27 de abr de 2010

Píncaro da Fama

Píncaro da Fama

Mas confiaste na tua formosura, e te corrompeste por causa da tua fama, e prostituías-te a todo o que passava, para seres dele. E tomaste dos teus vestidos, e fizeste lugares altos pintados de diversas cores, e te prostituíste sobre eles, como nunca sucedera, nem sucederá.

Tornou-se comum no meio evangélico afamar alguém. Cantores, pregadores, pastores, escritores, colunistas, congressistas, conferencista internacional; alguns intocáveis; endeusam-se tanto que não parecem seres humanos, impermeáveis, impenetráveis. Por causa dos lauréis e sem se aperceberem vão se sentindo realmente pequenos deuses, pois foram postos por alguns no ápice da fama. Multidões, ginásios lotados, pessoas ovacionando o nome como um estádio de futebol que grita pelo seu ídolo solitário, estrela da mídia, ou uma celebridade dessas fabricadas pelo marketing, viagens, dinheiro, cachês, shows e espetáculo, sem contar que agora existe até contrato com metade de entrada antes do evento e no evento o restante, atitude lastimável, mas há quem aceite fazer o que?Há quem pague horrores para tais, que ao invés de usarem o que receberão pela graça (Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus); não entendem o que significa a graça.
O vocábulo Graça provém do latim gratia, que deriva de gratus (grato, agradecido) e que em sua primeira acepção designa a qualidade ou conjunto de qualidades que fazem agradável a pessoa que as têm.
A palavra graça provém também de grátis, derivado do latim gratiis (pelas graças, gratuitamente) e gratificar, que desde o século XV equivalia a agradecer.Graça é um conceito teológico fortemente enraizado no Judaísmo e no Cristianismo, definido como um dom gratuito e sobrenatural dado por Deus para conceder à humanidade todos os bens necessários à sua existência e à sua salvação. A graça capacita o que ela manda fazer. Esta dádiva é motivada unicamente pela misericórdia e amor de Deus à humanidade, logo, movida por Sua iniciativa própria, ainda que seja em resposta a algum pedido a Ele dirigido. E também por esta razão, a Graça é um favor imerecido pelo Homem, mas sim fruto da misericórdia e amor divino.
Porque diz a Escritura: Não ligarás a boca ao boi que debulha. E: Digno é o obreiro do seu salário. Porém alguns abusam da oportunidade e autoridade que Deus lhes deu para favorecimento próprio, enriquecimento ilícito, favorecidos pelas oferendas dadas pelo povo de Deus. Usam essa dita autoridade para proporcionar ao seu povo um espetáculo com um showmen , gritando , derrubando pessoas, movimento bem estranho, e tudo com a oferenda dos irmãos, embora muitos acreditem que seja sem qualquer custo para o povo, enganam-se. Concordo ser moral, ao trazer alguém para ministrar num congresso, seminário deve-se abençoar a vida desse companheiro desde que esse seja gente séria, não preocupado com o que vai ganhar no final da conferencia, e nem exigir quanto se vai ganhar, e ai e onde está o problema, que muitos só saem quando assaltam a igreja local, mas culpados não são os tais, infelizmente quem os convida. Porque não usar o obreiro local, que trabalha conosco, por que como diriam alguns:- santo de casa não faz milagre, na afirmação de Cristo:- “E escandalizavam-se nele. Jesus, porém, lhes disse: Não há profeta sem honra, a não ser na sua pátria e na sua casa”.
Ser reconhecido quem não gostaria? O problema é quem quando ganha reconhecimento e não preserva a humildade, a guarda do coração para não torná-lo altivo como diz o sábio:- “Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem às fontes da vida”, a honra, a sensatez, o bom caráter, volta e meia a gente ouve falar de imprudências cometidas por tais pregadores, cantores e por ai vai.
Que pena ver alguns que já estiveram no píncaro da gloria humana e hoje seus nomes estão esquecidos, alguns se descuidaram tanto de vidas espirituais que jamais se levantarão, porque infelizmente não souberam administrar o que um dia foi sucesso tornar-se um verdadeiro fracasso e por não preservarem a palavra de Deus como diz o profeta Isaias:- “Eu sou o Senhor; este é o meu nome; a minha glória, pois, a outrem não darei, nem o meu louvor às imagens de escultura”.
Transfiramos a fama, a gloria, o louvor, a adoração para Aquele que merece como diz o apostolo São Paulo:- “Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém”.


