível e sombria deve ser a culpa do pecado, posto que nada, a não ser o sangue de Cristo, pode satisfazer a Deus como elemento de expiação! A carga pesada do pecado esteve tão forte sobre Jesus que Ele teve de exclamar na cruz: “Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?”
Por causa disso, essa cruz tem gloria.A gloria da majestade de um Deus Único, Invisível, Eterno – a quem seja a gloria, honra e louvor para todo o sempre.A Bíblia declara que o salário do pecado é a morte, então somente a morte de Jesus na cruz poderia reverter os efeitos do pecado em nossa vida.
A cruz revela a majestade do amor de Deus. Um amor que não tem principio nem fim; um amor ilimitado, perfeito, absoluto; um amor que jamais será medido; um amor que excede a todo o entendimento.
Convido você a celebrar comigo, a gloria da Cruz de Cristo, a majestade do Seu amor na cruz, e, por meio deste ato tão nobre, nos aproximarmos de Deus, pelo sangue da Nova Aliança.

N’Ele a nossa esperança.

Pr. Marcos Serafim Silva


Bibliografia: Oliveira, Marcelo
Morreu para que vivêssemos/ Marcelo Oliveira. São Paulo: Naós, 2010.

13 de set de 2010

Meu aniversário



Nesta data de 13 de Setembro , Deus me privilegia com mais um ano de vida , estou completando 37 anos de uma vida abençoada, ao lado da minha esposa e meus filhos , que são a sustentação da minha vida e de meu ministério.

Gosto muito de usar o slogam para minha vida :

-"Deus e eu somos a maioria".

E uma canção que me faz andar principalmente no ministério:

Quero viver para ti ,

Sua vontade obedecer ,

Se um aplauso eu receber no Calvario irei me gloriar,

Pois seu sangue lavou-me , seu poder restaurou-me ,

A Deus toda gloria!!!!!!

Para sempre , Amem!!!!

Pr. Marcos Serafim

23 de ago de 2010

Ate o pardou achou um lar [...]




Salmo 84.3a

Ate o pardal achou um lar



Introdução:

Este é o cântico de um peregrino cujo alvo é quase atingido.Através de todo ele há um sentimento de paz e comunhão que transcende o ritual e outros aspectos externos do culto.Embora o poema reflita os sentimentos dos peregrinos de qualquer período , parece que vem do período da monarquia em uma ocasião quando o templo ainda estava em pé.
C.H Spurgeon diz que este sagrado poema é um dos mais escolhidos da coleção, este é o mais doce dos salmos da Paz.
Diz o Dr. Thomson que um pardal que perde o seu companheiro, encontra-se muitas vezes pousado no cume de um telhado lamentando o seu isolamento (SL102. 7).
Sobre os dois pássaros que encontram abrigo nos átrios de Deus , tem sido notado que o pardal é o mais insignificante , o pássaro de menos valor , mas ambos sentem-se bem-vindos na Casa de Deus junto aos seus altares.
No tempo de Jesus, os pardais eram vendidos por um preço muito baixo, dois por uma moeda de cobre e cinco por duas moedas de cobre (dezesseis avos de um denário)(Mt10. 29; Lc. 12.6).Talvez fosse a cotação no templo, porque provavelmente eram consideradas ofertas de um homem pobre.Quem não podia pagar por uma ovelha ou bode podia trazer um pardal(Lv.14.1-7)

O Pardal:

O pardal é nome genérico dado aos pequenos passaros da família Passeridae, género Passer e Petronia. Os pardais são aves cosmopolitas e adaptam-se bem a áreas urbanizadas e à convivência com os seres humanos. Alimentam-se à base de sementes durante a maior parte do ano e de insetos na época de reprodução. O pardal-domestico foi introduzido pelo Homem em todos os continentes e é atualmente a espécie de ave com maior distribuição geográfica.Esta ave robusta, com seu bico curto e cônico, é uma criatura bastante familiar em todas as cidades. Existem mais de 60 espécies relacionadas na Europa, Ásia, África e América. O pardal instalou-se nos primeiros povoados há muito tempo atrás e hoje vive bem tanto no campo quanto nas cidades. Pardais e agricultores são inimigos porque o pardal causa grandes prejuízos nos pomares e plantações de cereais. Nas cidades, essas aves se reúnem ao entardecer em bandos muito barulhentos, que não se aquietam até que a noite chegue.
Os pardais constroem seus ninhos nos beirais das casas. As pessoas reclamam da velocidade com que se multiplicam, considerando-o uma peste.
Talvez não tenhamos apreço pelo pequeno pardal, mas o filho de Deus os usou para ilustrar o cuidado de nosso Pai celestial(Mt10.31;Lc.12.7)
Há duas espécies de pardais ao sul da Europa, de relações muito intimas: o pardal italiano, Passer italie, e o pardal dos pântanos, Passer hisaniolensis, este ultimo encontra-se no vale do Jordão, onde se multiplicam sobre as arvores.O pardal das arvores, Passer Montanus, relaciona-se intimamente com o pardal das habitações; talvez na Palestina não se fizesse distinção um do outro.

Ensinamentos do pardal ao ministério pastoral :

“A maior dificuldade que a liderança pastoral enfrenta é definir seu papel. O pastor deve ser profeta, mestre, homem de recursos, capacitador, especialista religioso, pregador, conselheiro, terapeuta, executivo, facilitador, líder, treinador, administrador, guia espiritual, ativista social – ou todas essas coisas? Geralmente se espera que os pastores sejam ‘onicompetentes’ e onipresentes.” (A igreja de alto impacto, Mundo Cristão, p. 326).
Embora o ministério pastoral seja extremamente difícil e pastorear é nobre porem uma tarefa árdua, ao olhar para o pardal que é na maioria das vezes menosprezada por nós, encontramos preciosas lições para seguirmos com a vocação a que fomos chamados:

1.º Os pardais nos ensinam a cantar sempre

• Cantar nas adversidades

Exemplo Paulo e Silas:

“E a multidão se levantou unida contra eles, e os magistrados, rasgando-lhes as vestes, mandaram açoitá-los com varas. E, havendo-lhes dado muitos açoites, os lançaram na prisão, mandando ao carcereiro que os guardasse com segurança”. (Atos 16.22,23)
E, perto da meia-noite, Paulo e Silas oravam e cantavam hinos a Deus, e os outros presos os escutavam. (Atos 16.25)
Embora a situação adversa em que se encontrava Paulo e Silas o texto diz que oravam e cantavam hinos a Deus.
Embora o canto do pardal não seja muito agradável, ele não se importa e canta mesmo quando solitário.
Muitas vezes no ministério pastoral cantar também não é agradável, lutas, desilusões, falta de companheirismo, inclusive abandono. Nestes momentos às só encontramos refugio n’Ele e alçamos a voz mesmo que embargada aos céus e cantarmos.
Quereis cantar louvores a Deus? Sede vós mesmos o canto que ides cantar. Vós sereis o seu maior louvor, se viverdes santamente. (Santo Agostinho)

• Cantar em reconhecimento ao bem que Deus lhe tem feito

Cantar em gratidão a Deus pelos muitos benefícios que Ele nos tem feito, cantar pela salvação, perdão dos pecados, principalmente por nos colocar sobre príncipes do seu povo. “Para fazê-lo assentar com os príncipes, mesmo com os príncipes do seu povo.” (Salmos 113.8).
Pois tudo que recebemos foi pela sua infinita bondade e graça, que nos revelara através de Cristo, nosso Salvador, como diz o apostolo:
“Toda a boa dádiva e todo o dom perfeito vêm do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de variação. Segundo a sua vontade, ele nos gerou pela palavra da verdade, para que fôssemos como primícias das suas criaturas”. (Tiago 1.17,18)
Lembro-me dos dias antigos; considero todos os teus feitos; medito na obra das tuas mãos. (Salmo 143.5)
Cantarei ao Senhor, porquanto me tem feito muito bem. (Salmo 13.6)
Para nós que não tínhamos valor assim como o pardal, devemos agradecê-lo por tudo o que nos tem feito como diz o louvor, meu Tributo:

A Deus toda a glória
A Deus toda a glória
A Deus toda a glória
Pelo que Ele fez por mim
Com Seu Sangue salvou-me
Seu poder transformou-me
A Deus toda a glória
Pelo que Ele fez por mim

2.º Os pardais nos ensinam a viver uma vida de humildade

Humildade vem doLatim humus que significa "filhos da terra". Refere-se à qualidade daqueles que não tentam se projetar sobre as outras pessoas, nem mostrar ser superior a elas. A Humildade é a virtude que dá o sentimento exato da nossa modestia,cordialidade,respeito,simpliciddae,honestidade e passividade.

• Humildade precede a honra

O temor do Senhor é a instrução da sabedoria, e precedendo a honra vai à humildade. (Provérbios 15.33)
O galardão da humildade e o temor do Senhor são riquezas, honra e vida. (Provérbios 22.4)
• Humildade não é sinônimo de fraqueza

O próprio Cristo esvaziou-se de sua posição de gloria tomando a forma de servo, todavia não se sentiu fraco.
Não atente cada um para o que é propriamente seu, mas cada qual também para o que é dos outros.
De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus,
Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus,
Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens;
E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até a morte, e morte de cruz. (Filipenses 2.4-8)

3.º Os pardais nos ensinam a vivermos uma vida de dependência

• Dependência entregar-se e lançar-se nos seus braços de Deus

Noé, um homem dependente de Deus. Até que ouvisse a voz do Eterno, Noé não ousou sair da arca (Gn 8.13-19). Isto demonstra total dependência de Deus. O Senhor fechara a porta da arca por fora, portanto, só Ele deveria abri-la (Gn 7.16). A sujeição a Deus deve fazer parte do caráter de todo o homem que deseja agradá-Lo (Fp 2.5-8; Mt 26.39,42).

Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nele, e ele o fará. (Salmos 37.5)
Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós. (1Pe 5.7)

• Dependência é reconhecermos que nada somos

J. B. Moody disse: “a verdadeira adoração se estriba na grandeza reconhecida, e essa grandeza se vê de maneira superlativa na soberania divina, e os homens não podem, realmente, prestar culto postados em qualquer outro escabelo”
Talvez pela posição que alguns ocupam se torna difícil o reconhecimento da grandeza de Deus, e não deixar que o nosso ego infle , fazendo-os excêntricos e alto suficientes.
Jesus afirmou: “Eu sou a videira, vós as varas; quem está em mim, e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer.” (João 15.5)
O ladrão na cruz deu-nos um grande exemplo de dependência e de reconhecimento de nossa pequenez: “E nós, na verdade, com justiça, porque recebemos o que os nossos feitos mereciam; mas este nenhum mal fez.”
“E disse a Jesus: Senhor, lembra-te de mim, quando entrares no teu reino.”
“E disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso.” (Lucas 23.40,41, 42)

4.º Os pardais nos ensinam a vivermos uma vida de atenção

Eles mantêm os olhos abertos, e no mesmo em que se vê um grão de trigo na rua voa para pegá-la.

