31 de mar de 2009

Singela Exegese do Salmo 23

1 – O Senhor é o meu pastor, nada me faltara.
2- Deitar-me faz em verdes pastos, guia-me mansamente a águas tranqüilas.
3- Refrigera a minha alma; guia-me pelas veredas da justiça, por amor do seu nome.
4- Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e teu cajado me consolam.
5- Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos, unges a minha cabeça com óleo, o meu cálice transborda.
6- Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na casa do Senhor por longos dias.

Introdução:

O Salmo 23 é, sem duvida, o mais conhecido e querido de todos os Salmos. Nenhum outro salmo toca tão profundamente em nossas emoções, fala da paz e serenidade tão profundas, que nem sequer a ameaça da sombra da morte pode perturbá-las. Há neste cântico (salmo) sublime o conceito de confiança nos cuidados que Deus nos dedica ilustrados pelo relacionamento entre o Pastor e as ovelhas.
Embora a linguagem seja simples e o significado claro, ninguém foi capaz de exaurir a mensagem do poema ou melhorar sua beleza tranqüila.
O Salmo do Bom Pastor, este tem sido chamado “A Perola dos Salmos”.
Davi escreveu sobre o cuidado que o pastor tem com a ovelha, Davi conhecia bem o que estava escrevendo, pois estava acostumado a lidar com ovelhas, conforme 1 Sm. 16 11.
· “Disse mais Samuel a Jessé. Acabaram os jovens? Ainda falta, e eis que apascenta as ovelhas”.
Scroggie escreve sobre o Salmo 23 o seguinte: “Com este salmo milhares tem vivido, na fé dele milhares tem morrido. Que mais podemos querer do que o Cristo aqui revelado? Ninguém o conhece como seu Pastor que não o conheça com seu Salvador”.
Este Salmo é atribuído a Davi, conforme a tradição judaica; Davi provavelmente teria escrito este Salmo quando estava cercado em um oásis, à noite por tropas de um rei inimigo, daí o salmo inserir tamanha confiança na providencia divina contra os inimigos.

Interpretação Textual

Temática: Pastoreando Ovelhas.

1- O Senhor é o meu pastor, nada me faltará.
1.1- O Senhor é o meu pastor

No Hebraico Jeová – Raá (O Senhor é o Pastor), fala da soberania do Pastor, da excelência do relacionamento entre pastor e ovelha, pois o pastor é quem conduz, guia , governa, sustenta, alimenta. As ovelhas por sua vez o seguem obedecem, amam e confiam no Pastor.
O salmista conhecia reis, profetas, sacerdotes, generais, mas para expressar melhor a sua visão de Deus , tomou emprestada a figura de um bondoso pastor de ovelhas, e o seu relacionamento com o rebanho.
Davi sabia o que era ser pastor, pois exercera esta atividade quando jovem.

· Salmos 78.70, 71 - Também elegeu a Davi seu servo, e o tirou dos apriscos das ovelhas; E o tirou do cuidado das que se acharam prenhes; para apascentar a Jacó, seu povo, e a Israel, sua herança.

1.2 - Nada me faltará
Jeová- Jiré : o Senhor que provê

Fala do cuidado e do amor de Deus para com seus servos, individualmente e coletivamente.
Ele não deixa faltar nada que seja útil e necessário à vida do crente fiel que se comporta como ovelha, buscando obedecê-lo e fazendo sua vontade. Se o Bom Pastor não nos dá algo é porque, certamente não é bom para nós. Mas tudo aquilo de que necessitamos para nosso bem.

2,3 - Deitar-me faz em verdes pastos, guia-me mansamente a águas tranquilas.
Refrigera a minha alma; guia- me pelas veredas da justiça por amor do seu nome.

O Bom Pastor se preocupa com o seu rebanho, pois ele não lhe qualquer tipo de pastagem. Ele sonda primeiro o pasto e certifica-se de que aquele pasto é apropriado para alimentar a sua ovelha.
O Bom Pastor sabe que quanto melhor alimentada esteja sua ovelha melhor rendimento esta lhe dará.
A ovelha produz leite e lã, que servem de fonte de renda para cuidar do Pastor, Jesus disse:

· João 10.9 - Eu sou a porta; se alguém entrar por mim, salvar-se-á, e entrará, e sairá, e achará pastagens.

O Pastor cuidadoso leva as ovelhas a se alimentarem nos verdes pastos, diante de águas tranquilas, apropriadas para dessedentar-lhes a sede, como a ovelha tem medo de águas muito agitadas o sábio pastor conduz para uma fonte calma, onde possa beber sossegada.
Em meio ao calor sufocante, o pastor procurava lugares altos, onde as ovelhas pudessem sentir o soprar do vento suave, Nosso pastor Jesus, nos refrigera a alma. Ele prometeu e enviou o Consolador.

· Isaias 41.10 - Não temas, porque eu sou contigo; não te assombres, porque eu sou teu Deus; eu te fortaleço, e te ajudo, e te sustento com a destra da minha justiça.

4- Ainda que eu andasse pelo vale da sombra e da morte, não temeria mal algum, por que tu estas comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam.

O pastor tem que garantir a segurança da ovelha, Jesus disse:

· João 10.11 - Eu sou o bom Pastor; o bom Pastor dá a sua vida pelas ovelhas.

Davi sabia bem o que era o vale da sombra e da morte, pois na vida havia enfrentado muitos vales tais:
· O desafio com Golias
· Os constantes enfrentamentos com seu sogro Saul , porem havia segurança em Davi pois tinha o Senhor como seu Protetor, e nada podia abalar-lhe.

Neste verso destacam-se duas ferramentas de uso do Pastor:
1) Vara – Em Hebraico shábet , instrumento de defesa usada pelos pastores de ovelhas para afugentar lobos, leões e ursos, Era uma espécie de bastão na muito longo, porem muito resistente. Vara nas escrituras representa autoridade, correção, Jesus disse:

· João 10. 12 – 15: Mas o mercenário, e o que não é pastor, de quem não são as ovelhas, vê vir o lobo, e deixa as ovelhas, e foge; e o lobo as arrebata e dispersa as ovelhas. Ora, o mercenário foge, porque é mercenário, e não tem cuidado das ovelhas. Eu sou o bom Pastor, e conheço as minhas ovelhas, e das minhas sou conhecido. Assim como o Pai me conhece a mim, também eu conheço o Pai, e dou a minha vida pelas ovelhas.

2) Cajado – Segundo Matthew Henry, o cajado é um instrumento distinto da vara, usado para resgatar a ovelha quando caem em algum precipício, podendo içá-las.
Como instrumento de misericórdia, o cajado fala de proteção e é indicado para dar direção.

Parábola da ovelha perdida: (Lucas 15: 4- 7)
Que homem dentre vós, tendo cem ovelhas, e perdendo uma delas, não deixa no deserto as noventa e nove, e não vai após a perdida até que venha a achá-la?
E achando-a, a põe sobre os seus ombros, gostoso;
E, chegando a casa, convoca os amigos e vizinhos, dizendo-lhes: Alegrai-vos comigo, porque já achei a minha ovelha perdida.
Digo-vos que assim haverá alegria no céu por um pecador que se arrepende, mais do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento.

5- Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos, unges a minha cabeça com óleo, o meu cálice transborda.

Azeite usado para tratar as feridas das ovelhas.
O bom anfitrião, na Palestina ungia o visitante com óleo, era um gesto de honra, neste salmo o Senhor unge sua ovelha com óleo, ou azeite perfumado, representando a unção de Deus através de seu Espírito Santo.
Pelo motivo de as narinas da ovelha ser facilmente feridas ou infectadas: o pastor utiliza óleo como agente de cura e proteção. Onde há moscas que podem perturbar as ovelhas, o óleo as mantém afastadas. Quando o óleo é aplicado sobre a ovelha ela muda imediatamente o seu comportamento, acaba a irritação e a inquietude. A ovelha volta a pastar com tranquilidade e permanece em pacifico contentamento.