Em Cristo,


Pr. Marcos Serafim Silva

19 de abr de 2010

Que tempos esses nossos! Parte II

Que tempos esses os nossos? – Parte II


Nesse nosso tempo ocorrem as mais variadas situações, tratando-se do meio em que vivo:- o chamado evangélico, que de evangelho tem muito pouco, vivemos uma ruptura de bons modos, bons costumes, boa educação, vivemos tempos trabalhosos e de muita concorrência. Concorrências dos mais diversos tipos, concorrências leais, e concorrências desleais e maquiavélicas, interesseiras para o comando de um clã que se forma a cada dia dentro da igreja, e mui especificamente da qual eu pertenço.
Falar, ou ter uma opinião diferenciada torna-se um herege, um mal intencionado, um rebelde, uma pessoa que não soma; um obreiro desqualificado para exercer qualquer tipo de função dentro da instituição, só porque se é contrario a algo que não se concorda. Em que mundo vivemos? Democracia diria alguns; outros diriam:- vivemos mesmo uma verdadeira monarquia ministerial que cada qual quer perpetuar-se no comando, sem deixar que qualquer pessoa se aproxime, pois logo se pensa que vão tentar tomar-lhes o comando.
Deus dotou o ser humano de uma qualidade distinta de todos os outros animais, dotou-o de inteligência, o homem não foi feito marionete, não é um boneco, ele pensa (alguns. Por que alguns pensam como o outro, não tem opinião própria) , age , anda. Deus dotou o homem de raciocínio, fez dele um ser pensante, com qualidades para discernir o bem e o mal, o que acha certo, e que acha errado, ou seja, dotou-o de capacidade, inclusive para argumentar, debater, discutir idéias, mas em nosso meio parece só prevalecer à idéia de alguns, que tempos esses os nossos? Mas o que mais me impressiona que muitas vezes se diz que está falando em nome de Deus e que Deus o autorizou , quando na verdade , não o é.
Penso, logo existo, frase de Reinaldo Descarta, mas cá do nosso lado, você não pode ter pensamento próprio, tem que pensar como eles pensam, senão você está fora, ou então ouvir frases do tipo:- se não quiser cooperar você não é obrigado, deixa seu lugar para outro, ou então, você está desclassificado para exercer o ministério que Deus lhe deu, só por não concordar com todas as atitudes tomadas. Que tempo esse nosso?Quem se não balançar a cabeça positivamente, está fora. Quando se está no comando à gente diz o que bem quer, mas e os liderados? Será que se perguntou o que pensam? Se concordam! Ao menos uma palavra de gratidão!Ufa! Que tempo.
A liderança de Jesus foi o máximo, Ele influenciou seus discípulos, nunca se sentiu maior que eles , quando era preciso chamava-lhes atenção , mas também sabia elogiar quando necessário, nunca usou o poder que vinha de Deus para influenciar as pessoas, sua fala foi:- “Vinde após mim, e eu vos farei pescadores de homens.” Seu marketing nunca fora promessas evasivas, sempre procurou não estar em evidencia ou buscar a fama para si, mas foi ao contrario as pessoas que o tornaram famoso. Atitude bem diferenciada da liderança atual, que investem num marketing pesado só para terem o poder na mão, ou serem aclamados como pequenos deuses , assim como a leva de deuses gregos da antiguidade , se instituíram deuses do presente século. Paulo na sua época já alertava, principalmente o jovem Timóteo dizendo:- “Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos”. Não muito diferente de nosso tempo, pois tudo isto está acontecendo.
O pior é que estamos criticando os de fora, de outras denominações, quando aqui se vive uma guerra política partidária para ver quem é o maior , o melhor, falamos como se fossemos os detentores da palavra, do domínio, do território, e que a graça fora revelada somente a nossa instituição. Batemos no peito que somos a maior igreja pentecostal no Brasil, arvore é bonita, mas suas raízes estão danificadas, o tronco está oco, estamos dormindo. Bem lamentável nossa condição que por interesse de alguns (já que existam homens muito sérios, no comando), só querem estar bem na foto, sair no periódico mensal, se favorecerem das escritas de nossa casa de edição, enfim favorecimentos para muitos poucos, e não é porque não existam bons comentaristas, ate há, mas muito pouco tem acesso, prefere-se publicar comentarista internacionais, com suas falácias e muitas delas cheias de distorções, e algumas até sendo reprovadas pelo conselho de doutrina, mas lá tudo passa. Enfim tenho presenciado muitas atitudes, ouvido muitas coisas, atitudes que com certeza não tomarei com a igreja e aqueles que estão sob o meu comando. E ai se pergunta, porque a igreja vem se esvaziando dia após dia? A resposta é simples, clara e objetiva:- é só se utilizar daqueles que comem o sal conosco, que bebem da mesma água, que comem do mesmo pão, que suportam calados as mesmas aflições, é só deixar o egoísmo de lado, deixar o egocentrismo, de fazer tudo sozinho, dividir as tarefas ministeriais, olhar para os companheiros que estão conosco, dar motivação aos seus comandados e não dizer que eles não servem, ou que se quiserem ir para outro lugar pode ir que não fará falta. Ufa que tempo!Que Deus nos ajude, por que Canaã e logo ali.