• Atenção na vida familiar

Uma das maiores incoerências na vida cristã e ministério pastoral são deixar a família de lado, nossa família é o sustento para nosso desempenho ministerial.
O pastor James Kemp menciona algumas prioridades que devem nortear a vida familiar do pastor.
A primeira é dar-se a si mesmo antes de doar presentes aos filhos e a esposa. Um exemplo deste fato se verificou quando uma esposa se queixou para seu marido, afirmando que ele não a amava mais, embora ela tivesse muitos bens, jóias, carro do ano, casacos de pele caríssimos, a melhor casa da cidade e um negócio próspero. Todas estas coisas juntas não supriam a ausência de seu esposo que buscava a realização do patrimônio da família, sua realização pessoal, colocando sempre seus afazeres em primeiro lugar. Sua esposa e filhos estavam ficando em segundo plano. Uma boa orientação bíblica está em II Cor 8:5, onde o Apóstolo Paulo elogia os irmãos da Macedônia por terem dado a si mesmos à Cristo, antes de ofertarem para a obra. Aquele esposo ouviu a sua esposa dizer: “- querido, eu não quero as coisas que você me dá... quero você!”. Muitas vezes esquecemos-nos de dar a nós mesmos, esquecemos de direcionar todo o nosso carinho e todo o nosso amor para nossas esposas e para nossos filhos, colocando as coisas materiais em primeiro lugar.
Em segundo lugar, Kemp aborda que muitas vezes na ânsia de ver a igreja crescer; antes de ver a construção do templo concluída, antes de nos realizarmos ministerialmente, devemos nos realizar como bom pai e bom esposo. Escrevendo à Timóteo e a Tito, (I Tim 3:4-5 e Tito: 1:6), o apóstolo Paulo assegura que a ascensão não pode considerada um sucesso quando o preço pago é o de um lar em frangalhos. E, aí o autor conclui afirmando que: “- muitas pessoas se casam com a profissão; pastores e líderes com o ministério. Esquecem suas famílias e acabam cometendo certo tipo de adultério”. Deste modo o lar deve vir antes de qualquer outra atividade, até mesmo antes das atividades da igreja.
Se não és cristão no lar, nunca o serás em qualquer outro lugar (Autor: Peter Marshall)

Salmo 128:

Bem-aventurado aquele que teme ao Senhor e anda nos seus caminhos.
Pois comerás do trabalho das tuas mãos; feliz serás, e te irá bem.
A tua mulher será como a videira frutífera aos lados da tua casa; os teus filhos como plantas de oliveira à roda da tua mesa.
Eis que assim será abençoado o homem que teme ao Senhor.
E verás os filhos de teus filhos, e a paz sobre Israel.

• Atenção na vida com a sociedade

Preocupar-se com o ser humano total. Não é só com o bem-estar espiritual, mas também com o bem-estar físico, emocional, material. Por isso devemos cuidar do nosso próximo integralmente, principalmente dos necessitados e marginalizados sociais.Podemos afirmar que o bem-estar espiritual é o resultado da paz de Cristo que alcança todas as áreas da vida do cristão. É o resultado do bem-estar físico, emocional, econômico, familiar, comunitário. Tudo está nas mãos de Deus, nEle confiamos e Ele é fiel em cuidar de nós. Sua salvação alcança-nos integralmente.Enfatiza a paixão pela evangelização. Desejamos e devemos trabalhar com paixão, perseverança e alegria para que o amor e a misericórdia de Deus alcancem homens e mulheres em todos os lugares e épocas.A Parábola do Bom Samaritano é uma famosa parábola do Novo Testamento que aparece unicamente no Evangelho de Lucas (10:25-37). O ponto de vista majoritário indica que esta parábola foi contada por Jesus a fim de ilustrar que a compaixão deveria ser aplicada a todas as pessoas, e que o cumprimento do espírito da Lei é tão importante quanto o cumprimento da letra da Lei. Jesus coloca a definição de próximo num contexto mais amplo, além daquilo que as pessoas geralmente consideravam como tal.
Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus. (Mateus 5.16)

• Atenção no ministério

“Pregar a Escritura é pregar a Cristo; pregar a Cristo é pregar a cruz; pregar a cruz é pregar a graça; pregar a graça é pregar a justificação; pregar a justificação é atribuir o todo da salvação à glória de Deus e responder a essa Boa Nova em grata obediência por meio de nossa vocação no mundo” (HORTON, Michael. Reforma Hoje. p. 124)
A figura do pastor é primordial para que a Igreja alcance seus propósitos, devendo o mesmo ter como modelo o próprio Jesus Cristo, qualificado como "o bom pastor", o pastor em seu exercicio ministerial deve:
Apascentar o rebanho com inteligência: Apascentai o rebanho de Deus, que está entre vós, tendo cuidado dele, não por força, mas voluntariamente; nem por torpe ganância, mas de ânimo pronto; (1 Pedro 5.2)
Refutar heresias doutrinárias: MAS o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios; (1 Timóteo 4.1)
Exercer vigilância em vários aspectos: alguém que seja irrepreensível, marido de uma só mulher, tendo filhos crentes que não sejam acusados de dissolução, nem sejam desobedientes. Pois é necessário que o bispo seja irrepreensível, como despenseiro de Deus, não soberbo, nem irascível, nem dado ao vinho, nem espancador, nem cobiçoso de torpe ganância; mas hospitaleiro amigo do bem, sóbrio, justo, piedoso, temperante; retendo firme a palavra fiel, que é conforme a doutrina, para que seja poderoso, tanto para exortar na sã doutrina como para convencer os contradizentes. (Tito 1.6-9)

5.º Os pardais nos ensinam a sobreviver quando vêm as noites frias

No sentido figurado

• Frieza /indiferença
Calvino falando com autoridade e a experiência de um eficiente pastor, escreveu em 1548: "Os pastores piedosos e probos (integro/honrado) terão sempre que manter esta luta de desconsiderar as ofensas daqueles que querem desfrutar de vantagem em tudo. Pois a Igreja terá sempre em seu seio pessoas hipócritas e perversas, as quais preferem suas próprias cobiças à Palavra de Deus. E mesmo as pessoas boas quer por alguma ignorância quer por alguma fraqueza, são às vezes tentadas pelo diabo a ficar iradas com as fieis advertências de seu pastor. É nosso dever, pois, não ficar alarmados por qualquer gênero de ofensas, contato, naturalmente, que não desviemos de Cristo nossas débeis mentes" (João Calvino, Gálatas 1:10. P. 190).

• Para as noites frias há:

Uma Coluna de Fogo

• Protegia o povo do frio da noite.

- E o Senhor ia adiante deles, de dia numa coluna de nuvem para guiá-los pelo caminho, e de noite numa coluna de fogo para iluminá-los, para que caminhassem de dia e de noite. (Êxodo 13.21)
- Nunca tirou de diante do povo a coluna de nuvem, de dia, nem a coluna de fogo, de noite. (Êxodo 13.22)
• Protegia contra o perigo das feras do deserto.

- Todavia tu, pela multidão das tuas misericórdias, não os deixaste no deserto. A coluna de nuvem nunca se apartou deles de dia, para guiá-los pelo caminho, nem a coluna de fogo de noite, para lhes iluminar; e isto pelo caminho por onde haviam de ir. (Neemias 9.19)

• Trazia luz ao povo, dando-lhe direção segura.

- E dirão aos moradores desta terra, os quais ouviram que tu, ó Senhor, estás no meio deste povo, que face a face, ó Senhor, lhes apareces, que tua nuvem está sobre ele e que vais adiante dele numa coluna de nuvem de dia, e numa coluna de fogo de noite. (Números 14.14)

• A Necessidade de Paulo

Quando vieres, tragam a capa que deixei em Trôade, em casa de Carpo, e os livros, principalmente os pergaminhos. (2 Timóteo 4.13)
Esta, pois, são as três necessidades conscientes de Paulo. Quando nosso espírito está solitário, precisamos de amigos. Quando nosso corpo está sentindo frio, precisamos de roupas. Quando nossa mente está entediada, precisamos de livros.
Uma capa – para o corpo
Os livros – para a mente (alma)
Os pergaminhos – A Palavra de Deus para o espírito

Conclusão

Sois mais que passarinhos. O Pai cuida do pardal, muito mais de vós, que valeis muito mais do que muitos pardais. O que acontecer não tenhais medo, valei muito mais do que os pardais.
Não se vendem cinco passarinhos por dois ceitis? E nenhum deles está esquecido diante de Deus.
E até os cabelos da vossa cabeça estão todos contados. Não temais, pois; mais valeis vós do que muitos passarinhos. (Lucas 12.6,7)

Pr. Marcos Serafim Silva ®

Obras consultadas : Dicionário Ilustrado da Bíblia
A bíblia explicada S.E Macnair
Comentário Bíblico Moody
Dicionário da Bíblia – John D. Davis http:
//pt.wikipedia.org/wiki/Humildade
Lições Bíblicas CPAD / 3º Trimestre de 2007
davarelohim. blogspot.com/.../as-tres-necessidades-de-paulo.html
LOCKMANN, Bispo Paulo; CONSTANTINO, Zélia. Seguir a Cristo, manual de discipulado

19 de ago de 2010

Mudança no Blog Supremacia das Escrituras!


Shalom!

Comunico a todos os leitores, amigos e seguidores deste blog, que estamos mudando para um novo endereço, com dominio próprio e ancorada numa nova plataforma.

Neste novo endereço o leitor terá uma melhor leitura, mais velocidade, as urls amigáveis. Estamos tentando da melhor forma possível atender o leitor e profissionalizar o nosso espaço. Peço a todos que divulguem e orem por nós!

O novo endereço é: www.davarelohim.com.br

Nele e para a glória Dele

Pr Marcelo Oliveira

3 de ago de 2010

Sião - A cidade espiritual de Deus




1- Sião e o lugar onde o povo de Deus é fortalecido

Envie-te socorro desde o seu santuário, e te sustenha desde Sião.(Salmos 20.2)
Bem-aventurados os que habitam em tua casa; louvar-te-ão continuamente. (Selá.).
Bem-aventurado o homem cuja força está em ti, em cujo coração estão os caminhos aplanados.
Que, passando pelo vale de Baca, faz dele uma fonte; a chuva também enche os tanques.
Vão indo de força em força; cada um deles em Sião aparece perante Deus (Salmos 84.4-7).

2- Sião é o lugar onde a beleza de Deus resplandece

Desde Sião, a perfeição da formosura, resplandeceu Deus.(Salmos 50.2)
Todos os que passam pelo caminho batem palmas, assobiam e meneiam as suas cabeças sobre a filha de Jerusalém, dizendo: É esta a cidade que denominavam: perfeita em formosura, gozo de toda a terra?(Lamentações 2.15)

3- Sião é o lugar escolhido por Deus

Antes elegeu a tribo de Judá; o monte Sião, que ele amava.(Salmos 78.68)
Que se responderá, pois, aos mensageiros da nação? Que o Senhor fundou a Sião, para que os opressos do seu povo nela encontrem refúgio.(Isaias 14.32)

4- Sião é o lugar onde Deus manifestará sua gloria.