Em Cristo , no amor de Deus Marcos

28 de mar de 2009

O real significado da Pesach



"No mês primeiro, aos catorze do mês, pela tarde, é a páscoa do Senhor". ( Levítico 23.5)

A páscoa é para Israel o que é o dia da independência para um país e mais ainda . O ultimo juízo sobre o Egito e as provisões do sacrifício pascoais possibilitaram o livramento da escravidão e a peregrinação do povo para a terra prometida . A páscoa é , segundo o Novo Testamento , um símbolo profético da morte de Cristo , da salvação e do andar pela fé a partir da redenção, alem de livramento do Egito , a páscoa se constitui em primeiro dia do ano religioso dos hebreus e o começo de sua vida nacional. Ocorreu no mês de Abibe (chamado Nisã na historia posterior) , que corresponde aos nossos aos nossos meses de março e abril.
É sugerido por alguns historiadores que muitos dos atuais símbolos ligados à Páscoa (especialmente os ovos de chocolate e o coelhinho da páscoa são resquícios culturais da festividade de primavera em honra de Eostre que, depois, foram assimilados às celebrações cristãs do Pesach, depois da cristianização dos pagãos germânicos. Contudo, já os persas, romanos, judeus e armênios tinham o hábito de oferecer e receber ovos coloridos por esta época.Ishtar tinha alguns rituais de caráter sexual, uma vez que era a deusa da fertilidade, outros rituais tinham a ver com libações e outras ofertas corporais.Um ritual importante ocorria no equinócio da primavera, onde os participantes pintavam e decoravam ovos (símbolo da fertilidade) e os escondiam e enterravam em tocas nos campos. Este ritual foi adaptado pela Igreja Catolica no principio do 1º milênio depois de Cristo, fundindo-a com outra festa popular da altura chamada de Páscoa. Mesmo assim, o ritual da decoração dos ovos de Páscoa mantém-se). um). pouco por todo o mundo nesta festa, quando ocorre o equinócio da primavera.
A palavra páscoa (hebraico – pesach), significa “passar de largo”, pois o anjo destruidor passou de largo as casas onde havia sido aplicado o sangue nas ombreiras e na verga da porta.
Êxodo 12. 2 - Este mesmo mês vos será o princípio dos meses; este vos será o primeiro dos meses do ano.
Aqui o mês é designado pelo nome cananeu Abibe – trigo recém-amadurecido e mais tarde pelo nome babilônico de Nisan (Ne. 2:1) e corresponde a março-abril no calendário ocidental. Páscoa , portanto , era o mesmo tempo uma festa da primavera e uma festa de ano novo, embora haja necessidades de acrescentar a tais comemorações as praticas sugeridas por estudiosos de religiões comparadas. Na Bíblia , a Páscoa era uma festa da primavera por que Israel saiu do Egito na primavera.

Êxodo 12 .3 , 5 - “Falai a toda a congregação de Israel, dizendo: Aos dez deste mês tome cada um para si um cordeiro, segundo as casas dos pais, um cordeiro para cada família. O cordeiro, ou cabrito será sem mácula, um macho de um ano, o qual tomareis das ovelhas ou das cabras”.

O animal para o sacrifico deveria ser um cordeiro macho de um ano sem manchas perfeito. Cordeiro , o termo hebraico , ´seh , é neutro e deveria ser traduzida “cabeça de gado” (miúdo) , aplicável igualmente para ovelhas e cabras de qualquer idade.
As traduções modernas , que contem a expressão “macho de um ano” , estão forçando idéias ocidentais de cronologia a um texto asiático. Em qualquer caso, porem , e apenas esta descrição de sua idade que nos mostra que o sacrifício deveria ser um “cordeiro” e não uma “ovelha” adulta.O animal para o sacrifício deveria ser um cordeiro macho plenamente desenvolvido e na plenitude de sua vida , apontando simbolicamente para Jesus que morreu com 33 anos aproximadamente, e o cordeiro tinha que ser sem macula e os israelitas o guardavam durante quatro dias em casa , de igual maneira Jesus impecável e foi provado durante quarenta dias no deserto.
Êxodo 12.6“E o guardareis até ao décimo quarto dia deste mês, e todo o ajuntamento da congregação de Israel o sacrificará à tarde”.

No crepúsculo da tarde , literalmente “entre as duas noites” . Estudiosos judeus não chegam a um acordo quanto ao significativo exato da frase. E expressão é usada para descrever a hora do sacrifício vespertino regular , e a hora em que as lâmpadas da tenda da congregação erma acessas . O pietismo ortodoxo do judaísmo farisaico entendia a frase como uma referencia ao período da tarde entre a hora em que o calor do sol começava a diminuir (3 a 4 horas) e o pôr-do-sol. Outros grupos preferiam o período entre o pôr-do-sol e a escuridão. O cordeiro foi sacrificado pela tarde como substituto do primogênito. Por isso morreram os primogênitos das casas egípcias que não creram. Aprendemos que o salário do pecado é a morte , porem Deus proveu um substituto que foi ferido pelas nossas transgressões.

Êxodo 12.7, 8 - “E tomarão do sangue, e pô-lo-ão em ambas as ombreiras, e na verga da porta, nas casas em que o comerem. E naquela noite comerão a carne assada no fogo, com pães ázimos; com ervas amargosas a comerão.”

Os israelitas tinham que aplicar sangue nas ombreiras e na verga das portas, indicando sua fé pessoal . No Cristianismo na basta crer que Cristo morreu pelos pecados do mundo; somente quando pela fé o sangue de Jesus é aplicado ao coração da pessoa está ela salva da ira de Deus.As pessoas tinham que ficar dentro de casa , protegidas pelo sangue , tinham de assar a carne do cordeiro e come-la com pão sem fermento e ervas amargas. O fato de assar em vez de coser o cordeiro exemplifica a perfeição do sacrifício de Cristo , o pão sem fermento simbolizava a sinceridade e a verdade , e as ervas amargas (muito provavelmente alface selvagem) provavelmente representavam as dificuldades e as provações que acompanham a redenção. O evangelista pode ter visto aqui a chave para a “mirra” amarga que foi misturada com o vinagre oferecido a Cristo na cruz (Mc 15:23) especialmente tendo-se em vista que Ele era considerado a vitima pascal (1 Cor. 5.7).

Êxodo 12.11- “Assim pois o comereis: Os vossos lombos cingidos, os vossos sapatos nos pés, e o vosso cajado na mão; e o comereis apressadamente; esta é a páscoa do Senhor”.

Os israelitas deveriam comê-lo em pé e vestidos como viajantes a fim de que estivessem preparados para o momento de partida , assim o crente deve estar pronto para o grande êxodo final quando Jesus vier.
A importância desta festa é demonstrada pelo fato de que na época de Cristo era a festa por excelência , a grande festa dos judeus . O rito não só olhava retrospectivamente para aquela noite no Egito mas também antecipadamente para o dia da crucificação. A santa ceia é algo parecido com a páscoa e a substitui no Cristianismo , de igual maneira esta olha em duas direções : atrás , para a cruz, e adiante para a segunda vinda.

Mateus 26.19“E os discípulos fizeram como Jesus lhes ordenara, e prepararam a páscoa.”

A ultima ceia é compreendida pela maioria dos acadêmicos com tendo sido uma refeição de páscoa , ou Seder . Muitos temas do Pesach são aprofundados , reforçados e ganham níveis de entendimento devido aos eventos da vida de Yeshua . o Messias e às suas palavras nesta noite.No entanto Joseph Shulam sugeriu que pode ter sido ou não uma Seder mais um se´udat –mitzvah, banquete celebratório que acompanha a desempenho de um mandamento, tal qual um casamento.
Seder , literalmente pedido , no entanto se refere à cerimônia solicitada e à refeição feita na semana da Páscoa . Atualmente , a seqüência de eventos, orações recitais e alimento a serem comidos são estabelecida no Haggadah (literalmente , contar) que conta a historia bíblica do Êxodo do Egito com um embelezamento rabínico . Muitas características do Seder atual , já estavam presente na época de Jesus.
A Páscoa é uma comemoração muito importante na vida do crente, ela é sinônima de libertação (Ex 12:17, 42; Dt 16.3) entende-se também como início de novos rumos, da nova caminhada em direção a uma vida santa e segundo o coração de Deus. Sua instituição foi ordenada por Deus (Ex 12.1,2 e Jo 2.23), a observação pelos filhos de Deus deve ser contínua (Ex 12.28,50), a exemplo do Senhor Jesus, que junto a seus discípulos a comeu (Mt 26,17-20).
Em Cristo , a nossa Páscoa , Sola Fide Marcos

Obras consultadas : Comentário Judaico do Novo Testamento – David H. Stern
O Pentateuco – Paul Hoff
Êxodo – Introdução e comentários – R. Alan Cole
pt.wikipedia.org/wiki/Páscoa
www.vivos.com.br

27 de mar de 2009

Você é responsável pelo que joga dentro de você


"Vês aqui, hoje te tenho proposto a vida e o bem, e a morte e o mal" (Deuteronômio 30.15)


Nós somos os únicos responsáveis pelas coisas que jogamos dentro de nós. Se não somos totalmente responsáveis, pelo menos, temos o controle da grande maioria das coisas que comemos, lemos, assistimos, ouvimos e tocamos. Assim, temos que assumir o controle do que permitimos entrar em nós pelos nossos sentidos. Se não assumirmos esse controle, outras pessoas assumirão e aí perderemos o domínio de nós próprios. Temos que controlar o que comemos. O sábio não é o que come mais. É o que come melhor, com mais sabedoria. É o que não se enche de comida de má qualidade, sem pensar no que está ingerindo. Temos que controlar o que bebemos. O sábio não é o que bebe qualquer coisa em grande quantidade. É o que sabe o que beber como beber, quando beber. É o que sabe o valor dos líquidos para a nossa saúde e seleciona o que bebe. Temos que controlar o que lemos. O sábio não lê qualquer coisa. Não se permite encher sua cabeça com informação que não o conduzirá à maior sabedoria, ao sucesso ou ao crescimento pessoal, espiritual, intelectual. Assim, temos que selecionar os jornais, as revistas e os livros que lemos. Se lermos notícias ruins, revistas de péssimo conteúdo e livros que nada nos agregam, a culpa será nossa de termos uma vida de baixa qualidade intelectual e espiritual. Temos que controlar o que vemos. Se ficarmos defronte ao televisor assistindo programas de baixa qualidade, nos tornaremos a cada dia piores, sem conteúdo, terminaremos o dia piores do que começamos não nos sentiremos crescendo, nem pessoal, nem profissionalmente. O nosso intelecto e o nosso espírito nada terão ganhado. Apenas perdemos um tempo irrecuperável e ainda nos prejudicamos, enchendo a nossa mente de coisas de baixo valor. Temos que controlar com quem conversamos. Se somente conversarmos com pessoas sem conteúdo, sem valores morais e éticos, é claro que seremos influenciados por elas e andaremos para trás, sem sucesso na vida. O mundo de hoje nos oferece muitas opções. Cabe a nós decidir o que fazer o que usar o que comer o que permitir que seja jogado dentrode nós. Temos a liberdade de fazer as escolhas certas ou erradas. Só cabe a nós a decisão, a responsabilidade. As conseqüências serão sós nossas. Portanto, veja bem o que você está jogando dentro de você. Pense nisso. Sucesso!

