25 de dez de 2010

A nossa Redenção




O apostolo Paulo declarou que a prioridade maior de sua vida era a Pessoa de Jesus, o Cristo Crucificado (Gl 2:20; Gl 6:14). Mas sua crucificação não tem uma dimensão meramente histórica. Ela integra a maior conquista espiritual da humanidade, maior derrota de Satanás e o selo da nossa reconciliação com o pai Celestial.
A cruz tem dimensões universais, porque o pecado atingiu toda a raça.Quão terrível e sombria deve ser a culpa do pecado, posto que nada, a não ser o sangue de Cristo, pode satisfazer a Deus como elemento de expiação! A carga pesada do pecado esteve tão forte sobre Jesus que Ele teve de exclamar na cruz: “Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?”
Por causa disso, essa cruz tem gloria.A gloria da majestade de um Deus Único, Invisível, Eterno – a quem seja a gloria, honra e louvor para todo o sempre.A Bíblia declara que o salário do pecado é a morte, então somente a morte de Jesus na cruz poderia reverter os efeitos do pecado em nossa vida.
A cruz revela a majestade do amor de Deus. Um amor que não tem principio nem fim; um amor ilimitado, perfeito, absoluto; um amor que jamais será medido; um amor que excede a todo o entendimento.
Convido você a celebrar comigo, a gloria da Cruz de Cristo, a majestade do Seu amor na cruz, e, por meio deste ato tão nobre, nos aproximarmos de Deus, pelo sangue da Nova Aliança.

N’Ele a nossa esperança.

Pr. Marcos Serafim Silva


Bibliografia: Oliveira, Marcelo
Morreu para que vivêssemos/ Marcelo Oliveira. São Paulo: Naós, 2010.