Vivamos o dia de hoje, como se Cristo voltasse agora mesmo,


Pr. Marcos Serafim Silva

17 de abr de 2010

Estar calado

Ecl. 3.7 b - tempo de estar calado, e tempo de falar;

Quem convive comigo sabe perfeitamente que gosto muito de falar. Mas nem todas as falas são produtivas , às vezes por deslize de palavras cometo alguns erros que marcam a vida , e nos servem de experiência para não comete-los novamente.
Já por um tempo venho exercendo uma forma de estar calado, não é fácil quando se gosta de falar , mas é preciso , pois não é somente do que gostamos que fazemos.Para isso precisei mudar uma rotina de vida , almoçar em horário diferente , buscar filho na escola , almoçar em local diferente do qual já estava habituado, enfim mudar toda a rotina do meu dia-a-dia.
Felizmente nessa mudança drástica na vida , estou me sentindo bem melhor , não estou falando muito , mas estou tentando desenvolver uma fala do apostolo Tiago quando ele diz:- “Portanto, meus amados irmãos, todo o homem seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar.” (Tiago 1.19).Confesso que não é fácil estar pronto para ouvir , pois ouvir o que não queremos é desagradável aos ouvidos, porem são necessários para crescimento tanto material , quanto espiritual.
Esse tem sido período usado para refletir sobre algumas nuances diferenciadas no pensar na vida em varias etapas. Este período também tenho estado, mas atento ao meu ministério , pois sem duvida nenhuma creio que foi Deus quem me deu , embora ouça vez por outra , uma piadinha aqui ou acolá , mas relevo .Esse período da minha vida eu dei o nome de passar pela caverna , assim como Elias , o profeta, mas não por medo , para correr de alguém , ou para desafiar ninguém e nem fazer frente a alguém , simplesmente por que preciso estar a sós.
Refletir a vida , ministério e outras coisas não é tão simples por que no meio da reflexão agente encontra muitas ranhuras que precisamos mudar , mesmo que isso vá doer no instante da mudança , mas será benéfica no amanhã.
Resolvi estar calado por se referir a um período de grandes emoções, e mudanças serem necessárias no meu cotidiano. Estar calado para mim significa muito , pois estou aprendendo e desenvolvendo a doce mania de ouvir. Estou assim, pois estava ficando enfermo de alma , com o muito falar.Conversas não produtivas e muitas delas criticas da vida de alguém que eu não tenho nada a ver , porem falava com propriedade , e muitas dessas vezes sem escrúpulos, e o pior, estava falando sem a consciência e defesa de quem eu estava falando , mas graças ao bom Deus acordei em tempo e o que quero agora , e que minhas falas não sejam mais agudas como a de uma espada cortante , mas que sejam um balsamo para curar as feridas por mim mesmo provocadas.
Venho pensando muito antes de falar qualquer bobeira que afete meu irmão , minha liderança , meus amigos , enfim os que convivem comigo.Tenho aprendido.
Decidi assim estar porque tive muitas discussões sem nexo , e porque muitas vezes caia em contradição com aquilo que estava falando , como diz o apostolo Paulo ao jovem obreiro Timoteo : - “mas evita os falatórios profanos, porque produzirão maior impiedade” (2 Tim. 2.16).
Por vezes fazia comentários maldosos sobre pessoas que estão acima de mim na escala ministerial , e com isso seguei a conclusão que poderia estar invejando-os , criticando-os quando pregavam e confesso que nenhuma mensagem me tocava ao coração, pois estava a um passo de me tornar dentro da casa de Deus , um céptico, desejando estar onde estão.Contudo isso vinha me afetando emocionalmente, e quase não conseguia desenvolver meu ministério, por que estava, mas preocupado com os outros do que comigo mesmo e sem duvida nenhuma isso de algum modo estava me afetando.
Depois que resolvi estar calado e não mais me intrometer em conversas ou algo que não é da minha alçada , estou bem melhor , e creio perfeitamente que vou melhorar daqui por diante, e conto com orações de todos os meus irmãos e amigos , pois cá estou fazendo minha parte.
Por vezes nestas discussões irava-me, pois queria resolver as coisas ao meu modo , e não esperar a providencia de Deus , a justiça , a mansidão e acima de tudo misericórdia. E por muitas vezes falei de algo que eu nem mesmo tinha certeza do que estava falando.
Confesso que ainda não estou curado cem por cento , mas me sinto bem melhor em relação há algumas semanas atrás, e quero crer que agora estou tomando o rumo certo, sem estar envolvido em qualquer conversa que penda para o lado de falar mal de lideranças , criticá-las e enfim tentar coloca-las na minha visão.
Rompi de vez com o falar daquilo que não está a minha alçada , e de uma vez por todas quero estar orando , por que somente através da oração é que cursos e rumos da vida , ministérios, e tudo pode ser mudado.Que este período seja para mim , um verdadeiro oásis para realmente fazer a vontade de Deus.