Texto de Luis Marins

Em Cristo Marcos

24 de mar de 2009

Razões para Pastorear


“Mas tu, sê sóbrio em tudo, sofre as aflições, faze a obra de um evangelista, cumpre o teu ministério”. ( 2 Timoteo 4.5)


Iniciei minha trajetória ministerial muito cedo, desde muito jovem sabia da vocação para qual fui chamado, entendo que o ministério é uma chamada ao sacrifício e não uma carreira de fama.
Iniciei como cooperador durante um bom tempo, sendo levado ao diaconato após três de casado, e depois de um ano,ao ministério do presbitério , após um ano ao Santo Ministério , sirvo ao Senhor com muita alegria na Assembleia de Deus em Osasco , no ministério carinhosamente chamado por nós de Belenzinho, cujo Pastor Setorial é o pastor José Amaro da Silva , o qual me separou para todos os cargos eclesiásticos na igreja.
Aos 29 anos assumi a primeira congregação no setor de Osasco , em um bairro da nossa cidade chamado Vila Yolanda , uma simples igreja mais de um povo maravilhoso, no qual pastorei por 3 anos , 6 meses e 21 dias , sendo transferido para a igreja que no momento estou pastor a quase 2 anos.
A igreja que no momento pastoreio é uma igreja muito bela , com vários departamentos , uma igreja simplesmente formidável que enche os olhos de qualquer pastor , pelo modo de tratamento, por ser um povo amável , uma congregação com aproximadamente 250 membros, sinto muito prazer em pastoreá-la, porém esta não é a única razão em pastorear. Pois entendo que pastorear é algo muito mais sublime que uma bela igreja , um belo povo, um ministério atuante , quero neste espaço expressar algumas razões para que tenho para pastorear:

1. Pastoreio, por que sou convicto da chamada de Deus minha para vida.
2. Pastoreio, não por obrigação , mas por prazer.
3. Pastoreio, por que creio que pastores são dados por Deus.
4. Pastoreio, por que entendo que o bom pastor dá a vida pelas ovelhas.
5. Pastoreio , por que pastorear não é só entender de teologia, ortodoxia, antropologia, é acima de tudo amar suas ovelhas acima de qualquer coisa.
6. Pastoreio, por que pastorear para mim é uma chamada ao sacrifício, e se receber algum aplauso irei me gloriar na Cruz de Cristo.
7. Pastoreio, por arder em meu coração uma chama viva pelas almas sedentas de Cristo.
8. Pastoreio, não para ter status , por que não me preocupo com isso.
9. Pastoreio não para ser bajulado , ovacionado, mas para levar a preciosa mensagem do calvário.
10. Pastoreio, por que os que levam a preciosa semente gemendo e chorando trarão consigo seus molhos.
11. Pastoreio não para ser carregado no colo pela multidão , mas para em momentos carregar a cruz sozinho.
12. Pastoreio por que como Paulo diz : “Porque, se anuncio o evangelho, não tenho de que me gloriar, pois me é imposta essa obrigação; e ai de mim, se não anunciar o evangelho!” (1 Co 9.16)
13. Pastoreio não pelos lauréis , mas pelos espinhos.
14. Pastoreio não somente pelos espinhos , pastoreio com paixão, pois o ministério me provoca isto.
15. Pastoreio não por ser um pregador eloquente , um exegeta nato, mas por entender que a mensagem da Cruz é simples.
16. Pastoreio como o apostolo Paulo afirma : “Esta é uma palavra fiel: se alguém deseja o episcopado, excelente obra deseja”. (1 Timóteo 3.1)
17. Pastoreio pelo prazer de fazer amigos na congregação .
18. Pastoreio por que entendo que o ministério é feito de submissão.
19. Pastoreio por que entendo que Jesus foi, é e será o maior Pastor de todos os tempos.
20. Enfim pastoreio porque pastores não são dados pelos homens e sim por Deus como diz a palavra de Deus: “E dar-vos-eis pastores segundo o meu coração, os quais vos apascentarão com ciência e com inteligência.” (Jr 3.15).
O exercício pastoral traz um peso de responsabilidade sobre nós, pois ao recebermos a ordenação, ou a licença para o exercício de tal ministério, já não somos mais pessoas comuns. Ser pastor no Brasil, por hora, é ainda ser pessoas a quem a sociedade, ou parte dela deposita créditos , e esperam que honre no ministério o nome do Deus que declaram crer e da Instituição (igreja) a qual representam.
Levo muito a serio meu chamado ao ministério , se alguém o faz sem honra , sem cuidado deve rever seus conceitos ministeriais, ou então deixa-lo para quem quer dar o melhor de si.
Termino da mesma forma que comecei citando o apóstolo São Paulo a 2 Timoteo 4.5:
“Mas tu, sê sóbrio em tudo, sofre as aflições, faze a obra de um evangelista, cumpre o teu ministério.”

Em Cristo Sola Gratia et Sola Fide, vosso conservo Marcos.
Ps. Foto acima é a igreja, onde estou pastor, no dia do meu aniversário.

Líderes como Absalão



“E enviou Absalão espias por todas as tribos de Israel, dizendo: Quando ouvirdes o som das trombetas, direis: Absalão reina em Hebrom” (2 Samauel 15.10)


Terceiro filho de Davi, rei de Israel , nascido em Hebrom , filho de Maaca , filha de Talmai, rei de Gesur ( 2 Sm. 3.3).
Foi um moço de notável beleza , dotado de mui lindos cabelos , porém vazio de bons intuitos .
De um modo geral , Absalão teria sido capaz de ser um excelente rei e o povo o amava , possuía sangue real tanto do lado do pai Davi , como da mãe Maaca.
Quando lemos sua historia registrada nos capítulos 13 a 18 de 2 Samuel podemos observar sua aptidão para ser um líder , pois possuía personalidade marcante e era uma pessoa carismática.De caráter forte, guardava mágoa em seu coração pela tragédia ocorrida com sua irmã Tamar , que havia sido violentada pelo meio irmão Ammom, e não sossegou até ver seu meio irmão morto.
Absalão seu deriva-se do hebraico ‘Abshalôm e ‘Abîshalôm, “meu pai é paz”, nome dado por Davi na ocasião de seu nascimento.
O seu caráter não era diferente de muitos personagens contemporâneos , e que na realidade reflete bem com a ambição pelo poder , transtornada em “ladinos” e “sagazes” , e por incrível que pareça muitos até no segmento evangélico que com esperteza galgam altas posições , não por mérito, mas por bajulações extrapoladas, ou por favores que alguns ficam devedores.
Suas ações são articuladas e muito bem planejados, tais como as de Absalão que com jeito carismático ou truculento fazem seu caminho rumo a ascensão do poder.
Não quero dizer que todos os que galgam posições elevadas na vida tanto secular com ministerial são frutos dessas inescrupulosas ações , mas creio piamente que Deus pode elevar o homem ao posto mais elevado que deseja alcançar por seus méritos , sua dedicação, seu empenho em fazer sua caminhada de maneira leal e a provação do Todo-Poderoso.Mas infelizmente alguns se valem dos recursos usados por Absalão para chegarem onde querem.
Absalão cometeu alguns erros , que nós se atentarmos bem não os incorremos:

1. Era Vingativo – 2 Samuel 13.28,29 - “E Absalão deu ordem aos seus servos, dizendo: Tomai sentido; quando o coração de Amnom estiver alegre do vinho, e eu vos disser: Feri a Amnom, então o matareis; não temais: porque porventura não sou eu quem vo- lo ordenei? Esforçai-vos, e sede valentes. E os servos de Absalão fizeram a Amnom como Absalão lho havia ordenado. Então todos os filhos do rei se levantaram, e montaram cada um no seu mulo, e fugiram.”
Este texto demonstra claramente que só estava esperando o momento certo para vingar o desfloramento que sua irmã sofrera por parte de seu meio irmão Ammom. Infelizmente vemos isso ocorrer em alguns lugares , cujas pessoas não gostam de ser questionadas quanto ao seu método de procedência , e apenas um questionamento serve de motivo para vingança , pois muito se sentem ameaçados, ou com medo de perder a cadeira , o posto.Lógico que temos que ter ética e moderação para tais questionamentos, pois muitos os fazem com segundas intenções para desestabilizar quem está no comando , ou colocar em cheque a idoneidade de alguém.A tais o Senhor reprova como diz a sua palavra - Minha é a vingança e a recompensa, ao tempo que resvalar o seu pé; porque o dia da sua ruína está próximo, e as coisas que lhes hão de suceder, se apressam a chegar (Dt. 32.35).
Não nos esqueçamos que vivemos um regime democrático , pelo menos assim espero.