Tu te levantarás e terás piedade de Sião; pois o tempo de te compadeceres dela, o tempo determinado, já chegou.
Porque os teus servos têm prazer nas suas pedras, e se compadecem do seu pó.
Então os gentios temerão o nome do Senhor, e todos os reis da terra a tua glória.
Quando o Senhor edificar a Sião, aparecerá na sua glória.(Salmos 102.13-16)

5- Sião é o lugar da salvação de Israel

Oh, se de Sião tivera já vindo a redenção de Israel! Quando o Senhor fizer voltar os cativos do seu povo, se regozijará Jacó e se alegrará Israel.(Salmos 14.7)
Oh! se já de Sião viesse a salvação de Israel! Quando Deus fizer voltar os cativos do seu povo, então se regozijará Jacó e se alegrará Israel.(Salmos 53.6)
E virá um Redentor a Sião e aos que em Jacó se converterem da transgressão, diz o Senhor (Isaias 59.20)

6- Sião é o lugar da benção

O Senhor te abençoará desde Sião, e tu verás o bem de Jerusalém em todos os dias da tua vida.(Salmos 128.5)
Bendito seja o Senhor desde Sião, que habita em Jerusalém. Louvai ao Senhor.(Salmos 135.21)

7- Sião é o lugar onde as pessoas que nascem ali se estabelecem

E de Sião se dirá: Este e aquele homem nasceram ali; e o mesmo Altíssimo a estabelecerá.
O Senhor contará na descrição dos povos que este homem nasceu ali. (Selá.) (Salmos 87.5,6)

8- Sião é o lugar de eterno descanso e habitação de Deus.

Porque o Senhor escolheu a Sião; desejou-a para a sua habitação, dizendo:
Este é o meu repouso para sempre; aqui habitarei, pois o desejei.(Salmos 132.13,14)

9- Sião é o lugar onde a Palavra do Senhor é ensinada

E irão muitos povos, e dirão: Vinde, subamos ao monte do Senhor, à casa do Deus de Jacó, para que nos ensine os seus caminhos, e andemos nas suas veredas; porque de Sião sairá a lei, e de Jerusalém a palavra do Senhor.(Isaias 2.3)

10-Sião é um dos nomes do povo de Deus

E ponho as minhas palavras na tua boca, e te cubro com a sombra da minha mão; para plantar os céus, e para fundar a terra, e para dizer a Sião: Tu és o meu povo.(Isaias 51.16)

11-Sião é o lugar onde os pecadores e os ímpios irão tremer

E de medo passará a sua rocha, e os seus príncipes terão pavor da bandeira, diz o Senhor, cujo fogo está em Sião e a sua fornalha em Jerusalém.(Isaias 31.9)
Os pecadores de Sião se assombraram, o tremor surpreendeu os hipócritas. Quem dentre nós habitará com o fogo consumidor? Quem dentre nós habitará com as labaredas eternas? (Isaias 33.14)

12-Sião é o lugar onde foi colocada a pedra angular

Portanto assim diz o Senhor Deus: Eis que eu assentei em Sião uma pedra, uma pedra já provada, pedra preciosa de esquina, que está bem firme e fundada; aquele que crer não se apresse.(Isaias 28.16)
Soli Deo Gloria,

Pr.Marcos Serafim

Fonte: Oliveira, Marcelo de – Mensagens que transformam/Marcelo de Oliveira._ São Paulo: Edição do autor, 2009.

27 de jul de 2010

XXV - Congresso de Jovens


Congresso de Jovens - Padroeira II
Tema : Verdadeiros Adoradores

Preletores :

Sexta- feira : Pr. Antonio Roberto (coordenador regional de jovens em Osasco)
Sabado : Pr. Claudinei Fernandes (co-pastor do setor de Osasco)
Domingo: Pr. Joel Moises da Silva (pastor da congregação Jardim Padroeira I em Osasco)

Endereço da igreja : Avenida Benedito Alves Turibio , 1612 - Jardim Padroeira II - Proximo ao terminal de ônibus do Jardim Veloso.

Aguardamos a sua presença.


Em Cristo;

Pr. Marcos Serafim Silva

22 de jul de 2010

Vários aspectos da oração



Orarás a Ele, e Ele te ouvirá. Jó 22.27

O livro de Jó (em hebraico אִיּוֹב) nos leva a considerar uma das principais perguntas filosóficas da existência humana. Trata-se de um livro bastante pratico, pois as perguntas não mudaram muito nos últimos cinco mil anos de historia.
Ainda buscamos explicação para o sofrimento individual e coletivo e nos perguntamos que lógica pode ser usada para entender nossas experiências.
Jó oferece uma perspectiva bíblica do sofrimento. E Deus virou a situação de Jó, enquanto ele orava pelos seus amigos, e o Senhor devolveu a Jó em dobro a tudo quanto antes possuía de bens materiais, além de vir a ter outros sete filhos e três filhas, as quais vieram a ser consideradas como as mais belas da época. E ele viveu cento e quarenta anos, e morreu velho e farto de dias.
A oração é comunicação com Deus, a dedicação religiosa às boas obras em favor dos necessitados não substitui a vida de oração, como tal à oração envolve vários aspectos importantes:

1- Fé –
Pistis (grego), primariamente, “persuasão firme”, convicção fundamentada no ouvir (cognato de peithõ, “persuadir”), sempre usado no Novo Testamento acerca da “fé em Deus ou em Jesus, ou as coisas espirituais”.
A oração mais significativa é a que brota de um coração cuja confiança esta depositada no Deus que agiu e falou através do Jesus histórico e dos ensinamentos da Bíblia Deus fala conosco através da bíblia, e nós respondemos com uma oração cheia de confiança e fé.
Orando abundantemente dia e noite, para que possamos ver o vosso rosto, e supramos o que falta à vossa fé? (1 Tessalonicenses 3:10)
E a oração da fé salvará o doente, e o Senhor o levantará; e, se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados. (Tiago 5:15)
Mas vós, amados, edificando-vos a vós mesmos sobre a vossa santíssima fé, orando no Espírito Santo (Judas vs.20)

2- Honra –
Time (grego), primariamente “avaliação, apreço, valorização”, por conseguinte, no caso acusativo (a) preço pago ou recebido (b) acerca da preciosidade de Cristo para os crentes (c) no senso de valor, acerca das ordenanças humanas , sem valor algum contra a indulgência da carne , ou,talvez, acerca da inutilidade dos esforços no asceticismo (d) honra, estima ,apreço, consideração.
Na adoração, reconhecemos que quem tem a primazia na nossa vida não somos nós mesmos, nem os outros, nem nosso trabalho, mas Deus. Guiados pela Escritura, estabelecemos nossos valores de acordo com a vontade e os padrões perfeitos de Deus. Diante de Deus, os anjos cobrem o rosto e clamam: “... Santo, santo, santo é o Senhor dos exércitos” (Is. 6.3)
Tua é, Senhor, a magnificência, e o poder, e a honra, e a vitória, e a majestade; porque teu é tudo quanto há nos céus e na terra; teu é, Senhor, o reino, e tu te exaltaste por cabeça sobre todos. (1 Crônicas 29.11)
O temor do Senhor é a instrução da sabedoria, e precedendo a honra vai à humildade. (Provérbios 15:33)
Digno és, Senhor, de receber glória, e honra, e poder; porque tu criaste todas as coisas, e por tua vontade são e foram criadas.
Ora, ao Rei dos séculos, imortal, invisível, ao único Deus sábio, seja honra e glória para todo o sempre. Amém.(1 Timóteo 1.17)

3- Confissão –
Homologeõ (grego), literalmente “falar a mesma coisa” (formado de homos, “mesmo”, lego, “falar”), consentir, corresponder, concordar com”, denota (a) confessar, declarar (b)confessar à guisa de admitir-se culpado do que se é acusado,o resultado de convicção interior (c) declarar abertamente a modo de falar livremente , sendo tal confissão o efeito de profunda convicção (d) confessar à guisa de celebrar com louvor (e) prometer.
A consciência da santidade de Deus nos faz conscientes de nossa própria natureza pecaminosa. Não precisamos confessar nossos pecados a nenhum outro ser, mas devemos confessá-los diretamente a Deus, que nos promete perdoar de toda injustiça.
E ENQUANTO Esdras orava, e fazia confissão, chorando e prostrando-se diante da casa de Deus, ajuntou-se a ele, de Israel, uma grande congregação, de homens, mulheres e crianças; pois o povo chorava com grande choro. (Esdras 10.1)
Estejam, pois, atentos os teus ouvidos e os teus olhos abertos, para ouvires a oração do teu servo, que eu hoje faço perante ti, dia e noite, pelos filhos de Israel, teus servos; e faço confissão pelos pecados dos filhos de Israel, que temos cometido contra ti; também eu e a casa de meu pai temos pecado. (Neemias 1.6)
Retenhamos firmes a confissão da nossa esperança; porque fiel é o que prometeu.(Hebreus 10.23)

4- Adoração –
Proskuneõ (grego) – “fazer mesura, fazer reverencia a” (formado de pros, “para”, e kuneõ, “beijar”), é o termo mais freqüente com o significado de “adorar”
Reverencia e declaração de submissão a Deus; rituais ou cerimônias pelas quais se expressa essa reverência.
A adoração neotestamentária caracterizava-se pela alegria e pela ação de graças diante da nossa redenção graciosa de Deus em Cristo.
A principio os cultos de adoração eram conduzidos nas casas. Possivelmente, por um período, os primeiros cristãos adoravam nas sinagogas, bem como nos lares. Alguns estudiosos acreditam que os cristãos judeus freqüentavam a sinagoga no sábado e suas reuniões especificas no domingo.
Visto como, na prova desta administração, glorificam a Deus pela submissão, que confessais quanto ao evangelho de Cristo, e pela liberalidade de vossos dons para com eles, e para com todos; (2 Coríntios 9:13)
Tributai ao Senhor a glória de seu nome; trazei presentes, e vinde perante ele; adorai ao Senhor na beleza da sua santidade. (1 Crônicas 16:29)
Dizendo com grande voz: Temei a Deus, e dai-lhe glória; porque é vinda a hora do seu juízo. E adorai aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas. (Apocalipse 14:7)

5- Louvor –
Aineõ (grego), “falar em louvor de, louvar”, sempre usado acerca do louvor a Deus.
A conseqüência natural da fé, adoração, honra, confissão e adoração é o louvor. Quando temos grande estima e amor por uma pessoa, falamos bem dela. O povo de Deus louva-o em sinceridade pelo Ele ser quem é, por Suas obras e por Sua palavra.
Encha-se a minha boca do teu louvor e da tua glória todo o dia. (Salmos 71.8)
Porque grande é o Senhor, e digno de louvor, mais temível do que todos os deuses.(Salmos 96.4). Para louvor e glória da sua graça, pela qual nos fez agradáveis a si no Amado. (Efésios 1.6)
Portanto, ofereçamos sempre por ele a Deus sacrifício de louvor, isto é, o fruto dos lábios que confessam o seu nome. (Hebreus 13.15)

6- Ações de Graças.
Eucharistia (grego), formado do eu, bem, e charizomai (grego), dar livremente (em português) denota: (a) gratidão, agradecimento (b) doação de graças, ação graças.
Ele perdoou nossos pecados, nos recebeu como filhos nos justificou e nos deu um novo coração e uma nova vida.
Os teus votos estão sobre mim, ó Deus; eu te renderei ações de graças;(Salmos 56.12)
Nem torpezas, nem parvoíces, nem chocarrices, que não convêm; mas antes, ações de graças.(Efésios 5.4)
E, quando os animais davam glória, e honra, e ações de graças ao que estava assentado sobre o trono, ao que vive para todo o sempre, (Apocalipse 4.9)
Que com grande voz diziam: Digno é o Cordeiro, que foi morto, de receber o poder, e riquezas, e sabedoria, e força, e honra e glória, e ações de graças.(Apocalipse 5.12)