N’Ele que acalma toda a nossa ansiedade ,


Pr. Marcos Serafim Silva.

15 de abr de 2010

Que tempos esses nossos!


Vivemos num mundo de metamorfose, constante mudanças, conflitos, atritos, caos da moralidade, corrupção, devaneios (parece que estamos num mundo de fantasia) estamos realmente aturdidos com o colapso que vive este mundo hodierno, sabemos que somos de Deus, e que o mundo inteiro jaz no Maligno. (1Jo5.19).
Notícias avassaladoras, parecendo mais uma Babel. Onde cada qual quer o seu território, constante desentendimentos e rumores e grandes desatinos proporcionados por gente sem o menor escrúpulo da verdade. Lê-se e ouve-se quase todo dia na mídia, quer seja ela secular, evangélica, coisas degradantes, gente que sem qualquer falta de vergonha, dizem estar pregando as boas novas da salvação, mas que evangelho e esse? Um evangelho que cobra horrores para se anunciar, televisão para divulgar, parece mais um rumo ao estrelato do que uma mensagem salvifica, disputa de primeiro lugar na mídia evangélica, quem é o melhor pregador da atualidade, sem se aperceber que o evangelho é pela graça, como diz o apostolo: - estando nós ainda mortos em nossas ofensas, nos vivificou juntamente com Cristo (pela graça sois salvos).
Que tempos esses os nossos? Homens que auto-intitulam pregoeiros da verdade, apóstolos da fé, detentores da legalidade, milagreiros, mercadores da fé, marqueteiros da sua própria imagem vendendo algo que nem mesmo eles acreditam que seja veracidade.
São tantos apóstolos que se perde a conta, são apóstolos que vivem de grife, que andam de carrões, que anda armado, com segurança, apóstolos para todos os gostos e todos os fins, e há alguns que não são, mas interiormente ambicionam por isso, e há outros porém que merecem serem apóstolos, mas não se consideram tais.
Que tempos esses nossos? Onde um cantor pede fortuna para se apresentar em determinada igreja, e pior, o pastor paga e ainda segue todo o luxo e estrelismo do tal. Ufa! Que tempo. Tempo onde ser servo, ser serviçal, é ser bestial, porque o luxo hoje é serem Pastor, e alguns que preferem ser Bispo, Apostolo, e não sei não se não vão inventar outra posição mais elevada, fica aqui uma sugestão: Sumo Pontífice Apostolar (ou seja, apostolo de apostolo) e se for quaisquer outras funções na igreja se sentem humilhados, e não querem exercer tais funções.
A palavra servir ao Senhor voluntariamente como diz o salmista: “Servi ao Senhor com alegria; e entrai diante dele com canto”, nesse nosso tempo está esquecida porque infelizmente não vale mais a pena servir ao Senhor dos senhores, porque são tantos senhores para servir, que se esquece de servir ao Senhor.
Que tempos esses os nossos! Que como diz o Pastor Ricardo Gondim, da Betesda, dias memoráveis da burguesia religiosa, que queira Deus um dia vai passar, esse deserto transformar-se-á em manancial.
Não sou tão saudosista, mas, á tempos atrás vivíamos na exclusiva dependência de Deus, inclusive para se preparar sermões que certamente falariam ao coração, mente e faria o povo pensar, sermões como de Jonatas Edwards, que o povo ficava grudado no seu assento, aturdido com a voz de Deus, havia arrependimento de pecados, consolo para os necessitados, alento para os feridos, cura para alma. Mas hoje o que vemos são ilusionistas da fé, sermões carregados de mensagens positivistas, emotivas, ludibriadoras, enganadoras, furtivas e acima de tudo, mensagem implorativa de bens materiais e esses são tão cara de pau que até dizem amaldiçoar ao povo, ufa! Que tempo esse nosso.
Mas nem tudo está perdido, neste nosso tempo há pregadores, poucos, mas há preocupados com quem pode fazer realmente a diferença, o nome que está acima de todo o nome: Jesus.
Que esse tempo de transformação chegue que novos rumos comecem a acontecer que o feudalismo que se tornou a igreja evangélica (não digo todas, mas boa parte dela) acabe, e enfim possamos ter mais pastores com o rosto de gente e não rosto de pequenos deuses, no qual os transformaram.