2. Era egocêntrico – “Não havia, porém, em todo o Israel homem tão belo e tão aprazível como Absalão; desde a planta do pé até à cabeça não havia nele defeito algum.” (2 Sm. 14.25)
Sem duvida sua beleza , sua boa aparência contribuiu para seu egocentrismo , por que não houve uma correção de seu pai o Rei Davi nesse sentido.Absalão ao seu modo ia conquistando admiradores , seguidores , se alguém fosse cumprimentá-lo ia dava um passo a frente, gostava de receber elogios , gostava de ser bajulado não se importando se havia ou não rei em Israel , furtava o coração dos israelitas com sua bandeira de justiça e liberdade.
Meus caros, neste dias o que vemos são pessoas dessa natureza que colocam todos a sua volta , não se importando se há alguém superior a ele, achando-se superior a todos.
Egocentrismo segundo o dicionário de língua portuguesa é o individuo cuja visão do mundo parte sempre da sua própria personalidade, ou seja, ele não gosta de ser contrariado , alguém pode ter uma ideia melhor que a suam, porém sempre prevalecera a opinião ou ideia dele.
Infelizmente a lideres com essa natureza , que se alguém despontar um pouco mais que ele nas explanações bíblicas , tendo um pouco mais de conteúdo exegético , este estará fadado ao esquecimento.

3. Gostava de ostentar o poder - Sucedia também que, quando alguém se chegava a ele para se inclinar diante dele, ele estendia a sua mão, e pegava dele, e o beijava.(2Sm.15.5).
A estratégia política de Absalão era conquistar o coração das pessoas com sua boa aparência , uma entrada triunfal , uma aparente preocupação com a justiça e muitos abraços amigos.Muitos se deixaram enganar e mudaram sua submissão. Mais tarde , entretanto , Absalão revelou-se um governante cruel.
Podemos avaliar cuidadosamente os nossos lideres para termos certeza que seu carisma não é uma mascara que encobre a corrupção , o engano ou a ambição pelo poder. Devemos nos certificar de que sob seu carisma está alguém capaz de tomar boas decisões e cuidar sabiamente do povo.
Abraham Lincoln disse : “Se quiser por à prova o Caráter de um homem , dê-lhe poder”

4. Rebelião , bajulação , falsa religiosidade - E enviou Absalão espias por todas as tribos de Israel, dizendo: Quando ouvirdes o som das trombetas, direis: Absalão reina em Hebrom. (2 Sm 15.10)
Absalão foi a Hebrom porque era sua cidade natal , ela também fora a sede do governo de Davi , ela ele esperava encontrar amigos leais que se orgulhariam dele. Valia-se de sua personalidade magnética, do seu poder de comunicação e das ações comentadas e registradas nos versos anteriores, para instalar um governo que seria não somente despótico, como opressor e abertamente imoral (2 Sm 16.22). Que Deus nos guarde dos políticos conspiradores, que desrespeitam as leis e autoridades e que são egoístas em sua essência.
Em nome de uma falsa religiosidade muitos líderes atuais gostam de ser adulados por serviçais que estão ao seu comando. Está faltando gente leal em nossos dias , sem querer nada em troca, favores , cargos , simplesmente pelo prazer de servir. Paulo apóstolo de Cristo nos deixa uma importante lição em sua epístola aos Colossenses 3.22 : “Vós, servos, obedecei em tudo a vossos senhores segundo a carne, não servindo só na aparência, como para agradar aos homens, mas em simplicidade de coração, temendo a Deus.”
Quem não serve para servir , não serve para ser servido.

5. O final trágico de Absalão - (2Sm 18.9, 15) “E Absalão se encontrou com os servos de Davi; e Absalão ia montado num mulo; e, entrando o mulo debaixo dos espessos ramos de um grande carvalho, pegou-se-lhe a cabeça no carvalho, e ficou pendurado entre o céu e a terra; e o mulo, que estava debaixo dele, passou adiante. E o cercavam dez moços, que levaram as armas de Joabe. E feriram a Absalão, e o mataram”.
Após sua frustrada tentativa de rebelar-se contra Davi seu pai e rei em Israel , Absalão teve um trágico fim morreu pela mão daqueles que um dia foram de certa forma seus amigos, podia ter sido um excelente rei em Israel , mas por sua presunção acabou na historia da bíblia sem um péssimo exemplo de liderança.

A Bíblia registra inúmeras rebeliões . Muitas delas contra lideres escolhidos por Deus e todas foram condenadas ao fracasso.Outras foram iniciadas por homens perversos contra desobedientes à vontade de Deus . Embora alguns deles fossem algumas vezes vitoriosos , a vida de um rebelde geralmente termina com um fim trágico . Outras rebeliões foram feitas por pessoas de bem contra atos perversos ou injustos cometidos por alguém. Muitas vezes esse tipo de rebelião é positivo, pois serve para libertar o povo da opressão e dar-lhe a liberdade de voltar a Deus.
Espero que não haja Absalões em nosso meio, pois estarão fatidicamente condenados a fins tristes , pois eles não subsistirão na congregação dos justos.


Em Cristo Sola Gratia et Sola Fide, vosso conservo Marcos


Obras Consultadas : A Bíblia de Aplicação Pessoal – CPAD
Dicionário da Bíblia – John Davis
O Caráter do Político Astuto- Um estudo sobre a vida de Absalão – Solano Portela.

21 de mar de 2009

Cuidado : Idolatria é pecado.



Portanto, meus amados, fugi da idolatria. (I Coríntios 10.14)


Nesta tarde quando vinha embora para casa depois de um dia de trabalho , ouvi em uma radio da região Metropolitana de São Paulo, um locutor muito entusiasmado , dizer a seguinte frase :

“Venham para a igreja tal ... Haverá nesta noite de um verdadeiro derramar do Espírito Santo, pois estará presente um dos homens de Deus mais usados do mundo. Haverá curas, batismo no Espírito Santo, revelações, pois esse homem de Deus, é sem duvida nenhuma o maior pregador de todos os tempos”.
Ouvindo esta frase uma pergunta permeou-me a mente: Será que na igreja evangélica a quem idolatre a homens?
No texto acima citado o apostolo Paulo estava dizendo que a adoração era a principal expressão religiosa de Corinto. Existiam vários templos pagãos na cidade , e estes eram muitos populares , as imagens de madeira ou pedra não tinham nenhum mal em si, mas as pessoas lhes davam um credito que somente a Deus pertence , como proporcionar um bom clima , boas colheitas e filhos saudáveis . A idolatria ainda é um problema serio em nossos dias , mas de forma diferente. Não depositamos nossa confiança em estatuas de madeira e pedra , mas muitos o depositam no dinheiro e em cartões de credito – deus Mamom (do Hebraico). Depositar nossa confiança em qualquer coisa ou pessoa exceto Deus é idolatria. Nossos ídolos modernos são símbolos de poder , prazer ou prestigio que tanto consideramos . Quando entendemos os paralelos contemporâneos da idolatria , as palavras de Paulo – “fugi da idolatria” – se tornarão muito mais significativas.
A palavra idolatria herda dos radicais gregos eidolon + latreia, em que eidolon seria melhor traduzido por corpo, e latreia significando adoração, neste sentido representaria mais uma adoração às aparências corporais do que de imagens simplesmente. Por exemplo, um jovem pode idolatrar o corpo de uma mulher ao qual está apaixonado, atribuindo a ele fantasias, emoções e poderes metafísicos. Assim como pessoas que ao invés de adorar uma imagem no pedestal pode adorar a aparências das coisas, um eidolon, ou seja, um carro do ano, uma casa 'prometida por Deus', ou a roupa de fulano... continuando desta maneira tão idólatra quanto àqueles dos quais ele critica.
Surgem em nossos dias mais igrejas evangélicas com pregoeiros de milagres, marketeiros em nome da fé , homens que só pensam em si mesmo, intulando-se verdadeiros deuses, contrariando os preceitos bíblicos e por causa dos supostos milagres são ovacionados pelo povo , apresentam suas performances em verdadeiros cultos a si mesmo (Autolatria), querendo ser detentores de um pode r que só pertence a Deus.
Reconheço que no Brasil existam grandes pregadores , expositores da palavra , nomes que posso citar sem medo de errar, pois são homens com a vida ilibada ,que podem transmitir a Palavra de Deus usando seus métodos de ensino aprendidos de uma vida dedicada a Deus e ao longo estudo da palavra , dentre muitos expositores da palavra estão nomes dos quais ao meu modo de ver transmitem com seguridade a palavra de Deus.
Nomes conhecidos no Brasil e outros não tão conhecidos assim , mas que ao meu modo de ver transmitem com firmeza a palavra de Deus e tem a minha admiração , nomes como : Pastor Antonio Gilberto (para mim o maior teólogo da atualidade para as Assembléias de Deus – consultor teológico com vários compêndios escritos) , Pastor Jose Wellington Bezerra da Costa ( Presidente da CGADB E CONFRADESP) , Pastor Elienai Cabral, Pastor Geremias do Couto, Pastor Elinaldo Renovato de Lima , Pastor Jose Amaro da Silva (meu Pastor na AD em Osasco), Pastor Claudionor de Andrade, Pastor Ciro Sanches Zibordi, Pastor Gesanias de Oliveira (Pastor na AD em Osasco), Pastor Joel Moises da Silva (Pastor na AD em Osasco) , Pastor Cilas Silva( Pastor na AD em Osasco , este meu pai com quem aprendi a dar os primeiros passos no ministério, aquém sou eternamente grato pela educação cristã que aprendi), Pastor Esdras Costa Bentho, Pastor Josué Brandão, Pastor Russel Shedd , Pastor Paulo Romeiro, Pastor Natanael Rinaldi, e tantos outros muito bons ensinadores da Palavra, escrevo destes por que já os ouvi ensinar na reunião mensal na nossa igreja sede de São Paulo, aquém chamamos carinhosamente de Belenzinho, e tantos outros no Brasil afora.
Aprendi a reconhecer o talento que estes homens tem , porem me foi ensinado que a ninguém se deva idolatrar , pois idolatria é pecado (Não terás outros deuses diante de mim – Êxodo 20.3). Milagres , curas , batismo no Espírito Santo, dons espirituais não são dados pelos homens , mas sim por Deus.
Uma coisa tem que ficar clara para todos nós : somos apenas o vaso, a essência vem do alto produzida pelo Espírito Santo , e “Ninguém vos domine a seu bel-prazer com pretexto de humildade e culto dos anjos, envolvendo-se em coisas que não viu; estando debalde inchado na sua carnal compreensão”, diz o apostolo Paulo.

