3 de out de 2013

Benefícios de uma vida de oração




Marcos 1.35: “De madrugada, quando ainda estava escuro, Jesus levantou-se, saiu de casa e foi para um lugar deserto, onde ficou orando”.

Se Cristo teve na oração Sua fonte de poder, e isso também ocorreu na experiência de Seus discípulos, não poderia acontecer o mesmo em nossa vida hoje? São tantos os benefícios que proporciona o hábito de orar que seria incompreensível que um crente que diz amar a Deus não cultive esse privilégio de viver em diálogo e em sintonia com o Senhor.
Além das orações feitas na cruz, o Evangelho de Lucas menciona a vida de oração de Jesus em cinco passagens:
 5.16 - Mas Jesus retirava-se para lugares solitários e orava.
6.12 - Num daqueles dias, Jesus saiu para o monte a fim de orar, e passou a noite orando a Deus.
9.18 - Certa vez Jesus estava orando em particular, e com ele estavam os seus discípulos.
9.28 - Aproximadamente oito dias depois de dizer essas coisas, Jesus tomou consigo a Pedro, João e Tiago e subiu a um monte para orar.

Vejamos alguns dos vários benefícios da oração:
                               
1. Concilia-nos com Deus
. Faz-nos sentir acompanhado por Ele. Afugenta toda possível solidão do coração, e, ao crescer assim nossa amizade com o Senhor, mais desejaremos conviver com Ele.
 Assim, aproximemo-nos do trono da graça com toda a confiança, a fim de recebermos misericórdia e encontrarmos graça que nos ajude no momento da necessidade. (Hebreus 4:16)

2. Enche-nos de paz                
. Se temos ansiedade, preocupação ou angústia, nossa relação com Deus nos inunda de paz. Dá-nos calma interior, domínio próprio e equilíbrio emocional.
Não andem ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas, e com ação de graças, apresentem seus pedidos a Deus. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o coração e a mente de vocês em Cristo Jesus. (Filipenses 4.6;7)


3. Dá-nos segurança
. Tira os temores do coração e ajuda a nos sentirmos mais confiantes. Dá a certeza do cuidado protetor de Deus e nos distancia do perigo.
Deus é o nosso refúgio e a nossa fortaleza,auxílio sempre presente na adversidade. Por isso não temeremos, ainda que a terra trema e os montes afundem no coração do mar, ainda que estrondem as suas águas turbulentas e os montes sejam sacudidos pela sua fúria. (Salmos 46:1-3)

4. Fortalece-nos espiritualmente
. A oração faz-nos fortes para rejeitar a tentação e o mal que nos cercam. Vence nossos desalentos e debilidades pessoais.
“E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face, e se desviar dos seus maus caminhos, então eu ouvirei do céu, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra.” (II Crônicas 7:14)

5. Ajuda a nos conhecermos melhor
. Leva-nos a examinar nossa vida para detectar nossas necessidades, a fim de apresentá-las diante de Deus. O exame de nossa vida interior nos ajuda a crescer psicológica e espiritualmente.
Todos eles dirigem seu olhar a ti, esperando que lhes dês o alimento no tempo certo; tu lhes dás, e eles o recolhem; abres a tua mão, e saciam-se de coisas boas. (Salmos 104:27-28)

6. Ensina-nos a ser agradecidos
. A verdadeira oração não tem só a finalidade de pedir, mas também de reconhecer e agradecer as bênçãos do Altíssimo. Na realidade, sempre deveríamos sentir e expressar gratidão a Deus.
Regozijai-vos sempre no Senhor; outra vez digo, regozijai-vos” (Filipenses 4:4).

7. Muda nosso caráter
. Eleva nossos pensamentos, melhora nossas decisões e renova nosso modo de ser. Quem ora com sinceridade e com fé, abrindo o coração ao Senhor como a seu melhor amigo, embeleza e aperfeiçoa seu caráter.
Diante desses importantes benefícios que a oração outorga, deveríamos orar constantemente para nos assegurarmos das bênçãos de Deus. Se você achar por bem, agora mesmo, não importa onde esteja, interrompa a leitura e eleve sua mente ao Senhor. No silêncio, Ele lerá seus pensamentos e responderá seus pedidos. Tente fazer a prova, e o Senhor o premiará!
Muitos negligenciam a oração e não buscam a Deus ao longo do dia. Que descuido não falar com o Pai celestial para receber Sua bênção! E pensar que Ele espera que mantenhamos diálogo com Seu coração de amor!
Talvez isso não descreva seu modo espiritual de ser, mas reforça o amável convite de Jesus para que você permaneça unido a Ele através da oração. É um convite para fortalecer sua fé, resistir à maldade, conservar a harmonia do lar, cultivar a amizade com Jesus. O Senhor oferece tudo isso mediante nossa comunhão com Ele. Como, então, descuidar da oração? Porém, isso não é tudo. A história continua com outros episódios de amor e esperança...
Contra ti, contra ti somente pequei, e fiz o que é mal à tua vista, para que sejas justificado quando falares, e puro quando julgares. Purifica-me com hissopo, e ficarei puro; lava-me, e ficarei mais branco do que a neve. Esconde a tua face dos meus pecados, e apaga todas as minhas iniqüidades. Cria em mim, ó Deus, um coração puro, e renova em mim um espírito reto. Não me lances fora da tua presença, e não retires de mim o teu Espírito Santo. Torna a dar-me a alegria da tua salvação, e sustém-me com um espírito voluntário. (Salmos 51.4; 7; 9; 10; 11; 12)

Grandes homens de oração…
João Wesley passava diariamente duas horas de oração, começando às quatro da manhã. Ele sempre dizia que a oração era o seu negócio principal.

Martinho Lutero dizia: “Se deixo de passar duas horas pela manhã em oração, o diabo sai vitorioso o dia inteiro. Tenho tanto serviço a fazer que não possa passar diariamente, sem três horas de oração.”

Spurgeon dizia: “A oração se tornou tão fundamental para mim quanto o ar que enche os meus pulmões e o sangue que corre em minhas veias”


O bispo Andrewes passava diariamente cinco horas em oração e outros em exercícios devocionais.

John Welch, o grande pregador escocês, foi um dos homens mais fiéis que o mundo viu. Ele achava que o dia era mal gasto quando não passava sete ou oito horas sozinho com Deus.

Willian Bramwell é famoso nos anais metodistas por sua santidade pessoal, pelo seu sucesso maravilhoso na pregação e pelas extraordinárias respostas as suas orações. Orava muitas horas seguidas. Viveu quase toda a sua vida sobre os joelhos. Muitas vezes, gastou mais de quatro horas em oração contínua.

Payson dedicava tanto tempo à oração, e com tanta intensidade orava que, pelo atrito constante de seus joelhos, se desgastou o local do assoalho onde estava habituado a ajoelhar-se.

O bispo Asbury disse: “Propus-me a levantar às quatro horas da madrugada tanto quanto possível e gastar duas horas em oração.”

N’Ele em oração;

Pr. Marcos Serafim Silva


Consultas :
Chaij, EnriqueAinda existe esperança : a solução para os problemas da vida / Enrique Chaij ; tradução Fernanda Caroline de Andrade Souza. – Tatuí, SP : Casa Publicadora Brasileira, 2010.