Sola Gratia et Sola Fide

Pr .Marcos Serafim Silva




12 de abr de 2010

Salmo 150

Aleluia!
Louvem a Deus no seu santuário,
louvem-no em seu magnífico firmamento.
Louvem-no pelos seus feitos poderosos,
louvem-no segundo a imensidão de sua grandeza!
Louvem-no ao som de trombeta,
louvem-no com a lira e a harpa,
Louvem-no com tamborins e danças,
louvem-no com instrumentos de cordas e com flautas,
Louvem-no com címbalos sonoros,
louvem-no com címbalos ressonantes.
Tudo o que tem vida louve o Senhor!
Aleluia!

Porque d’Ele e por Ele, e para Ele, são todas as coisas; glória, pois, a Ele eternamente. Amém.



Pr. Marcos Serafim Silva

9 de abr de 2010

Como exercer a cidadania na sociedade brasileira contemporênea: conflitos e certezas

Estamos vivendo numa sociedade extremamente conturbada, onde valores são postos a prova todos os dias, varias questões podemos conflitar na sociedade brasileira tais como:- a ética moral, social, governamental, questões ligadas à saúde e segurança, e os princípios familiares sendo tão importantes na sociedade brasileira hodierna.
Todas estas questões vertem para uma demanda que parece fugir do controle, principalmente no que tange a moral da sociedade mundial e também da brasileira contemporânea. O Brasil é um país de imensa grandeza, com muitas culturas, e é inegável que o Brasil que é um país injusto, ou melhor, a sociedade brasileira é extremamente desigual.
É obvio que há partes bem conflitantes na nossa sociedade, como por exemplo: - o caso da política contemporânea que caiu em verdadeiro descrédito ante a comunidade atual, pois são raros os políticos com hombridade nos dias atuais, o que se vê são problemas insolúveis e intermináveis, pois toda a nossa demanda política estadual, nacional, municipal está mergulhada num verdadeiro caos. Fica claro que nem todos os que vivem política são desonestos, pois ainda a deles que primam pela integridade moral e social.
Há varias questões que caberiam nesta pauta, como religiosas, pois a religiosidade está aflorada em todo país, que inclusive alguns o chamam de país continental, devido à multiplicidade de credos, conceitos religiosos difundidos e discutidos no Brasil são muito independentes de credo ou raça, deve-se entender que os conflitos são gerados, na maioria das vezes de forma irracional e os exemplos estão bem próximos de nós basta termos uma visão apurada daquilo que ocorre ao nosso redor, mas nem tudo está perdido, pois o que se deve fazer é adotar uma política de boa convivência para termos um país melhor, pois respeito com o outro é de fundamental importância. Embora o Brasil seja um país laico em varias questões, principalmente nas religiosas, a muito que se aprender em ser laico, principalmente nas escolas onde o ensino é quase restrito para o ensino religioso, e quando se tem são tendenciosos aquela religião ou credo.
O cidadão deve ser consciente no que está fazendo, ou seja, deve fazer exercer o direito de cidadania ligado à vida moral, ética e tudo o que está redundando nosso país. A questão no exercício da cidadania deve-se a muitas conquistas feitas nos passado, umas num passado remoto, outras porem é fatos que marcam nosso cotidiano hodierno, que nos faz atentar para a grande problemática que está envolvido não só o Brasil, nossa pátria, como também o mundo globalizado.
Outro exemplo claro na contribuição do exercício da cidadania e a célula mater, ou seja, a família, que propõe rumos para uma nova sociedade, uma família bem estruturada fará uma sociedade com bases morais e éticas, embora muitos que foram em boas famílias não são impedidos de se desvirtuarem para caminhos tortuosos como por exemplos as drogas e afins. Ora se todos compreendessem que esse caminho será uma boa medida para recuperação para a sociedade no âmbito de formar seres humanos condescendentes com o exercício de cidadania, fazendo e contribuindo pelo desenvolvimento social e material para uma pátria melhor.
Para exercer uma cidadania saudável e preciso lutar pelos nossos direitos e deveres, participando ativamente, contribuindo para o nosso bem estar. A sociedade brasileira faz na reconstrução de um novo caminho, preparando-se para um novo futuro, que queremos que seja brilhante, que todos nós possamos contribuir , cada um com sua parcela de contribuição, fazendo prosperar nossa pátria , já que é uma pátria multifuncional.O povo brasileiro é capaz de lutar por mudanças, já provou isso num passado recente, basta confiar no poder que possuem e aprender a exercê-lo completamente.