Em Cristo Sola Gratia et Sola Fide , vosso conservo Marcos
BAP – CPAD
Pt wikipedia.org/wiki/idolatria

19 de mar de 2009

Palavras da Cruz



“Porque a palavra da cruz é loucura para os que perecem; mas para nós, que somos salvos, é o poder de Deus”. (1 Corintios 1.18)

Sem duvida nenhuma, as palavras de Jesus Cristo impactaram a época em que viveu e continuará impactando através dos séculos.
Suas palavras eram simples, usava geralmente parábolas, histórias extraídas da vida cotidiana dos judeus para que pudesse atingir o nível cultural do povo a que se destinavam e era delas que Jesus Cristo fazia suas analogias e passava suas mensagens.
Em sua caminhada rumo à cruz proferiu grandes sermões, como o conhecido “Sermão do Monte”, contendo ensinamentos para a transparência da vida cristã, repreendeu seus discípulos para lhes tornarem melhores, deu exemplo de humildade ao lavar os pés de seus discípulos, demonstrou-nos carinho que tinha pelos pecadores ao entrar e pousar na casa de Zaqueu, um publicano, enfim grandes demonstrações de carinho, afeto, cordialidade, compreensão, paciência, ternura até mesmos nos momentos de grande aflição.
Sua tribuna muitas vezes era um barco a beira do lago de Tiberíades , e muitos iam para ouvir suas meigas palavras pois produziam vida. Não quis a fama, ao invés, corria dela, mas por causa de seus milagres era inevitável, provocando a ira dos religiosos da sua época.
Viveu momento dócil, sempre submisso à vontade do Pai, como deixou-nos exemplo na “Oração do Pai Nosso”, pois sabia que não seria fácil suportar a cruz, como no horto do Getsâmani, em seu no relato com precisão clinica de Lucas diz que seu suor se transforma em gotas (hematidrose) sentindo a agonia da morte faz um pedido ao Pai: “Passa de mim este cálice”. Viveu momento difícil como a traição de Judas Iscariotes sabendo da importante missão: A cruz.
Percorre a Via Dolorosa, rua da cidade velha de Jerusalém, que de acordo com a tradição foi por ela que Jesus carregou a Cruz seu terreno irregular dificultava sua caminhada rumo ao Calvário, neste trajeto já coroado, não com uma coroa de ouro, mas de espinhos, faz o trajeto da Via Dolorosa com o corpo dilacerado pelas chicotadas, produzindo verdadeiro espetáculo para aqueles que queriam vê-lo crucificado.
O momento crucial é o momento da crucificação, pois o carrasco sem piedade rasga-lhe as vestes, e pregam suas mãos e pés, erguem-no no madeiro, e Ele mesmo sentindo dores terríveis não abre sua boca, mas profere sua ultimas palavras não carregadas de ódio , mas palavras que demonstravam por que Ele era o Cristo, Jesus , Filho de Deus , vindo do Pai, estas palavras estão narradas nos Evangelhos mesmo estando em agonia da morte jamais pronunciou palavras de maldição , ao contrario se fez maldito por nós , como está escrito em Gálatas 3.13 : “Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição por nós; porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro”
As suas ultimas palavras foram:
1- E dizia Jesus: Pai perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem. E, repartindo as suas vestes, lançaram sortes. (Lucas 23.34)
Mesmo sofrendo a agrura da Cruz, fazendo esforço sobre – humano para proferir Perdoa-lhes, Cristo estava dizendo que, mesmo os que lhe haviam feito tamanhas atrocidades estavam absolvidos, naquele momento Jesus demonstrou profunda misericórdia para com aqueles que zombavam , cuspiram-lhe a face, e nos deixou uma lição tamanha, não importa o tamanho de nossos pecados, pois há sempre perdão.
Os Atos dos Apóstolos na fala do Apostolo Pedro: “Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo”.
Friedrich von Schiller disse “ A mais divina das vitórias é o perdão”.
2- E disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso. (Lucas 23.43).
Cristo disse tais palavras para um malfeitor que estava ao seu lado, essas palavras manifestam o grande poder de perdão contido na pessoa do meigo nazareno, mesmo sendo um malfeitor, Jesus não desprezou sua petição, mas disse: “Hoje estarás comigo no paraíso”. Há realmente poder nas palavras de Cristo, pois nem sequer deu tempo para o malfeitor, por exemplo, batizar-se em águas, mas Jesus se importou com o pedido do malfeitor: “Lembra-te de mim”. Cristo já não está mais na Cruz, mas continua lembrando-se de pecadores que a Ele clamam.

3- Ora Jesus, vendo ali sua mãe, e que o discípulo a quem ele amava estava presente, disse a sua mãe: Mulher, eis aí o teu filho. Depois disse ao discípulo: Eis aí tua mãe. E desde àquela hora o discípulo a recebeu em sua casa. (João 19.26,27)
A mãe, Maria acompanhou o sofrimento de seu filho, embora soubesse que o destino de Cristo era cruz, doía-lhe no coração ver seu filho, o mais velho, gerado em seu ventre de forma sobrenatural por obra e graça do Espírito Santo, crucificado sofrendo terríveis dores, talvez até quisesse acalentá-lo, enxugar-lhe o rosto, por certo chorava ao seu filho morrendo na rude cruz, para trazer reconciliação entre Deus e os homens.
De seus discípulos nem todos estavam presentes, Pedro negava-o, mas o discípulo amado estava ao pé da Cruz, vendo o sofrimento daquele que o ensinara a viver de maneira diferente em meio aos homens. João não o abandonou. Jesus neste momento de preocupação com carinho e afeto a aquele que cuidou dele enquanto palmilhava a terra santa em seu destino prioritário a Cruz.
Demonstra preocupação com o futuro de sua mãe pedindo ao discípulo amado que cuidasse dela, neste momento ele (o discípulo) a recebeu em sua casa.

4- E perto da hora nona exclamou Jesus em alta voz, dizendo: Eli, Eli, lamá sabactâni; isto é, Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?
Eram quase três horas da tarde Jesus brada e o texto diz que em alta voz, para quem está crucificado e quase sem forças esse grito é heróico, desafiador, a sua respiração está mais ampla e profunda e seus pulmões se esvaziam transfigurando-lhe o rosto.
O grito é em aramaico, Jesus utiliza a primeira frase do Salmo 22, como um pedido de socorro sem ser atendido, não creio que Deus lhe tenha abandonado, virado as costas, pois sabia que aquele momento teria que sofrer sozinho as agruras da cruz, para trazer salvação a humanidade perdida, da qual incluímos você e eu.
Cristo se entregou sacrificialmente como homem para todos os homens, o apóstolo São Paulo diz sobre esta questão: “Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores.” (Romanos 5.8).