7- Serviço dedicado
Diakoneõ (grego), “ministrar, auxiliar” (cognato de diakonos), prestar qualquer tipo de serviço, servir.
Douleuõ (grego), servir como doulos, é usado acerca do servir.
O exemplo de Cristo nos mostrar que não precisamos retirar da sociedade, mas sim servir aos necessitados (Jesus por Jerusalém.).
Expulsar-vos-ão das sinagogas; vem mesmo à hora em que qualquer que vos matar cuidará fazer um serviço a Deus. (João 16.2)
Porque a administração deste serviço, não só supre as necessidades dos santos, mas também é abundante em muitas graças, que se dão a Deus. (2Corintios 9.12)
E, ainda que seja oferecido por libação sobre o sacrifício e serviço da vossa fé, folgo e me regozijo com todos vós. (Filipenses 2.17)
Eu conheço as tuas obras, e o teu amor, e o teu serviço, e a tua fé, e a tua paciência, e que as tuas últimas obras são mais do que as primeiras. (Apocalipse 2.19)

8- Pedido –
Aitema (grego) denota aquilo que foi pedido (cognato de aiteõ, pedir)
Deesis (grego) , pedido solicitação,suplica.
Deomai (grego) , pedir , orar , suplicar
Erõtaõ (grego) , pedir, orar
A oração não e apenas o momento de demonstramos nossa gratidão a Deus por sua graça manifesta na vida e obra de Jesus e nos ensinamento da escritura; e também a oportunidade de pedirmos por nos e pelos outros.
A oração é uma petição a um Deus pessoal que responde como achar melhor. Não devemos pensar que sempre conseguiremos quilo que pedimos, pois, em Sua sabedoria, Deus ouve e responde da melhor forma.
O Senhor já ouviu a minha súplica, o Senhor aceita a minha oração. (Salmos 6.9)
Chegue à tua presença a minha súplica; livra-me segundo a tua palavra. (Salmos 119.170)
Com toda a oração e súplica orando em todo tempo no Espírito e, para o mesmo fim, vigiando com toda a perseverança e súplica, por todos os santos, (Efésios6. 18)
Porque os olhos do Senhor estão sobre os justos, e os seus ouvidos atento à sua súplica; mas o rosto do Senhor é contra os que fazem o mal.(1 Pedro 3.12)

9- Eficácia –
Energeõ(grego) , aplicar poder, ser operativo ,trabalhar.
Em Tiago 5.16, a palavra supérflua eficaz é omitida, a sentença é traduzida por; “A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos”, estando o verbo na forma principal na pessoa que ora.
A oração tem poder sobre qualquer circunstância, a oração satisfaz:
a) Necessidades intimas
b) Libertação do medo
c) Fortalecimento da alma
d) Adoração
e) Orientação e satisfação
f) Sabedoria e entendimento
g) Livramento do mal
h) Recompensa
i) Boas dádivas
j) Alegria completa
k) paz
l) libertação de toda ansiedade.

A oração com certeza faz diferença no modo de Deus agir no mundo.
Para isso também trabalho, lutando segundo a sua eficácia, que opera em mim poderosamente. (Colossenses 1.29)

"Deus está no trono, e nós estamos a seus pés, e entre nós e Ele, existe apenas a distância de um joelho" “A oração é um escudo para a alma, um "sacrifício" a Deus e um açoite para Satanás" John Bunyan

A Deus toda gloria, pelos séculos dos séculos;

Pr. Marcos Serafim

Obras consultas: (Dicionário Ilustrado da Bíblia)
(Panorama do Antigo Testamento)
(Dicionário Vine)

16 de jul de 2010

Aspectos de uma igreja vitoriosa




“E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e a comunhão, ao partir do pão e às orações” – Atos 2.42
A igreja de Cristo é edificada sobre o “... fundamento dos apóstolos e dos profetas, de que Jesus Cristo é a principal pedra de esquina” (Ef. 2.20).

1- Perseverava na doutrina dos apóstolos:


Após a ascensão de Cristo; a igreja que foi fundada por Ele e por seus ensinos, agora dependia da ação daqueles que foram escolhidos por Cristo para serem seus enviados e a ganhar almas para seu reino.
Os apóstolos estavam diariamente no templo, e a membresia da igreja primitiva seguia unânimes, ouvindo os ensinamentos daqueles que aprenderam com Jesus.
Desta forma e através dos ensinamentos baseados na palavra do mestre:- “E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura”. (Mc. 16.15)
Este é o resumo dos elementos essenciais necessários no discipulado cristão. Eram elementos que os apóstolos haviam aprendido de usa experiência com Jesus; seu ensinamento de sua pessoa e obra (MT. 16-18-19; Lc.24.46) e sobre responsabilidade deles com seus seguidores(MT 5-7).


2- Comunhão
Do grego Koinônia : “comunidade , comunalidade , comunhão , inclui dois elementos , cada um deles estimula o outro, como se explica adiante : (1) aprofundamento da amizade e (2) desenvolvendo visão,objetivos e prioridade em comum (Novo Testamento Judaico).
A igreja primitiva era uma igreja com demonstração de unidade no Espírito, eram uniformes no pensamento, estavam de acordo inclusive nos negócios administrativos do começo da igreja. E o que fica claro que por causa da comunhão a igreja primitiva crescia em pelo menos quatro aspectos:

a) A igreja crescia organicamente:
Estava arraigada na palavra , quando a igreja está fundamentada na palavra a tendência e que se tenha uma igreja bem estruturada nos seus diversos departamentos , inclusive em finanças.
“E era um o coração e a alma da multidão dos que criam, e ninguém dizia que coisa alguma do que possuía era sua própria, mas todas as coisas lhes eram comuns”.
“Não havia, pois, entre eles necessitado algum; porque todos os que possuíam herdades ou casas, vendendo-as, traziam o preço do que fora vendido, e o depositavam aos pés dos apóstolos”.
“Então José, cognominado pelos apóstolos, Barnabé (que, traduzido, é Filho da consolação), levita, natural de Chipre. Possuindo uma herdade, vendeu-a, e trouxe o preço, e o depositou aos pés dos apóstolos”. (Atos dos Apóstolos 4.32,34, 36,37)

b) A igreja crescia em fé conceitual:
Fé é crer no incrível, aceitar o impossível, e mover o invisível, esta fé movia o coração dos primeiros cristãos que apesar de estar começando sua caminhada e direcionamento da primeira igreja era consciente que a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam e prova das coisas que se não vêem, e isso os garantia a fé conceitual, capaz de mover as mais densas barreiras.
“Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo, a nossa fé”. (1Jo 5:4)
“E muitos sinais e prodígios eram feitos entre o povo pelas mãos dos apóstolos. E estavam todos de comum acordo no pórtico de Salomão”.
“Dos outros, porém, nenhum ousava ajuntar-se a eles; mas o povo os tinha em grande estima (alto conceito)”; (Atos 5.12,13).

c) A igreja crescia no serviço diaconal
A diaconia significa o ato de exercer o diaconato, ou seja, é quando um diacono exerce sua designação: ser ajudante do líder de uma igreja local.
Cada cristão ou pessoa que estava salva aderia a este singelo movimento do Espírito.
Com o crescimento da igreja havia necessidade de crescer também no serviço diaconal, ou seja, separar alguns dentre o crescente numero de discípulos para servirem na distribuição diária de alimento. A diaconia bíblica não se caracteriza por poder e proeminência, mas por serviço ao próximo, por cuidados pastorais.
Alguns aspectos caracterizavam a escolha destes homens que serviriam:
c1.1) Deveriam ser cheios do Espírito
c1.2) Deveriam ser cheios de sabedoria , alem do apostolo Paulo destacar outras qualidades que o serviço diaconal precisa ter: Da mesma sorte os diáconos sejam honestos, não de língua dobre, não dados a muito vinho, não cobiçosos de torpe ganância;
Os diáconos sejam maridos de uma só mulher, e governem bem a seus filhos e suas próprias casas.
Porque os que servirem bem como diáconos, adquirirão para si uma boa posição e muita confiança na fé que há em Cristo Jesus. (1 Tim. 3.8,12,13).
Cabe a todos que servem a Cristo exercerem uma boa diaconia.

d) A igreja crescia numericamente
De sorte que foram batizados os que de bom grado receberam a sua palavra; e naquele dia agregaram-se quase três mil almas. (Atos2. 41)
E todos os dias acrescentava o Senhor à igreja aqueles que se haviam de salvar. (Atos 2.47).
Também das cidades circunvizinhas afluía muita gente a Jerusalém, conduzindo enfermos e atormentados de espíritos imundos, os quais eram todos curados. (Atos 5.16).
E divulgava-se a palavra de Deus, de sorte que se multiplicava muito o número dos discípulos em Jerusalém e muitos sacerdotes obedeciam à fé. (Atos 6.7).
A igreja prosperava e crescia numericamente, mas a ordem de Jesus era atingir os confins da terra, e não ficar estagnado, em inércia, mas a ordem era: “... e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém, como em toda a Judéia e Samária, e até os confins da terra. (Atos1.8b)
Muitos, porém, dos que ouviram a palavra creram, e chegou o número desses homens a quase cinco mil.(Atos 4.4)

3- No partir do pão
Alguns cristãos supõem que isto se refere a “tomar a ceia”, e tem idéia de crentes primitivos encontrando-se nas casas para a celebração da ceia do Senhor.
O contexto principal não e o do cristianismo do século XXI, mas o judaísmo do primeiro século. Para os judeus daquela época e para os de hoje a comunhão é mediada por refeições. Dizer que os judeus messiânicos partiam o pão é afirmar, nada menos, nada mais, que eles faziam as refeições juntos.
É preciso captar o significado que comer junto tem. Antes de mais quando é possível, os judeus religiosos começam a refeição com um pão e recitam o b’rakhah, então levam um pedaço de pão e o comem , para que a benção de Deus , específica para a provisão do pão para comer não tenha sido recitada em vão.

Considere esse trecho do Mishna:

“O rabino El’azar ben-‘Azaryah(Sec.I e II E.C) disse “... se não houver refeição não há (estudo da) Torá , e se não houver (estudo da) Torá não há refeição”.

Na igreja em Jerusalém em seu principio grande união, alegria e singela de coração no aspecto também social, o que mantinha a igreja unida e tendo tudo em comum, inclusive nas refeições, em suas casas e juntos participavam das refeições diárias.
“... e ninguém dizia que coisa alguma do que possuía era sua própria, mas todas as coisas lhes eram comuns”. (Atos 4.32b)
“Não havia, pois, entre eles necessitado algum; porque todos os que possuíam herdades ou casas, vendendo-as, traziam o preço do que fora vendido, e o depositavam aos pés dos apóstolos”. (Atos 4.34).
“E a multidão dos que criam no Senhor, tanto homens como mulheres, crescia cada vez mais”. (Atos 5.14)
A igreja pertence ao Senhor e ele é que soberanamente constrói sua igreja.

