16 de jul de 2010

Aspectos de uma igreja vitoriosa




“E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e a comunhão, ao partir do pão e às orações” – Atos 2.42
A igreja de Cristo é edificada sobre o “... fundamento dos apóstolos e dos profetas, de que Jesus Cristo é a principal pedra de esquina” (Ef. 2.20).

1- Perseverava na doutrina dos apóstolos:


Após a ascensão de Cristo; a igreja que foi fundada por Ele e por seus ensinos, agora dependia da ação daqueles que foram escolhidos por Cristo para serem seus enviados e a ganhar almas para seu reino.
Os apóstolos estavam diariamente no templo, e a membresia da igreja primitiva seguia unânimes, ouvindo os ensinamentos daqueles que aprenderam com Jesus.
Desta forma e através dos ensinamentos baseados na palavra do mestre:- “E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura”. (Mc. 16.15)
Este é o resumo dos elementos essenciais necessários no discipulado cristão. Eram elementos que os apóstolos haviam aprendido de usa experiência com Jesus; seu ensinamento de sua pessoa e obra (MT. 16-18-19; Lc.24.46) e sobre responsabilidade deles com seus seguidores(MT 5-7).


2- Comunhão
Do grego Koinônia : “comunidade , comunalidade , comunhão , inclui dois elementos , cada um deles estimula o outro, como se explica adiante : (1) aprofundamento da amizade e (2) desenvolvendo visão,objetivos e prioridade em comum (Novo Testamento Judaico).
A igreja primitiva era uma igreja com demonstração de unidade no Espírito, eram uniformes no pensamento, estavam de acordo inclusive nos negócios administrativos do começo da igreja. E o que fica claro que por causa da comunhão a igreja primitiva crescia em pelo menos quatro aspectos:

a) A igreja crescia organicamente:
Estava arraigada na palavra , quando a igreja está fundamentada na palavra a tendência e que se tenha uma igreja bem estruturada nos seus diversos departamentos , inclusive em finanças.
“E era um o coração e a alma da multidão dos que criam, e ninguém dizia que coisa alguma do que possuía era sua própria, mas todas as coisas lhes eram comuns”.
“Não havia, pois, entre eles necessitado algum; porque todos os que possuíam herdades ou casas, vendendo-as, traziam o preço do que fora vendido, e o depositavam aos pés dos apóstolos”.
“Então José, cognominado pelos apóstolos, Barnabé (que, traduzido, é Filho da consolação), levita, natural de Chipre. Possuindo uma herdade, vendeu-a, e trouxe o preço, e o depositou aos pés dos apóstolos”. (Atos dos Apóstolos 4.32,34, 36,37)

b) A igreja crescia em fé conceitual:
Fé é crer no incrível, aceitar o impossível, e mover o invisível, esta fé movia o coração dos primeiros cristãos que apesar de estar começando sua caminhada e direcionamento da primeira igreja era consciente que a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam e prova das coisas que se não vêem, e isso os garantia a fé conceitual, capaz de mover as mais densas barreiras.
“Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo, a nossa fé”. (1Jo 5:4)
“E muitos sinais e prodígios eram feitos entre o povo pelas mãos dos apóstolos. E estavam todos de comum acordo no pórtico de Salomão”.
“Dos outros, porém, nenhum ousava ajuntar-se a eles; mas o povo os tinha em grande estima (alto conceito)”; (Atos 5.12,13).

c) A igreja crescia no serviço diaconal
A diaconia significa o ato de exercer o diaconato, ou seja, é quando um diacono exerce sua designação: ser ajudante do líder de uma igreja local.
Cada cristão ou pessoa que estava salva aderia a este singelo movimento do Espírito.
Com o crescimento da igreja havia necessidade de crescer também no serviço diaconal, ou seja, separar alguns dentre o crescente numero de discípulos para servirem na distribuição diária de alimento. A diaconia bíblica não se caracteriza por poder e proeminência, mas por serviço ao próximo, por cuidados pastorais.
Alguns aspectos caracterizavam a escolha destes homens que serviriam:
c1.1) Deveriam ser cheios do Espírito
c1.2) Deveriam ser cheios de sabedoria , alem do apostolo Paulo destacar outras qualidades que o serviço diaconal precisa ter: Da mesma sorte os diáconos sejam honestos, não de língua dobre, não dados a muito vinho, não cobiçosos de torpe ganância;
Os diáconos sejam maridos de uma só mulher, e governem bem a seus filhos e suas próprias casas.
Porque os que servirem bem como diáconos, adquirirão para si uma boa posição e muita confiança na fé que há em Cristo Jesus. (1 Tim. 3.8,12,13).
Cabe a todos que servem a Cristo exercerem uma boa diaconia.