5- Depois, sabendo Jesus que já todas as coisas estavam terminadas, para que a Escritura se cumprisse, disse: Tenho sede.
Ao meio dia no sol escaldante o meigo Nazareno tem sede, ele não bebe água desde a tarde anterior, seus lábios estão secos diz: Tenho sede, ao invés de água dão vinagre, os soldados lhe ofereceram vinho misturado com mirra, um tipo de vinagre. Esta bebida tinha efeito analgésico, amorteceria os efeitos da dor que Jesus estava sentindo. Ele preferiu sentir a dor porque sabia que você também sentiria dor.

6- disse: está consumado. E, inclinando a cabeça, se entregou ao espírito.
Após grande sede Cristo profere a palavra que dará cunho ao cristianismo, disse: “Está consumado.” Esta palavra em grego é Tetelestai. Tetelestai era o registro legalmente reconhecido de que está pago. O Escravo foi comprado e jamais alguém poderá cobrar novamente o seu preço.Durante o primeiro século, era prática comum pregar o documento de acusação de um preso na porta da sua cela. Os crimes de que era acusado e o castigo que lhe tinha sido imposto, estavam descritos nesse documento. Depois de o preso ter cumprido a sentença, o documento era retirado da porta, e cancelado pela aposição da palavra tetelestai – (cumprida na totalidade). O referido documento era-lhe então entregue, e ninguém podia jamais acusá-lo dos mesmos crimes. Quando Jesus disse a palavra “consumada”, significava “a dívida está quitada”! A nossa divida estava paga, por Ele eu e você não devíamos mais nada Paulo aos Colossenses 2. 13 , declara : “Havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz”.

7- E, clamando Jesus com grande voz, disse: Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito. E, havendo dito isto, expirou.
Cristo antes morrer entrega seu espírito ao Pai, sabendo perfeitamente que Deus o ressuscitaria dentre os mortos, lhe daria um nome sobre todo o nome, a morte foi tragada na vitória, este versículo expressa sua intensa confiança no Pai.
Sua morte trouxe vida, vida em abundancia e todos quantos se chegarem a Cristo através da Cruz. Somos salvos mediante a graça: Porque a graça de Deus se há manifestado, trazendo salvação a todos os homens.
Por mais indigno pecador que somos a cruz nos reconciliou com Deus: E tudo isto provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por Jesus Cristo, e nos deu o ministério da reconciliação;
E que, havendo por ele feito a paz pelo sangue da sua cruz, por meio dele reconciliasse consigo mesmo todas as coisas, tanto as que estão na terra, como as que estão nos céus.(Colossenses 1.20). O preço já foi pago, não há mais necessidade de pagamento com sangue de qualquer homem ou animal.
Jesus se fez maldito por mim e por ti. E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos. (Atos 4.12)


Calvário a expressão máxima do amor de Deus

Em Cristo Sola Gratia et Sola Fide Marcos


17 de mar de 2009

Seitas : Politicos - Religiosas da época de Cristo

“E Jesus disse-lhes: Adverti, e acautelai-vos do fermento dos fariseus e saduceus”. ( Mateus 16.6)

A sociedade judaica na epoca de Jesus era muito diversificada , eram varios grupos religiosos com diversas interpretações sobre as fontes e o modos de viver a religião de Israel. Nos evangelhos , Jesus atacou com extrema energia os escribas , os doutores da Lei , saduceus e os fariseus . Quem eram os grupos politicos – sociais da época de Jesus , quais suas doutrinas , seus pensamentos , seus questionamentos , suas formalidades.Quais eram eles?
1- Fariseus - do hebraico פרושים é o nome dado a um grupo de judeus devotos à Torá surgidos no século II a.C , a origem mais próxima do nome fariseu está no latim pharisaeus que por sua vez deriva do grego antigo ϕαρισαῖος , assentado no hebraico פרושים p’rushim , o nome p’rushim (plural) ou parush(singular) é normalmente interpretado como "aqueles que se separaram". Os fariseus eram voltados para para as questões religiosas , defendiam a separação entre o Estado e a religião , e achavam que o primeiro devia ser regido pela Torá , lei de Moisés, e eram provinientes da classe média urbana , mas haviam alguns camponeses. Eram menmbros do sinédrio e tornaram-se inimigos implacáveis de Jesus , este grupo se constituía uma seita. O apóstolo paulo declara que ela , à qual pertencia antes desde sua conversão, era a mais severa do judaismo.Cristo os censurou severamente (Mt 23). Eram comprometidos com a obediencia a todos os mandamentos de Deus , eram admirados pelo povo por sua aparente devoção, criam na ressureiçao dos mortos e na vida eterna , criam em anjos e demônios. Sua devoção era frequentemente hipócrita , tanto que a palavra fariseu tornou-se sinônimo de hipocrisia e fingimento ,até os dias de hoje.Tornaram-se tão obcecados pela obediência a cada minucia da lei , que ignoravam completamente a mensagem de misericórdia e graça de Deus.
2- Saduceus - do hebraico tz’duzim, no grego: Saddoukaios; é a designação da segunda escola filosófica dos judeus , ao lado dos fariseus. Os saduceus eram os intelectuais da época de Cristo , e membros do Sanhedrin ( nome hebraíco dado a corte judaica, mas a palavra é , em sua origem grega .Cortes locais tinham três ou vinte e três juizes; o sinedrio de Jerusalem tinha 70). Nos dias de Jesus os saduceus tendiam a ser mais ricos , mais céticos , mais carnais e cooperavam com os governantes romanos do que os fariseus . No entanto , a destruição do segundo temploem 70 E.C; terminou com a viabilidade do saduceus , ao destruir o pragmatismo de sua responsabilidade de chefia ; e tradição que les podem ter desenvolvido foi, em sua maioria, perdida. A julgar pela sua ortografia , a palavra saduceu deriva-se de Zadoque , que em grego se escrevia Sadouk.
Em oposição aos fariseus acérrimos defensores das tradições dos antigos , os saduceus limitavam o seu credo às doutrinas que encontravam no texto sagrado. Sustentavam que só a palavra escrita os obrigava ; defendiam o direito do juizo privado na interpretação da lei;cingiam –se à letra das escrituras mesmo nos casos mais severos da administração da justiça,rejeitavam o Antigo Testamento, pois só aceitavam com restrições o Pentateuco.Os três evangelhos sinóticos afirmam afirmam que eles não criam na ressureição(Mt.22.23; Mc12.18;Lc.20.27). Eles não admtiam a existência de anjos e nem de espíritos (At.23.8).Diziam que a crença no ressurgimento dos mortos não se coadunava com os escritos de Moíses. O historiador Flávio Josefo decalra que, mediante o entendimento deles , o corpo morria com a alma(Antiguidades, Livro 18. 1.760). Eles se opunham aos fariseus neste particular , mas se uniram , com o propósito de somarem as forças , e matarem a Jesus.
3- Escribas – Mestres da Torá , a palavra grega “grammateus” é traduzida literalmente em hebraico com sofer , que tem o significado literal escriba e é normalmente traduzida assim em português . Contudo a função dos sofrim na época de Jesus ia muito além de copiar rolos e realizar tarefas de copiar rolos e realizar tarefas de secretariado ; eles eram estudantes e professores do conteúdo do judaísmo , ou seja , da Torá.
Joseph Shulam, judeu messiânico lider em jerusalem, ressalta que os acadêmicos modernos , acreditam que os escribas não eram rabinos , nem fariseus , mas sábios, am-ha’arezt, mestres da Torá .Por essa razão não podiam introduzir novas interpretações ou realizar julgamentos legais. De acordo com Shulam essa é a razão pela qual as pessoas ficaram chocadas por Jesus ensinar como um rabino e não como um escriba.
4- Essênios - essênio provém do termo sírio asaya, e do aramaico essaya ou essenoí, todos com o significado de médico, passa por orum do grego (grego therapeutés), e, finalmente, por esseni dolatim. Também se aceita a forma esseniano.
Nome de uma ordem religiosa existente na epoca de Jesus (muito embora a biblia não os mencione) , composta com cerca de 4.000 homens que se dedicam a uma vida ascética, formaram várias colônias em varias cidades da Judéia e no deserto de Engadi.Adotaram condutas que os diferenciavam dos demais judeus : vestiam-se sempre de branco,aboliam a propriedade privada , eram vegetarianos , Aprovavamo casamento, mas abstinham-se dele, tomavam banho antes das refeições ,e a comida seguia um ritual muito rígido de purificação.
Observavam a moralidade , prometiam honrar a Deus , ser justos para com todos, não fazer mal a ninguém , ser fíeis uns para com os outros , odiar o mal, promover o bem , principalmente para com as autoridades , amar a verdade , desmascarar os mentirosos , guardar as mãos contra os furtos e conservar a consciência livre de negócios ilícitos.
5- Herodianos – Sustentavam a dinastia de Herodes , na tentativa de impedir um governo direto de Roma. Instituídos pelos interesses nacinalistas, eram favoráveis aos impostos. O discurso de Jesus também os incomodava.Juntaram-se com o propósito de matar a Cristo , e assim se verem livre dele.Também tentaram a Jesus na questão do tributo. (Mt. 22.15,16)
6- Publicanos – Rendeiros dos impostos do governo romano , cobrador de impostos , os judeus que trabalhavam coletando impostos para os governantes romanpos eram as pessoas mais desprezadas na comunidade judaíca , não apenas estavam servindo aos opressores , ams consideravam fácil abusar do sistema para encher seus próprios bolsos pela exploração de seus companheiros judeus. Informam os Evangelhos que alguns publicanos converteram-se ao cristianisno, entre os quais Mateus (Mt.9:9) deixou o ofício para tornar-se apóstolo e Zaqueu (Lc. 19:1-10) ao receber a honra de ser visitado pelo Mestre de Nazaré, promoveu restituição a todos que havia defraudado.
7- Zelotes - O termo zelota ou zelote (em língua hebraíca "kanai") significa literalmente alguém que é ciumento em nome de Deus, ou seja, alguém que demonstra excesso de zelo. A seita dos Zelotas é referida por Flavio Josefo como vil, que a responsabiliza pela incitação da revolta que conduziu à destruição de Jerusalém e do Templo de Salomão, referenciais para a cultura e religião judaicas.Um dos apóstolos de Jesus Cristo é referido como "Simão, o Zelote" (Lc 6:15 e At 1:13), ou por causa de seu zeloso temperamento ou por causa de alguma anterior associação com o partido dos Zelotas. Paulo, referindo a si mesmo, afirma que foi um zelote religioso (At 22:3; Gl 1:14), enquanto que os muitos membros da igreja de Jerusalém são descritos como "todos são zelosos da lei" (At 21:20).Este partido converteu-se em centro de resistência aos romanos no tempo de Cirênio, sob a direção de Judas Galileu, crescendo em fanatismo, provocou a guerra com o império do Cesares, degenerando-se em grupos de assassinos, ou sicários.
8- Samaritanos - são um pequeno grupo étnico-religioso aparentado aos judeus que habita nas cidades de Holon e Nablus situadas em Israel e na Cisjordânia respectivamente. Designam-se a si próprios como Shamerim o que significa "os observantes" (da Lei); desde há alguns anos os Samaritanos tem vindo igualmente a usar o termo "israelita-samaritanos". Em hebraico moderno, os Samaritanos são designados de שומרונים , os de Shomron, ou seja, os da Samaria. Shomron (Samaria) é pélo menos tão velha quanto o retorno das tribos do Sul do exílio babilônico nos séculos VI e V a.E.C., e tem suas raízes na divisão de Israel entre os reinos do Norte e do Sul , apos a moret do Rie Salomão , tendo como resultado que o reino do Sul adorava em Jerusalém , mas o do Norte em Gerizim. A Assíria conquistou o Reino do Norte em 722 a.E.C ., e deportou o seu povo, que pertencia às dez tribos do Norte, substituindo essa população por pagãos ; os quais se casaram com os judeus remanescentes , o que deu origem aos samaritanos . Seus descendentes não eram idólatras, mas reconheciam somente o Pentateuco como inspirado por Deus. Eles também negaram a Jerusalém com centro religioso, optando pelo Monte Gerizim; isso explica por que eles tentaram resistir a reedificação de Jerusalém por Neemias.