4- Orações
Tanto as orações judaicas mandatórias, quanto nos momentos de em que se derrama espontaneamente o coração diante do Senhor.
A oração fazia parte da igreja primitiva, seus lideres estavam em constante oração “... Pedro e João subiam ao templo à hora da oração, a nona (três horas da tarde)” (Atos 3.1).Todos estavam cheios de temor, e muitas maravilhas e sinais eram feitos pelos apóstolos. A oração é a mais poderosa arma do pregador. É em si mesmo uma força onipotente e dá vida e força a tudo. Através da oração os apóstolos continuavam a falar do Cristo ressurreto e a grandiosa graça de Deus estava sobre eles.
“E muitos sinais e prodígios eram feitos entre o povo pelas mãos dos apóstolos”. (Atos 5.12ª).
Os milagres iam acontecendo na igreja primitiva, mas pela constante oração na qual Jesus os ensinou várias vezes, através de sua atitude de se retirar para longos períodos de oração, e assim seus discípulos, que agora estavam no comando da igreja aprenderam e em continuo estavam a praticá-la.
“E eis que sobre vós envio a promessa de meu Pai; ficai, porém, na cidade, até que do alto sejais revestidos de poder”. (Lc. 24.49)
O poder recebido de Cristo pelos apóstolos impeliu - os a operarem em seu nome grandes sinais e maravilhas.
“A ponto de transportarem os enfermos para as ruas, e os porem em leitos e macas, para que ao passar Pedro, ao menos sua sombra cobrisse alguns deles”. (Atos 5.15).
A igreja primitiva orientada pelas colunas da igreja se reunia e crescia também em oração, e coisas maravilhosas aconteciam sempre e isso trazia temor e perplexidade a todos.
“Pedro, pois, era guardado na prisão; mas a igreja fazia contínua oração por ele a Deus”. (Atos 12.5)
“E, considerando ele nisto, foi à casa de Maria, mãe de João, que tinha por sobrenome Marcos, onde muitos estavam reunidos e oravam”. (Atos 12.12)
"Aqueles que deixaram a mais profunda marca nesta Terra amaldiçoada pelo pecado foram homens e mulheres de oração. Você descobrirá que a oração é a força poderosa que tem movido não somente a mão de Deus, mas também o homem." (D.L. Moody -1837-1899).
"A boa pregação nasce da boa oração." (John Piper -1946)
"A oração é o encontro da sede de Deus e da sede do homem.” (Agostinho de Hipona - 354-430 d.C)
Quando oramos, oxigenamos a nossa alma e respiramos o ar puro do Espírito, neste mundo carcomido pelo pecado. (Marcos Serafim Silva)

Em Cristo,

Pr. Marcos Serafim Silva

12 de jul de 2010

Arvores que simbolizam Israel(Fim)




A Oliveira


Arvore muito comum em toda a parte das terras mencionadas no Velho Testamento. Seus frutos, esmagados, produziam o óleo ou azeite. Era símbolo de prosperidade e bênçãos divinas (Sl 52.8 e Jr.11.16). Tornou-se também o ramo da oliveira em emblema de paz. Tanto o óleo como a arvore se usavam na Festa dos Tabernáculos.
O azeite de oliveira era empregado de varias maneiras no ritual do culto judaico. Usava-se no Castiçal do Tabernáculo, servindo para alumiar. Fazia parte do óleo da unção (Ex.27.20;30.24;Lv24.2).
A oferta de manjares levava azeite, lembrando a consagração ou a comunhão com Deus. O azeite era artigo importante como alimento ( 1 Rs.17.12,16 e 2Rs4.2-7)
Ainda servia de remédio. O samaritano aplicou nas feridas do homem que encontrou moribundo, azeite e vinho (Lc. 10.34)
Na santificação das coisas do tabernáculo e na unção para exercer o ministério, usava-se azeite. Neste uso é símbolo do Espírito Santo, que nos santifica e unge para o testemunho de Jesus Cristo (Ex30. 29 e Lv10. 7)
A oliveira, como símbolo de Israel, vem na parábola apresentada por Paulo em Romanos 11.17-27. Os judeus são a boa oliveira (v24), os gentios são a oliveira brava ou zambujeiro (v17). Foram quebrados alguns ramos da boa oliveira e enxertados os da oliveira brava (VV 17,19).
O fruto da oliveira brava são pequenos e menos abundantes. Enxertando-se um ramo da boa arvore na oliveira brava, os frutos são melhores. Na alegoria de Paulo o processo foi diferente, os gentios, oliveira brava, foram enxertados na boa oliveira. Foi à bondade de Deus para com os gentios que fez isto. “Se a raiz é santa, os ramos também o são” (v16).
A raiz da arvore judaica é Abraão. Deus disse a Moises; “Eu sou o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó...” (Ex3. 15b).Aparece como um Deus tríplice.Abraão é tipo de Deus Pai (Lc16.22-25); Isaque é tipo de Deus Filho , especialmente na historia do casamento (Gn24);Jacó , pelo modo como foi guiado por Deus(Gn28.15), lembra o ministério do Espírito Santo, que nos guia em toda a verdade (Jo16.13).
A raiz é tríplice e proveniente de Deus. Se ela é santa, os ramos ligados a ela participam da santidade.
Os judeus e os gentios crentes em Cristo são iguais, filhos espirituais de Abraão, participam da raiz e dos frutos da boa oliveira de Deus, por Cristo que foi semente de Abraão.
O endurecimento ou cegueira de Israel “... até que a plenitude dos gentios haja entrado” (Rm11.25b)- não está falando dos tempos gentios que é expressão profética com outro sentido (Lc21.24).Aqui se refere aos gentios salvos pela pregação do Evangelho.Quando for salvo o ultimo dos que Deus conhece,estará completo o numero.
Deus não rejeitou seu povo de Israel, não temos razão para considerá-los rejeitados; foram separados, mas os que não permaneceram serão enxertados (v23). “Se tu foste cortado do natural zambujeiro, e, contra a natureza, enxertado na boa oliveira, quanto mais esses, que são naturais será enxertado na sua própria oliveira” (RM11. 24)
Alem do óleo, a madeira da oliveira que era utilizada pelos marceneiros estava nos objetos sagrados. Os querubins do Templo eram feitos de madeira de oliveira (1Rs6.23) e a porta do Santo dos Santos (1Rs6.31-33).Quer dizer que os judeus tomaram parte na fundação da Igreja de Jesus Cristo.Os apóstolos , colunas da igreja, e os primeiros crentes eram judeus.
Em Cristo, oliveira verdadeira

Pr. Marcos Serafim


Obras consultadas: Melo Joel Leitão de - Sombras, tipos e mistérios da Bíblia. Rio de Janeiro, CPAD, 1989

8 de jul de 2010

O perigo de ser inteligente!

O medo causado pela inteligência

Quando Winston Churchill, ainda jovem, acabou de pronunciar seu discurso de estréia na Câmara dos Comuns foi perguntar a um velho parlamentar, amigo de seu pai, o que tinha achado de seu primeiro desempenho naquela assembléia de vedetes políticos.
O velho pôs a mão no de Churchill e disse, em tom paternal: “Meu jovem, você cometeu um grande erro, foi brilhante neste seu primeiro discurso na casa. Isso é imperdoável”.
Devia ter começado um pouco mais na sombra.Devia ter gaguejado um pouco.
Com a inteligência que demonstrou hoje, deve ter conquistado, no mínimo, uns trintas inimigos.O talento assusta”.
Ali estava uma das melhores lições de abismo que um velho sábio pôde dar ao pupilo que se iniciava n’uma carreira difícil.
Isso na Inglaterra.Imaginem aqui no Brasil.
Não é demais lembrar a famosa trova de Ruy Barbosa: “Há tantos burros mandando em homens de inteligência, que, às vezes, fico pensando que a burrice é uma Ciência”.
A maior parte das pessoas encasteladas em posições é medíocre e tem um indisfarçável medo de inteligência.
Temos que admitir que, de um modo geral, os medíocres são mais obstinados na conquista de posições, sabem ocupar os espaços vazios deixados pelos talentosos displicentes que não revelam apetite do poder.
Mas é preciso considerar que esses medíocres ladinos oportunistas e ambiciosos têm o habito de salvaguardar suas posições conquistadas com verdadeiras muralhas de granito por onde talentosos não conseguem passar.
Em todas as áreas encontramos fortalezas estabelecidas, as panelinhas do arrivismo inexpugnáveis às legiões dos lúcidos.
Dentro desse raciocínio, que poderia ser uma extensão do “Elogio da Loucura”, de Erasmo de Roterdan, somos forçados a admitir que uma pessoa precisa fingir de burra se quiser vencer na vida.É pecado fazer sombra a alguém até numa conversa social.
Assim como um grupo de senhoras burguesas bem casadas, boicota, automaticamente, a entrada de uma jovem mulher bonita no seu circulo de convivência, por medo de perder seus maridos, também os encastelados medíocres se fecham como ostras, à simples aparição de um talentoso jovem que os possa ameaçar.
Eles conhecem bem suas limitações, sabem como lhes custa desempenhar tarefas que os mais dotados realizam com uma perna nas costas...
Enfim, na medida em que admiram a facilidade com que os mais lúcidos resolvem problemas, os medíocres repudiam para se defender.
É um paradoxo angustiante!
Infelizmente, temos de viver segundo essas regras absurdas que transformam a inteligência numa espécie de desvantagem perante a vida.
Como é sábio o velho conselho de Nelson Rodrigues... “Finge-te de idiota, e terás o céu na terra”.
O problema é que os inteligentes gostam de brilhar.Que Deus proteja, então dos medíocres.

Em Cristo nossa esperança, de dias melhores, onde os inteligentes terão com certeza seu espaço,

Pr. Marcos Serafim
Nota: texto recebido por e-mail sem citação do autor.