Trabalho de Licenciatura Plena em Lingua Portuguesa e Inglesa


Aquele, que está acima de todos nós ;

Pr. Marcos Serafim

7 de abr de 2010

Salmo 15

Salmo 15

Senhor, quem habitará no teu santuário?
Quem poderá morar no teu santo monte?
Aquele que é integro em sua conduta,
e pratica o que é justo,
que de coração fala a verdade
E não usa a língua para difamar,
que nenhum mal faz ao seu semelhante
e não lança calunia contra o seu próximo,
Que rejeita quem merece desprezo,
mas honra os que temem o Senhor,
que mantém a sua palavra ,
mesmo quando sai prejudicado.
Que não empresta o seu dinheiro,
visando lucro,
nem aceita suborno contra o inocente
Quem assim procede,
nunca será abalado!

Em tempos de tanta crise por parte da classe eclesiástica, será que alguns líderes de destaque conseguem ou têm coragem para pregarem este Salmo?

Calvário, a maior expressão do amor de Deus,

Pr. Marcos Serafim

3 de abr de 2010

Há pastores despóticos no ministério

Há muitos pastores que governam o povo com rigor desmesurado. Agem com truculência e despotismo com as ovelhas de Deus. Dominam o povo com autoritarismo. Tripudiam sobre aqueles que questionam o seu modelo.
O autoritarismo é uma espécie de insegurança , É complexo de inferioridade travestido de complexo de superioridade.É medo de dividir o poder e ser rejeitado.Uma liderança imposta não tem valor.Uma liderança estabelecido pelo medo não é digna de um cristão.Eric Fromm, ilustre psiquiatra , diz que há dois tipos de autoridade : a autoridade imposta e a autoridade adquirida. O nosso modelo de liderança é aquele exercido por Jesus . Ele foi líder servo.A liderança não e posto de privilégios, mas uma plataforma de serviço. O líder não é quele que grita mais alto, mas aquele que conquista o coração de todos pelo exemplo e serve os liderados com amor. O apostolo Pedro diz que o presbítero não deve agir como dominador do rebanho , mas como seu modelo.
O apostolo João denunciou a pratica egoísta e truculenta de Diótrefes, que gostava de ter primazia na igreja.Ele via cada pessoa que chegava a igreja como rival, e não como um parceiro.Ele se sentia ameaçado pela presença dos crentes novos .E não apenas deixava de receber as pessoas com amor , mas se esforçava para retira-los da igreja e afasta-las do seu caminho de vaidades. Para Diótrefes , o ministério era uma plataforma de autopromoção e não uma oportunidade para servir


Pelos laços do Calvário que nos une,

Pr. Marcos Serafim Silva

Fonte : Lopes , Rev.Hernandes Dias , de pastor a pastor , p. 24,25