Em Cristo , Sola Gratia et Sola Fide, Marcos.


Obras consultadas :
Stern, David - Comentário Judaico do Novo Testamento
Lições Biblicas - Jovens e Adultos - CPAD -3º Trimestre de 1994
A Biblia de Aplicação Pessoal
Davis, Jonh - Dicionário da Biblia



15 de mar de 2009

Igrejas Sem Brilho


“Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela ” (Mateus 16.18)

Igreja no contexto bíblico pode designar uma reunião de pessoas, sem estar necessariamente associado à edificação ou a uma doutrina especifica.
Etimologicamente a palavra igreja - εκκλησία (ekklesia ) no grego e ecclesia do latim significa ek – para fora e Klesia – chamados ou seja chamados para fora, podendo também ser definido com povo que se organiza.
A igreja é um organismo jamais vencido, mas a intervenção humana modifica a estrutura das peças estabelecidas por Deus para seu perfeito funcionamento, substituindo as peças mestras, que Deus mesmo colocou, por outras que os homens imaginaram.
A igreja de Cristo é composta de todos aqueles que foram salvos pela graça, é una, e indivisível. A igreja de Cristo é um organismo perfeito que está edificada não em homens, mas está edificada sobre a Rocha dos Séculos.
Na igreja primitiva, a primazia e a direção suprema pertencem ao Espírito do Senhor, e não a qualquer homem que tenha o comando e direção desta ou daquela Instituição.Na igreja primitiva, os cristãos eram cuidadosamente instruídos acerca do caminho, em contraste com o abandono em que vivem os neoconvertidos nas igrejas de nosso tempo.Naqueles dias, os neófitos aprendiam como dar razão a sua fé: um príncipe ou um nobre não conhecia melhor a doutrina cristã do que o homem do povo ou o marítimo que se convertera numa de suas viagens em um porto qualquer. O conhecimento de uns era o conhecimento de todos.
Quem dava relevo e brilho a igreja não era a inteligência ou a cultura dos homens que Deus usava para anunciarem suas verdades: a capacidade intelectual era quase nula; suas palavras não tinham o verbo fascinante dos oradores gregos, o fulgor da igreja brotava das verdades recebidas de Deus e fielmente anunciadas aos homens, como sendo obra do Céu, e não ao trabalho humano. A única luz que brilhava na igreja era a luz do Espírito Santo, porque o combustível que ardia era tão-somente a revelação da graça a orientar todas as vontades. O brilho da igreja primitiva pode e deve ser a luz das igrejas atuais.
Deus espera que da igreja se desprenda a fragrância viva do amor e da santidade, tal como das flores se esparze o odor nas asas da brisa, Deus espera da igreja, mas que façam num espírito voluntário, sem suspirar, sem tocar a trombeta para que todos saibam, e sem esperar que o Senhor permita uma perseguição, para que todos se dediquem a oração.
A igreja que não estiver apoiada numa força superior à força de organizações, planos, programas, sabedoria e dinheiro serão frágeis aos olhos de Deus; esses poderes que enumeramos, apenas dão brilho superficial e, quando entram a funcionar em lugar de colocarem seus próprios problemas, em lugar de colocarem em primeiro plano a salvação dos pecadores. Igrejas há muitas; porem as igrejas que falam mais de Cristo do que si próprias, não são muito numerosas.
A visão estrábica de alguns homens arrostou a igreja para longe da visão esplendorosa de continuar a ser uma testemunha de Cristo aqui na terra. Em alguns casos essa visão fica tão prejudicada e tão obscura que homens e organizações confundem sua missão de testemunhas com a de salvar.Nem mesmo no Céu, os anjos serão capazes de substituir Jesus!Como então os homens tentam fazê-lo?
A fraqueza e a falta de iluminação do Espírito decorrem deste fato tristíssimo notado em toda parte: A substituição da doutrina da salvação por doutrinas em que sobressaem a filosofia, e a teologia. Os apóstolos clamaram e condenaram essa ameaça, mas os homens insistiram sempre em introduzi-la na igreja, o resultado e que, com isso, a igreja se afasta de Cristo.
A pregação pode ser uma luz a iluminar o caminho para o Calvário, como pode ser uma nuvem de obscuridade a evitar que as almas vejam a Cristo e sigam. Se o pregador estimar mais a mensagem que prega do a pessoa de Cristo, tal pregador é idolatra. Se a pregação for feita com propósito de mostrar a capacidade do orador, ninguém negara que no coração há idolatria ligada ao sermão.O contraste entre os pregadores dos tempos apostólicos e muitos pregadores de nossos dias é flagrante, o que há em abundancia nos dias presentes são ganhadores de elogios, em virtude de carregarem seus sermões de sabedoria, deixando-os vazios de Cristo, obstante a isso tem ocorrido em nosso meio muito que até imitam, copiam e vez por outra somos surpreendidos ate com a maneira de se vestir, gestos e ate imitam a voz do pregador tal.Há uma escala muito grande pregadores e muito pouco ensinadores e expositores da verdadeira palavra.
Quando a apostolo Paulo afirmou que a letra mata, mas o espírito vivifica, estava, ainda que indiretamente, com essas palavras, combatendo o movimento incipiente de dogmatismo na igreja, que tinha por objeto sobrepor-se à revelação do Espírito do Senhor.
A igreja que tem a revelação de Cristo e conserva os princípios da palavra de Deus, conhece a verdade, e a verdade a conserva em liberdade: não é escrava da má teologia.
A igreja deve continuar a ser igreja, desempenhando a missão que lhe foi confiada por Cristo, conservando a liberdade espiritual que a graça outorga. A teologia que se contente com o lugar que lhe compete desempenhar, sem se intrometer onde não lhe compete, impondo uma autoridade que o Bíblia possui; assim poderá a ser útil sem criar embaraços e fazer prisioneiros.A igreja alcançara o esplendor e o respeito de todos, se ela mesma se transformar numa tocha profética, isto é, se anunciarão mundos todas as verdades constante da mensagem do cristianismo, tantos as de objetivo imediato como as relacionadas com o futuro. Se a mensagem na for completa, sua vida não terá brilho.