Arvores que simbolizam Israel(3)


A Figueira

Arvore originaria do Oriente, é muito abundante na Ásia e na Europa.
Adão e Eva fizeram roupas de figueira (Gn. 3.7) para esconder sua nudez, mas quando ouviram a voz de Deus, se esconderam. Aquela roupa não satisfazia.
Era costume oriental descansar debaixo da figueira, ato que significava paz e prosperidade. “... habitava seguro, cada um debaixo de sua videira, e debaixo de sua figueira...” (1 Rs.4.25;Mq.4.4;Zc.3.10)
O fruto da figueira é comido fresco e pode ser conservado em forma de passas (1Sm25.18).Há no velho testamento muitas referencias ao uso da Figueira e seus frutos.
Sérvio o figo ainda de remédio, como no exemplo da doença do Rei Ezequias, quando foi colocada na chaga uma pasta de figos e sarou (2Rs20.7).Foi usada também uma massa de figos para animar um moço desfalecido pela fome de três dias (1Sm. 30.11,12).
O vento derruba grande parte dos figos verdes “... como quando a figueira lança sobre si os seus figos verdes, abalada por um vento forte” (AP. 6.13b). Os que amadurecem são chamados temporãos (Mq. 7.1; Na. 3.12).
Um quadro bem rico de imagens está em Cantares usando a figueira: ”A figueira já deu seus figuinhos” (promessa de abundancia) “as vides em flor exalam o seu aroma” (deleite, acompanhado a esperança de boa colheita), “levanta-te, amiga minha, e vem” (convite para um despertamento dirigido a quem espiritualmente está dormindo) – (ver Mq. 2.10 e Ef. 5.14).
Jeremias teve uma visão dois cestos de figos. Um cesto tinha figos bons; tinha figos; bons e o outro, figos tão ruins que não se podiam comer.
Os figos bons representavam os judeus fieis que iam para o cativeiro, mas Deus havia trazê-los de volta para Jerusalém. Os figos maus eram os que acompanhavam o Rei Zedequias na maldade e na desobediência a Deus, que seriam castigados, levados para Babilônia e destruídos por lá.(Ver Jr.24.10-10)
Jesus avistou uma figueira perto do caminho por onde passava, dirigiu-se a ela procurando fruto e não achou senão folhas, então disse a figueira: “Nunca mais nasça fruto em ti”. E a figueira secou imediatamente (Mt21. 19 e Mc. 11.12-14). Foi como aquela geração dos judeus de sue tempo, que não produziu os frutos que Deus queria e foi destruída.
Quando os seus discípulos pediram um sinal da vinda de Jesus e do fim do mundo, Ele disse: “Aprendei, pois esta parábola da figueira: Quando já seus ramos se tornam tenros e brotos folhas, sabeis que está perto o verão” (MT 24.3 e32).
A figueira foi castigada com a destruição de Jerusalém no ano 70d.C pelo exercito romano.Os judeus forma dispersos e ficaram sem Pátria durante quase dois mil anos.Ultimamente a figueira está reverdecendo.Em 1948 foi aclamado o Estado de Israel , e na guerra dois seis dias, em julho de 1967, o povo judeu reconquistou o território que formava a Palestina nos dias de Jesus Cristo. Dali para cá o progresso vai avançando a passos largos. Segundo a profecia de Jesus, “o verão está próximo” (Mt.24.32b).


Em Cristo , nossa esperança de gloria,

Pr. Marcos Serafim

Obras consultadas: Melo Joel Leitão de - Sombras, tipos e mistérios da Bíblia. Rio de Janeiro, CPAD, 1989

6 de jul de 2010

Arvores que simbolizam Israel(2)




A videira

È um arbusto bem conhecido pela produção de uvas, cultivada desde os tempos antigos e mencionada muitas vezes nas Escrituras. Noé plantou uma vinha (Gn9. 20). Existia no Egito, em Canaã (Dt. 8.8). O tempo da vindima inspirava regozijo e festas (Jz9. 27).
A mesma figura de Israel às vezes é expressa pela videira, outras vezes pela vinha. Em linguagem figurada, é a nação de Israel mencionada como parábola em Salmo 80.6-16. Deus trouxe uma vinha do e plantou numa terra, cujas nações foram lançadas fora (v. 8).Sob a direção de Moises o povo foi liberto da escravidão do Egito e, comandado por Josué ,venceu os povos de Canaã.
Fez com que suas raízes se aprofundassem, seus ramos se tornassem como cedros e chegassem até o mar ((vv9-11).Tornou-se um reino prospero com sabedoria e a grandeza de Salomão.
Aparece também como parábola da videira em Isaias 5.1-7, apelando para o concerto que Deus fez com os pais quando os tirou do Egito.
Israel foi escolhido por Deus para tornar conhecida a Lei de Deus aos outros povos. Sua missão era servir de exemplo, de testemunho às nações que não conheciam a vontade do Senhor. “E ser-me-eis santos, porque eu, o Senhor, sou santo, separei-vos dos povos, para serdes meus” (Lv 20.26)
A responsabilidade de Israel era ser fiel a Deus, conservar o testemunho da santidade de Deus, do poder, da justiça e da misericórdia, para que os pagãos conhecessem a palavra de Deus, que foi confiado primeiro (Rm 3.1,2)
Os judeus falharam nesta missão, “produziram uvas bravas” (Is 5.4b); em vez de justiça, praticaram opressões, caíram na idolatria, indo a uma condição de que Deus disse “... andaram após deuses estranhos para servi-los”. “Segundo o numero das tuas cidades, foram os teus deuses, ó Judá” (Jr11. 10b, 13ª)
Como resultado, veio o castigo, cumprindo-se as predições de Deuteronômio 28 e dos profetas, especialmente Jeremias.
Vieram os exércitos da Assíria contra Samaria e de Babilônia contra Jerusalém, destruíram as cidades, os muros e o Templo e levaram para suas terras o restante do povo como cativo. É o que significa a expressão; ”O javali da selva a devasta, e as feras do campo a devoram” (Sl 80.13). Deus mesmo declarou; “... tirarei a sua sebe, para que sirva de pasto...” (Is. 5.5b) e “... já não há mais uvas...” (Jr. 8.13).
Jesus Cristo pronunciou uma parábola para os judeus nos termos daquelas do Salmo 80 e Isaias 5. Um homem plantou uma vinha, tomaram todas as providencias de proteção e segurança e arrendou-a a uns lavradores. Estes, no tempo de dar conta dos frutos, espancaram uns servos, mataram outros e por fim mataram o próprio filho do proprietário (MT.21.33-39)
Os judeus espancaram e mataram os profetas e crucificaram o Filho de Deus. Então Jesus perguntou “...o Senhor da vinha , que fará àqueles lavradores?” E eles responderam: “...Dará afrontosa morte aos maus , e arrendará a vinha a outros lavradores, que a seu tempo lhe dêem os frutos...Portanto eu vos digo que o reino de Deus vos será tirado, e será dado a uma nação que dê seus frutos”(MT.21.40b,41b,43).
“... Como a videira entre as arvores do bosque, que tenho entregado ao fogo para que seja consumida, assim entregarei os habitantes de Jerusalém” (Ez. 15.6b). Cumpriu-se de um modo mais detalhado, espiritualmente em Atos 13.46b “... Era mister que a vós se vos pregasse primeiro a palavra de Deus; mas,visto que rejeitais , e vos não julgais dignos da vida eterna, eis que nos voltamos para os gentios”. Todavia a promessa feita a Abraão de abençoar sua descendência permanece no plano de Deus. Na mesma figura da videira (Ez. 17.1-10,22-24), referindo-se a Israel, Deus acrescentava a figura do cedro, que representa majestade, prometendo fazer reverdecer a arvore seca.


Ele a Videira verdadeira;


Pr. Marcos Serafim


Obra consultada: Melo, Joel Leitão de, Sombras , tipos e mistérios da Bíblia.Rio de Janeiro,CPAD, 1989.

1 de jul de 2010

Arvores que simbolizam Israel(1)

Mais de cinqüenta espécies de plantas são mencionadas nas escrituras nas Escrituras Sagradas, entre elas diversas possuem grande utilidade e encerram algum simbolismo.
O cedro foi tão comum em Jerusalém com as figueiras bravas (I Rs10. 27). Isto aconteceu no tempo do Rei Salomão que, em seus cânticos, falou desde o cedro do Líbano até o hissopo que nasce na parede. Dá a entender que era a maior ou mais importante arvore conhecida (I RS. 4.33). O cedro é emblema da majestade ou força (Is 2.13). Naquele tempo do auge da grandeza de Israel, o cedro poderia ser símbolo nacional. Em Ezequiel 17.22 e 23, referindo-se à restauração do reino, Deus tirará um renovo do topo do cedro e o plantará num monte alto.
Também o cedro pode ser tipo do Justo “... que crescerá como o cedro do Líbano” (Sl. 92.12b)
Depois do cativeiro, Israel ficou sem rei, sem independência política, perdeu a majestade e a soberania, não pôde mais ser representado pelo cedro altaneiro.
Há até um pensamento de que a arvore que servia de emblema para os judeus após o cativeiro era a murta. Quando a rainha Ester nasceu, recebeu o nome de Hadassa, murta, na língua hebraica, que é uma planta bem menor e de menos valor e utilidade do que o cedro. Significando a escolha deste nome, que o povo judeu estava em condição humilhante. Todavia a murta dava uma flor branca bem linda em forma de estrela. Por isso a moça , quando foi elevada ao reino, passou a ser chamada Ester: estrela de grande beleza.
Quando fizeram a festa das cabanas no tempo de Neemias, foram usados ramos de murta (Ne8. 15). Nas visões de Zacarias, aparece um cavaleiro entre as murtas num lugar sombrio (Zc.1.8).O povo judeu estava em lugar sombrio ou vale , que queria dizer humilhação , e estava entre as murtas, outro aspectos de sua decadência.
Na linguagem do Novo Testamento, Jesus Cristo e depois o apostolo Paulo usam como símbolo de Israel três outras arvores, a saber: a videira, a figueira e a oliveira.
Aparecem as três juntas no cântico de Habacuque (Hc. 3.17). A videira é símbolo dos privilegio espirituais de Israel, a figueira dos privilégios nacionais, e a oliveira, dos privilégios religiosos.

Nossa esperança é Sua vinda, O Rei dos reis vem nos buscar;

Pr.Marcos Serafim Silva

Obras consultadas: Melo Joel Leitão de - Sombras, tipos e mistérios da Bíblia. Rio de Janeiro, CPAD, 1989





23 de jun de 2010

Sob o ponto de vista ético, a fama dos evangélicos na política é péssima Em linhas gerais, as qualidades éticas exigidas do cristão na política são as mesmas exigidas do pastor no ministério eclesiástico, diz Paul Freston doutor em sociologia e professor na Universidade Federal de São Carlos, em São Paulo.
Na atual conjectura política brasileira sinceramente não sei o que leva um pastor de igreja enveredar por esse caminho, que é uma faca de dois gumes, pois nossa política está mergulhada em profunda corrupção. Embora lá existam bem poucos políticos que se salvem isto não nos exime das responsabilidades que cabem ao chamado ministerial, e na minha vaga concepção, o pastor deve se preocupar em cuidar do rebanho que Deus lhe deu. Se por opção dele (o pastor) se sentir chamado para a vida política que deixe o rebanho aos cuidados de quem quer saber de ovelhas, pois aquele que se envolve com política estará no meio de lobos da pior espécie,podendo se tornar um deles.
Que tempo terá o nobre pastor envolvido com política para cuidar do rebanho de Deus? Se ele tem que cumprir uma carga horária na câmara federal ou estadual? Ou não cumprirá!
Alguns pastores em tempo integral já reclamam que lhes faltam tempo para o rebanho, que dirá aquele que está envolvido com política, ele abandonará o rebanho, deixando o cuidado para outrem, eximindo-se de qualquer responsabilidade ou reclamação ou ficará sendo piloto de culto, indo uma vez ou outra.
Lamentavelmente alguns preferem correr o risco, mesmo sabendo que estarão ladeados de corruptores, e que serão tentados a todo o momento por favorecimentos ilícitos, troca de favores, nepotismo e por ai vai...
Trocar o rebanho de Deus para se envolver em questões políticas é no mínimo recusar o chamado de Deus para sua vida ministerial, ou colocar em cheque tudo aquilo que defendeu até o presente momento. O ministério é o maior posto que um ser humano possa chegar isso por que nenhum outro titulo é tão importante como ser embaixador de Cristo, trocar isso para ter esse ou aquele titulo político é lastimoso.
Ai do pastor inútil, que abandona o rebanho! Diz o profeta Zacarias, porem alguns estão acima da bíblia, ele é a Lei, são deuses, e ai de quem fala contra ou se opõe aos seus pensamentos ou atitudes que, na maioria das vezes e forçada, e cumprida por alguns por medo de perder o beneficio e o que dizer que muitos desses são até acuados para tal.
Pastor e política e sem duvida nenhuma uma combinação muito perigosa, e Paulo afirma que quem deseja o episcopado excelente obra deseja, mas ele não diz ser a política obra excelente. Mas como alguns dizem que a igreja precisa ser defendida em todos os âmbitos e em parte até concordo, porém deixe que alguém que não seja pastor de igreja fazer política e o ministro se envolva com trabalhos voltados para o reino de Deus.
Que pastores que pastoreiem o rebanho de Deus saibam que Deus lhes deu algo muito maior que política, almas para serem arrebatadas do inferno.