d) A igreja crescia numericamente
De sorte que foram batizados os que de bom grado receberam a sua palavra; e naquele dia agregaram-se quase três mil almas. (Atos2. 41)
E todos os dias acrescentava o Senhor à igreja aqueles que se haviam de salvar. (Atos 2.47).
Também das cidades circunvizinhas afluía muita gente a Jerusalém, conduzindo enfermos e atormentados de espíritos imundos, os quais eram todos curados. (Atos 5.16).
E divulgava-se a palavra de Deus, de sorte que se multiplicava muito o número dos discípulos em Jerusalém e muitos sacerdotes obedeciam à fé. (Atos 6.7).
A igreja prosperava e crescia numericamente, mas a ordem de Jesus era atingir os confins da terra, e não ficar estagnado, em inércia, mas a ordem era: “... e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém, como em toda a Judéia e Samária, e até os confins da terra. (Atos1.8b)
Muitos, porém, dos que ouviram a palavra creram, e chegou o número desses homens a quase cinco mil.(Atos 4.4)

3- No partir do pão
Alguns cristãos supõem que isto se refere a “tomar a ceia”, e tem idéia de crentes primitivos encontrando-se nas casas para a celebração da ceia do Senhor.
O contexto principal não e o do cristianismo do século XXI, mas o judaísmo do primeiro século. Para os judeus daquela época e para os de hoje a comunhão é mediada por refeições. Dizer que os judeus messiânicos partiam o pão é afirmar, nada menos, nada mais, que eles faziam as refeições juntos.
É preciso captar o significado que comer junto tem. Antes de mais quando é possível, os judeus religiosos começam a refeição com um pão e recitam o b’rakhah, então levam um pedaço de pão e o comem , para que a benção de Deus , específica para a provisão do pão para comer não tenha sido recitada em vão.

Considere esse trecho do Mishna:

“O rabino El’azar ben-‘Azaryah(Sec.I e II E.C) disse “... se não houver refeição não há (estudo da) Torá , e se não houver (estudo da) Torá não há refeição”.

Na igreja em Jerusalém em seu principio grande união, alegria e singela de coração no aspecto também social, o que mantinha a igreja unida e tendo tudo em comum, inclusive nas refeições, em suas casas e juntos participavam das refeições diárias.
“... e ninguém dizia que coisa alguma do que possuía era sua própria, mas todas as coisas lhes eram comuns”. (Atos 4.32b)
“Não havia, pois, entre eles necessitado algum; porque todos os que possuíam herdades ou casas, vendendo-as, traziam o preço do que fora vendido, e o depositavam aos pés dos apóstolos”. (Atos 4.34).
“E a multidão dos que criam no Senhor, tanto homens como mulheres, crescia cada vez mais”. (Atos 5.14)
A igreja pertence ao Senhor e ele é que soberanamente constrói sua igreja.

4- Orações
Tanto as orações judaicas mandatórias, quanto nos momentos de em que se derrama espontaneamente o coração diante do Senhor.
A oração fazia parte da igreja primitiva, seus lideres estavam em constante oração “... Pedro e João subiam ao templo à hora da oração, a nona (três horas da tarde)” (Atos 3.1).Todos estavam cheios de temor, e muitas maravilhas e sinais eram feitos pelos apóstolos. A oração é a mais poderosa arma do pregador. É em si mesmo uma força onipotente e dá vida e força a tudo. Através da oração os apóstolos continuavam a falar do Cristo ressurreto e a grandiosa graça de Deus estava sobre eles.
“E muitos sinais e prodígios eram feitos entre o povo pelas mãos dos apóstolos”. (Atos 5.12ª).
Os milagres iam acontecendo na igreja primitiva, mas pela constante oração na qual Jesus os ensinou várias vezes, através de sua atitude de se retirar para longos períodos de oração, e assim seus discípulos, que agora estavam no comando da igreja aprenderam e em continuo estavam a praticá-la.
“E eis que sobre vós envio a promessa de meu Pai; ficai, porém, na cidade, até que do alto sejais revestidos de poder”. (Lc. 24.49)
O poder recebido de Cristo pelos apóstolos impeliu - os a operarem em seu nome grandes sinais e maravilhas.
“A ponto de transportarem os enfermos para as ruas, e os porem em leitos e macas, para que ao passar Pedro, ao menos sua sombra cobrisse alguns deles”. (Atos 5.15).
A igreja primitiva orientada pelas colunas da igreja se reunia e crescia também em oração, e coisas maravilhosas aconteciam sempre e isso trazia temor e perplexidade a todos.
“Pedro, pois, era guardado na prisão; mas a igreja fazia contínua oração por ele a Deus”. (Atos 12.5)
“E, considerando ele nisto, foi à casa de Maria, mãe de João, que tinha por sobrenome Marcos, onde muitos estavam reunidos e oravam”. (Atos 12.12)
"Aqueles que deixaram a mais profunda marca nesta Terra amaldiçoada pelo pecado foram homens e mulheres de oração. Você descobrirá que a oração é a força poderosa que tem movido não somente a mão de Deus, mas também o homem." (D.L. Moody -1837-1899).
"A boa pregação nasce da boa oração." (John Piper -1946)
"A oração é o encontro da sede de Deus e da sede do homem.” (Agostinho de Hipona - 354-430 d.C)
Quando oramos, oxigenamos a nossa alma e respiramos o ar puro do Espírito, neste mundo carcomido pelo pecado. (Marcos Serafim Silva)

Em Cristo,

Pr. Marcos Serafim Silva