Pr. Marcos Serafim Silva

27 de mai de 2010

Como reconhecer um verdadeiro homem de Deus



Nos dias atuais muitos auto identificam-se homens de Deus, mas como reconhecê-lo? Quais as características que ele deve ter? Que identidade ele deve portar? Quais as suas credenciais?
Vejamos algumas virtudes do verdadeiro oráculo do Senhor:

1- Pregar a palavra genuína

Que pregues a palavra , instes a tempo e fora de tempo , redarguas , repreenda , exortes, com toda a longanimidade e doutrina (2 Tim. 4.2)

Paulo ensina a Timóteo a pregar a genuína palavra de Deus, naqueles dias onde havia muitos ensinadores de vãs filosofias, e o apostolo afirma ao jovem obreiro para que não deixe se enveredar pelos caminhos daqueles que deturpavam a palavra.
Nestes dias hodiernos muitos estão deixando de pregar a genuína palavra para oportunamente lograrem em cima dos ouvintes. Hoje se prega alguns evangelhos tais como: o evangelho fast-food (comida rápida), o evangelho do marketing pessoal (para favorecimento próprio) e o evangelho realcêntrico (o que gira em torno do dinheiro). O que está havendo com a igreja que primava pela boa palavra , homens que ao longo de suas jornadas ministeriais se preocupavam em trazer ao povo uma mensagem oriunda do trono da graça de Deus e o faziam com muita oração. Os tempos mudaram e em alguns lugares quase não sobra tempo para a exposição da palavra.
Em outros lugares a palavra é evasiva e os jargões espirituais tomam conta, e o líder se preocupa no ovacionar da galera, e não em trazer alimento que nutre a alma do cristão.

2- Ter humildade

O temor do Senhor é a instrução da sabedoria, e precedendo a honra vai à humildade. (Provérbios 15.33)
Nada façais por contenda ou por vangloria, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo (Filipenses 2.3)

Embora a Bíblia Sagrada seja cheia de conselhos contra a falta de humildade existem alguns que nem se atém para os conselhos dela, pois construir um caráter humildade significa:
1. Considerar as pessoas superiores a nós mesmos (Filipenses 2.3).
2. Deixe todo sentimento de vingança e justiça nas mãos de Deus, pois Ele cuida de você (Salmos 25.9).
3. Nunca tente impor seus pensamentos e idéias.
4. Não tente se auto-promover. Deixe Deus te estabelecer. “Labão disse a Jacó: tenho
experimentado que o Senhor me abençoou por amor de ti” (Gênesis 30.27).
5. Jamais reclame, murmure. Seguir a Jesus é um ato de renúncia. “Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, dia a dia tome a sua cruz e siga-me” (Lucas 9.23).

3- Capacidade de gerar novos lideres

Tu, pois meu filho fortifica-te na graça que em Cristo Jesus
E que de mim, entre muitas testemunhas, ouviste, confia a homens fieis, que sejam idôneos para ensinarem.
Sofre, pois, comigo, as aflições, como um bom soldado de Jesus Cristo (2 Tim. 2.1;2;3)


Nesses dias há certamente uma escassez de lideres que conseguem gerar outros, pois a sempre a preocupação da superação, ou parece haver uma competição, impedindo o crescimento da nova geração de lideres, e porque não dizer por falta de ensino de como proceder no que tange ao ministério.
As pessoas que lhe estão próximas procuram imitá-las, seguir seus exemplos. O Senhor Jesus Cristo tinha essa capacidade em tão elevado grau que Paulo disse: “sede meus imitadores, como eu sou de Cristo." O verdadeiro líder não é mesquinho, não esconde ensinamentos. Ele procura sempre o crescimento do grupo. Pedro e Paulo são exemplos de líderes gerados por Jesus.
"Líder é um homem que conhece o caminho, e sabe manter-se à frente, trazendo outros após si." (John R. Mott)

4- Ser servo

Depois que lhes lavou os pés, e tomou as suas vestes, e se assentou outra vez à mesa, disse-lhes: Entendeis o que vos tenho feito? (Jo. 13.12)

A lavagem de pés havia sido praticada por centenas de anos antes de Jesus lavar os pés dos discípulos em João 13. Essa prática aparece desde o tempo de Abraão. Então, Jesus simplesmente fez um ato de serviço para os discípulos como tinha sido praticado durante muito tempo. Na época da Bíblia, a maioria das pessoas viajava a pé. Calçavam sandálias ou andavam descalças. Água para lavar os pés cansados era uma necessidade por motivos de higiene e conforto. Normalmente, a pessoa que recebia visitas fornecia água para que os hóspedes pudessem lavar seus próprios pés (Gênesis 18:3-5; 19:2; 24:32; 43:24; Juízes 19:21; 2 Samuel 11:8; Lucas 7:44). A tarefa humilde de lavar os pés de outros eram um trabalho de servos (1 Samuel 25:41; Lucas 7:37-38).
Porem lamentavelmente nos dias hodiernos ninguém quer ser mais servo, todos querem arrumar um jeito para serem senhores, mandar, ter súditos que cumpram suas regras, que em absoluto são de homens, e não de sinceros homens de Deus. Alguns passam sermões de obediência, quando na verdade nem eles obedecem. Devemos nos concientizar que o líder-servidor não age egoisticamente, antes serve ao povo de Deus com espírito voluntário; devemos compreender que o líder na Igreja de Cristo precisa estar pronto para enfrentar as dificuldades inerentes ao ministério; declarando como o Mestre Jesus disse que veio ao mundo para servir e não para ser servido.


5- Ter uma vida comprometida com a oração

Alegrai-vos na esperança, sede pacientes na tribulação, perseverai na oração; (Rm 12.12)
E já está próximo o fim de todas as coisas; portanto sede sóbrios e vigiai em oração.(1 Pe4.7)
E, saindo, foi como costumava, para o Monte das Oliveiras; e também os seus discípulos o seguiram.
E quando chegou àquele lugar, disse-lhes: Orai, para que não entreis em tentação.
E apartou-se deles cerca de um tiro de pedra; e, pondo-se de joelhos, orava, E, levantando-se da oração, veio para os seus discípulos, e achou-os dormindo de tristeza.(Lc.22 .39 a 45)

Alguém disse certa vez que um cristão é tão forte quanto a sua vida de oração. E existe uma grande dose de verdade nisto porque oração é simplesmente sua comunicação direta com Deus. Quando você lê a Bíblia, Deus fala com você; e quando você ora, você fala com Deus. Seu relacionamento pessoal com o Senhor Jesus Cristo não pode crescer sem comunicação apropriada. Jesus Cristo levava tão a sério isto, que mesmo sendo o filho unigênito de Deus, sempre procurava encontrar um tempo para falar com o Pai através da oração.
A oração é essencial para a vida de qualquer cristão é o oxigênio para vida cristã cotidiana. Jesus deixa-nos exemplo claro que sua vida neste mundo foi pautada na oração. Cristo dispunha de tempo para estar em oração.
É de suma importância que o homem de Deus tire períodos de oração, pois ela aproxima , faz chegar e faz ouvir a voz de Deus.
Infelizmente tira-se tempo para todas as coisas porem, para orar tira-se muito pouco. Ouvi recentemente um dado alarmante, que maioria dos pastores evangélicos não chega orar uma hora por semana.
Anúncios de mega vigílias, encontros com Deus, porem sem o essencial tirar longos períodos de oração, se gasta este tempo precioso para fazer inovações, revelações, louvores e porque não dizer que em alguns lugares vê-se no lugar da oração bizarrices sem tamanho.
Grandes homens de Deus só o foram porque dispunha tempo para dedicar-se à oração:
Um colega de Martinho Lutero disse: “Cada manhã ele precede seus estudos com uma visita à igreja e uma prece a Deus.
Jonathas Edward: "Costumava passar treze hora estudando e orando todos os dias".
João Wesley: "Considerava a oração a coisa mais importante de sua vida – levantava-se religiosamente todos os dias às 4 horas da manhã". Faleceu com 86 anos.
Um dos biógrafos de Moddy nos conta que ele depois de fazer uma viagem cansativa de trem, chegando ao hotel passava o restante da noite em oração.
O apostolo Paulo recomenda: “Orai sem cessar.”

6- Ser um homem segundo o coração de Deus

E, quando este foi retirado, levantou-lhes como rei a Davi, ao qual também deu testemunho, e disse: Achei a Davi, filho de Jessé, homem conforme o meu coração, que executará toda a minha vontade. (Atos 13.22)

O homem segundo o coração de DEUS, ele nem sempre está sendo notado, ou em evidencia. Mas muitas vezes pode ser que ele esteja como Davi se ocultando dos olhos dos homens, a ponto de não ser percebido, nem mesmo quem nós pensamos que poderia entender ou nos compreender.
O homem está disposto a fazer sempre a vontade daquele que o alistou para sua obra, não se importando com a fama ou louros que receberão aqui nesta terra, ou na sua igreja ou de quem quer que seja sua recompensa virá com certeza do Justo Juiz.

Deus olha o coração a fonte da existência essência do ser. Deus não atenta para a sua aparência Ele olha o coração. Por fora tá tudo muito bem por dentro tá tudo muito ruim não tem jeito de ser segundo coração de Deus por fachada você pode enganar qualquer um menos a Deus. Coração puro é um princípio para ser segundo coração de Deus.

a) Qual é o perfil de um pastor segundo o coração de Deus:1) É um pastor que tem consciência de que Deus o chamou não governar o povo com rigor, mas para cuidar do seu povo;2) É um pastor que cuida da sua própria vida, antes de cuidar do povo de Deus. Ele prega a si mesmo, antes de pregar ao povo. Sua vida é o seu mais eloqüente sermão.3) É um pastor que é exemplo vida, piedade para o seu próprio rebanho. Ele nada considera a vida preciosa para si mesmo para velar pelo rebanho. Ele dá a sua vida pelo rebanho.4) É um pastor que pastoreia TODO o rebanho: as ovelhas dóceis e as indóceis.5) É um pastor que compreende que a igreja é de Deus e não dele. Deus nunca nos passou procuração para sermos donos do rebanho. A igreja é de Deus.6) É um pastor que compreende que a igreja custou muito caro para Deus, o sangue do seu Filho. A igreja é a Noiva do Filho de Deus. A igreja é a Menina dos Olhos de Deus. Ele tem zelo pela igreja.

“O caráter nunca é comprovado por uma declaração escrita ou oral de convicções. É demonstrado pelo modo como vivemos, pelo comportamento, pelas escolhas e decisões. Caráter é a virtude vivida” (Manual do Pastor Pentecostal: Teologia e Práticas Pastorais. Rio de Janeiro, CPAD, p. 115.)

Em Cristo,

Pr. Marcos Serafim

Fontes :
http://hernandesdiaslopes.com.br/2010/01/pastores-segundo-o-coracao-de-deus/
http://www.ejesus.com.br
http://www.pibni.org.br
http://www.batistarenovadabetel.com


25 de mai de 2010

Carta de Paulo aos brasileiros

Como seria se Paulo escrevesse uma carta para a igreja brasileira de hoje?

Epístola de Paulo aos Brasileiros

Prefácio e Saudação

Paulo, apóstolo, não da parte de homens, mas por Jesus Cristo e por Deus Pai a todos os santos e fiéis irmãos em Cristo Jesus, que se encontra em terras brasileiras, graça e paz a vós outros.

Exortações à Igreja

Rogo-vos para que não haja partidos entre vós. Mas vejo que é isso que está ocorrendo, pois uns dizem: de Malafaia; outros, de Macedo; Outros do Waldomiro, outros, do Soares; outros de Feliciano; Quem é Malafaia? Quem é Macedo? Quem é Soares? Quem são eles? Por acaso Cristo está dividido? Não são neles que devemos postar nossos olhos, mas em Cristo, o único que morreu por nós. Vejo que ainda sois meninos na fé quando o propósito de cada um é só buscar bênçãos para si, visando os próprios interesses e não o interesse do Corpo. Digo-vos que a maior benção já vos foi concedida na cruz quando fostes resgatados da morte e das trevas. Agora, aprendam a viver contentes e dar graças a Deus por tudo.

Sinais e Prodígios

Assim como os judeus pediam sinais em minha época, há muitos que só pensam em prodígios e maravilhas: fazem correntes e marcam hora para as curas se efetuarem, e eu já havia advertido aos seus irmãos de Tessalônica que tão somente orassem o tempo todo, pois apenas Deus é quem sabe a hora de atender. Eu mesmo deixei Trófimo doente em Mileto, o amado Timóteo foi medicado enquanto esperava o Senhor curar sua gastrite, e Epafrodito adoeceu mortalmente chegando às portas da morte. Por que entre vocês no Brasil seria diferente?

Outras admoestações

Estão fazendo rituais para amarrar demônios e declarar que as cidades do Brasil são do Senhor Jesus. Nunca vistes isso em mim e em nenhum momento em Cristo. Pelo contrário, preguei o evangelho em Éfeso, mas a cidade continuou seguindo a deusa Diana. No Areópago de Atenas riram e zombaram de minha pregação, e poucos aceitaram a palavra do evangelho; como eu iria dizer que Atenas era do Senhor Jesus? Em Corinto, a prostituição continuou a dominar a cidade, e em Roma, as orgias e as dissoluções da família até se intensificaram no decorrer dos anos. Dizer que Roma pertencia ao Senhor Jesus seria uma frase que levaria ao engano os poucos irmãos verdadeiramente convertidos.Na verdade muito me esforcei e fiz de tudo para ver se conseguia salvar a alguns. Nunca ensinei a reivindicar territórios, mas tão somente orava a Deus que me abrisse uma porta para pregar a Palavra.Cuidado com os falsos apóstolos. Há muitos homens gananciosos aparecendo no meio de vocês no Brasil, dizendo que são apóstolos e criando hierarquias para exercer domínio uns sobre os outros, coisa que nunca aceitei. Por que tanta preocupação com títulos? Por que ninguém se contenta em ser chamado simplesmente servo? Pois isso é o que realmente importa. Saibam que há muitos obreiros fraudulentos transformando-se em apóstolos de Cristo. Já vos advertira que depois da minha partida, entre vós penetrariam lobos vorazes que não poupariam o rebanho de Cristo, não se lembram disso, brasileiros?

Sobre os dons espirituais

Soube que muitos estão preocupados com os dons. É verdade que eles são importantes, mas o Espírito concede a cada um conforme melhor lhe convém. Tenho percebido que valorizam principalmente os dons sobrenaturais – como falar em línguas, visões, curas e revelações – e esquecem que ensinar bem as Escrituras, administrar com zelo as coisas de Deus e promover socorro aos necessitados também são dons espirituais.Mas o que eu quero mesmo é que estejais buscando para suas vidas o fruto do Espírito. De nada adianta ter fé suficiente para curar pessoas, transportar montes e expulsar demônios, se ficam devorando uns aos outros, se não têm amor, se provocam rixas e intrigas entre si e dão mau testemunho.

Ofertas ao Senhor

Quanto às ofertas e sacrifícios, já falei por carta: no primeiro dia da semana, cada um separe segundo sua prosperidade. Nunca fiz leilão de bênçãos do Senhor, desafiando o povo a ofertar começando com 10 moedas de ouro até chegar ao que tinha um denário. O único sacrifício aceitável por Deus já foi feito na cruz pelo seu Filho Jesus, entendam isto brasileiros.Quando Deus me der oportunidade de visitar-vos quero conhecer os que estão se enriquecendo com o Evangelho e enfrentar-lhes face a face. A piedade jamais pode ser fonte de lucro e se continuarem nessa sórdida ganância haverão de sofrer muitas dores.

A busca da verdadeira maturidade

É imprescindível que manejem bem a Palavra, pois chegou ao meu conhecimento que esta é uma geração tão ignorante nela que estão sendo enganados por lobos vorazes, que trazem enganos e sofismas, e a esses, de boa mente, vocês toleram. Lembrem-se que quando preguei em Beréia o povo consultava a Palavra para ver se as coisas eram de fato assim. Porque não fazeis vós o mesmo? Ora, os ardis de satanás vêm sempre disfarçados na pregação de um anjo de luz. Vejo que entre vós há muitos acréscimos e deturpações daquilo que falei. Admoesto-vos a que não ultrapasseis o que está escrito.

As saudações pessoais

Rogo-vos, irmãos, que noteis bem aqueles que provocam divisões e escândalos; afastai-vos deles, porque esses tais não servem a Cristo, e sim a seu próprio ventre, seus próprios interesses. Em breve vos vereis.

A bênção

A graça do Senhor Jesus Cristo, e o amor de Deus, e a comunhão do Espírito Santo sejam com todos vocês do Brasil. (adaptado)

No amor de Cristo, nosso Eterno Salvador

Pr. Marcos Serafim Silva


Nota: Recebi este texto por e-mail, e não havia citação da fonte, porém achei-o superinteressante e resolvi publicá-lo.

24 de mai de 2010

Que tempos esses nossos! - Assembleia de Deus - Pr. Silas Malafaia e Nosso Futuro

A Assembléia de Deus no Brasil completará cem anos, será que temos alguma coisa para comemorar?Tornamo-nos uma denominação gigantesca, várias igrejas em diversos bairros, muitos pastores, presidentes, convenções, igrejas que são Assembléia de Deus e não pertence a nenhuma convenção , saíram varias ramificações e a denominação cresceu , ganhou corpo e ficou muito grande, tornou-se uma grande potencia.
Só alguns não enxergam que temos muitos problemas, de varias ordens, inclusive convencionais. Por que quem está no poder não quer largar a custo nenhum, será que é só pela vontade de fazer o trabalho do Senhor, pois isso já faz um bom tempo, e rumos não são mudados, metas não são cumpridas, ficamos fazendo conferencias para cá e para lá, porem sem objetividade, o crescimento de nossa igreja é vegetativo, e estamos tapando o sol com a peneira, querendo enganar não sei quem.
Estamos fracionados, rompimentos de todos os lados, discordâncias inúmeras, estatuto não cumprido e vista grossa geral. Nestes últimos dias tivemos veiculado nos canais televiso a renuncia do então vice-presidente da CGADB, todos agora sabem, e penso que este seja só a ponta do iceberg, muitas outras coisas acontecerão.
Muita gente criticou, critica e criticará o Pr. Silas Malafaia (não pedi autorização para usar seu nome), tendo em vista sua saída da CGADB, muitas especulações, segundo o próprio Pr. Silas no site da Assembléia de Deus Vitória em Cristo declarou que recebeu vários e-mails sobre sua decisão. A minha pergunta é: - o citado Pr. não tem razão em muitas coisas que fala? Realmente para que serve a CGADB? Unir os pastores? Por que será então que essa união não é sentida em todo o Brasil? Por que o norte brasileiro não se une aos outros estados? Por que será que eles não estão na mesma comunhão com os demais e estão fazendo sua comemoração independente? Será por rebeldia? Ou apenas não concordar com que está acontecendo?
A atitude do Pr. Silas incomodou muita gente, e também deixou um caminho aberto para muitos outros, que querem da mesma forma agirem como ele, pois muitos tem vontade mas faltam-lhes coragem, seria isso mais uma divisão , na já divida CGADB?Se remontarmos a tempos de nossos primórdios, o que será que aconteceu quando nossos pioneiros começaram o trabalho pentecostal no Brasil, de onde vieram? Vieram de um reavivamento na Rua Azuza, a nova doutrina trouxe muita divergência. Enquanto um grupo aderiu, outro rejeitou. Assim, em duas assembleias distintas, conforme relatam as atas das sessões, os adeptos do pentecostalismo foram desligados e, em 18 de junho de 1911, juntamente com os missionários estrangeiros, fundaram uma nova igreja e adotaram o nome de Missão de Fé Apostólica, que já era empregado pelo movimento de Los Angeles, mas sem qualquer vínculo administrativo com William Joseph Seymour. A partir de então, passaram a reunir-se na casa de Celina de Albuquerque. Mais tarde, em 18 de janeiro de 1918 a nova igreja, por sugestão de Gunnar Vingren, passou a chamar-se Assembleia de Deus, em virtude da fundação das Assembleias de Deus nos Estados Unidos, em 1914, em Hot Springs, Arkansas, mas, outra vez, sem qualquer ligação institucional entre ambas as igrejas.
No entanto hoje qualquer que usar da mesma forma será tido rebelde, mas por quê?Por não concordar com os regimes, por ter uma visão diferenciada daquela expressada pelos lideres que estão em eminência. Nossas teologias estão metodológicas, estão querendo saber demais (alguns), inclusive em muitas conferencias dá até vontade de dormir, muito método porem nenhuma unção. Nosso começo não foi assim como é relatado nos livros que tangem nossa cultura assembleiana, havia batismo no Espírito Santo, curas, pessoas sendo libertas, muitas conversões. Eu estava atento ao pronunciamento do Pr. Raul, na nossa CGADB e até agora não vi nenhuma providencia daquilo que foi falado ser tomada. E vamos comemorar o que?
Há muitas outras denominação e bem menor que a nossa que estão em qualidade muito melhor que nós. E até pegamos o modelo deles para algumas de nossas reuniões, cantamos suas musicas, seus programas televiso são muito melhor que o nosso com mais qualidade, e muito mais tempo? Vamos comemorar o que? Muito os criticam, mas por que não fazem melhor? È por que lamentavelmente tem muita gente no lugar errado.
Não quero ser pessimista, mas, se continuar assim que seremos daqui a cem anos, só historia, ou estaremos firmes, como será que estarão as dinastias instauradas pelo homem dentro da Assembléia de Deus?
Que nós deixemos de lado nossos quereres e voltemos depressa para o Altar , pois só assim seremos unidos e fortes.


Em Cristo ,

Pr. Marcos Serafim