Em Cristo, Sola Gratia et Sola Fide Marcos.


Conde, Emilio – 1918-1971 - Igrejas Sem Brilho. Rio de Janeiro.Casa Publicadora Assembléia de Deus, 1985

12 de mar de 2009

Doutrina da Cruz




“E, levando ele às costas a sua cruz, saiu para o lugar chamado Caveira, que em hebraico se chama Gólgota”.(João 16.17)
“Mas longe esteja de mim, gloriar-me, a não ser na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo, pela qual o mundo está crucificado para mim e eu para o mundo”.(Gálatas 6.14)

Esta palavra não se encontra no Antigo Testamento, apesar de que a crucificação era praticada por vários povos da antiguidade.A palavra cruz é empregada por Jesus em sentido figurado (Mt. 10.38; 16.24).Pela narrativa do evangelho vê-se que a cruz era de madeira pesada, mas não tanto que não pudesse ser carregada um homem forte (Mt.27.32) Erguiam-na do chão antes ou depois que o paciente fosse a ela pregado.As cruzes eram de três feitios: a de Santo André tinha a forma de uma X, outra, a forma de um T e a terceira se assemelhava a espada romana + , a cruz de Cristo era talvez como os artistas a tem imaginado , a do terceiro tipo , que mais facilmente se prestava a receber a inscrição que Pilatos mandou por sobre a cabeça de Jesus.Naquele tempo e mesmo depois, a cruz era evidentemente a mais ignominiosa e que inspirava maior angustia, de modo que, ser condenado à cruz era incorrer no escárnio e na maior desonra publica.
A cruz se tornou o ponto central da Historia da humanidade, antes do calvário havia somente esperança, expectativa, ansiedade. Depois do Calvário, depois do Gólgota cruel, existe salvação e paz.
A palavra Calvário (aramaico Golgota) é o nome dado a uma colina que no tempo de Jesus Cristo ficava fora da cidade de Jerusalém, onde Cristo foi crucificado. Calvaria em latim, Kraniou Topos no grego e Gûlgûlta em transliteração do aramaico, o termo significa Caveira por se assemelhar a um acidente geográfico parecido com um crânio.
Na opinião do apostolo Paulo, a fé girava em torno de dois centros – Calvário e o Pentecostes. O Calvário foi uma magnífica demonstração de amor sacrificial, mas sem a dinâmica liberada pelo Espírito Santos no pentecostes, não teriam vida espiritual.O pentecostes foi o complemento necessário para o Calvário. A descida do espírito Santo tornou real na experiência dos crentes aquilo que o calvário fizera possível.Entre muitas facetas da morte de Cristo, o apóstolo Paulo acentuou algumas:
1. Propiciação por nossos pecados: Sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus. Ao qual Deus propôs para propiciação pela fé no seu sangue, para demonstrar a sua justiça pela remissão dos pecados dantes cometidos, sob a paciência de Deus; (Rm 3:24, 25).
2. Livramento do pecado: O qual se deu a si mesmo por nós para nos remir de toda a iniquidade, e purificar para si um povo seu especial, zeloso de boas obras.(Tito 2.14)
3. Consagração a Cristo: E ele morreu por todos, para que os que vivem não vivam mais para si, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou.(2Cor. 2.15).
4. Desligamento da presente era: O qual se deu a si mesmo por nossos pecados, para nos livrar do presente século mau, segundo a vontade de Deus nosso Pai.(Gal.1:4)
5. A entronização de Cristo: Porque foi para isto que morreu Cristo, e ressurgiu, e tornou a viver, para ser Senhor, tanto dos mortos, como dos vivos.
O símbolo universal da fé cristã não é a manjedoura, mas a cruz. Qualquer pessoa que investigue o cristianismo pela primeira vez ficará impressionada pelo destaque extraordinário que os seguidores de Cristo dão às sua morte. No caso de todos os outros grandes líderes espirituais, a morte deles é lamentada como fator determinante do fim de suas carreiras. Não tem importância em si mesma; o que importa é a vida, o ensino e a inspiração do exemplo deles. Com Jesus, no entanto, é o contrário. Seu ensino e exemplo foram, na verdade, incomparáveis; mas, desde o princípio, seus seguidores enfatizaram sua morte. Vejamos seus três maiores apóstolos, Paulo, Pedro e João: Paulo: “pois decidi nada saber entre vocês, a não ser Jesus Cristo, e este crucificado” (I Co 2.2) Pedro: “Pois também Cristo sofreu pelos pecados uma vez por todas, o justo pelos injustos, para conduzir-nos a Deus” (I Pe 3:18) João: “Nisto consiste o amor: não em nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou e nos enviou seu Filho como propiciação pelos nossos pecados” ( I Jo 4:1).
Infelizmente hoje a teologia da Cruz é pregada por muitos poucos, nos nossos púlpito muitas vezes preferimos mensagem de auto-ajuda, teologia da prosperidade, teologia da confissão positiva, quebra de maldições e tantas outras mensagens sem qualquer resquício bíblico, porém o apostolo Paulo diz: “Porque a palavra da cruz é loucura para os que perecem; mas para nós, que somos salvos, é o poder de Deus”. (1 Cor. 1.18).
Calvário a maior expressão do amor de Deus. (João 3.16)


Em Cristo, Sola Fide Marcos.

Obras consultadas: A Cruz de Cristo – Jonh Stott
Paulo, O líder – J. Oswald Sanders.
A Teologia da Cruz – Gesiel Nunes Gomes

11 de mar de 2009

Artigo Mensageiro da Paz : Homossexualismo

O pastor, escritor, e membro do Conselho Político da CGADB traz um artigo no Mensageiro da Paz de março falando sobre a pratica homossexual.
Segundo artigo, o pastor Geremias,diz que 99% do país considera homossexualismo anormal e 92% reconhece-o como pecado, e nos últimos anos tem havido um intenso bombardeio através da mídia secular para minar os valores morais e tornar a sociedade simpática a pratica homossexual , atribuindo-lhe características de normalidade comum à diversidade humana , não é de fato bem isso que vêm logrando aqueles que fazem desta sua batalha de vida ou morte.Fala ainda das telenovelas que apresentam cenas de “casamento” entre pessoas do mesmo sexo, cuja forma mesmo sendo em ficção traz de forma criminosa arrepio a constituição brasileira, cuja letra afirma que o casamento se dá entre homem e mulher.
Segundo dados da Fundação Perseu Abramo, em parceria com a Fundação Rosa Luxemburg reportou no jornal O Globo de 8 de fevereiro, 99% dos brasileiros não assimilam a idéia de considerar normal o homossexualismo.
O pastor Geremias ainda fala que 92% dos brasileiros, por exemplo, acreditam que “Deus fez o homem e a mulher com sexos diferentes para que cumpram o seu papel e tenham filhos”, fala ainda da PL 122(lei do semelhante), que hoje está parado no Senado, e mais dia menos dia, conseguirão a façanha, se nos omitirmos como força social organizada em nosso país.
Deixa em seu artigo deixando duas conclusões, diante da pesquisa feita, que quero reescreva-las na integra:
“ 1) Não obstante a nossa atuação como força social organizada estar muito aquém do que ainda pode ser feito (somos por exemplo, relapsos em nos apresentar nos fóruns adequados para discutirmos temas desta natureza) não podemos desconsiderar a força da mensagem cristã na formação do pensamento brasileiro.Assim, continuemos a pregar a tempo e fora de tempo todo o conselho de Deus.Sem medo de restrição alguma”.
“ 2) Não nos enganemos, achando que as coisas melhorarão ao nosso favor. Isso não acontecerá. O cerco será apertado cada vez mais, inclusive com influência internacional de órgãos da própria ONU. Lembremos-nos que esse foi o propósito da pesquisa: fornecer ferramentas ao governo para assegurar a ditadura da diversidade sexual.
Em Outras palavras, precisamos estar preparados para os novos tempos e agir para que nossa voz seja ouvida nos fóruns que ditam as leis do país”.
Pelo menos não seremos omissos. Omissão também e pecado, finaliza o pastor Geremias.
Quero com humildade fazer também algumas considerações:
1- A bíblia nos diz em Gênesis 1.27 “E criou Deus o homem do pó da terra, à imagem de Deus os criou, homem e mulher os criou”. A bíblia de estudo Aplicação Pessoal para este versículo diz que Deus fez ambos, homem e mulher, a sua imagem. Um não foi feito á imagem de Deus mais do que o outro. Desde o inicio, a Bíblia coloca tanto o homem quanto à mulher no pináculo da criação. O sexo não é exaltado, tampouco depreciado.
2- O apostolo Paulo também trata desta questão em sua epistola aos Romanos 1.26,27 dizendo: “Por isso Deus os abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza. E, semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, homens com homens, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro.Mas uma vez quero usar a Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal que diz : A homossexualidade (atração e pratica com pessoas do mesmo sexo) era tão difundida nos dias de Paulo quanto é atualmente. Muita spraticas pagãs serviam para encoraja-la, embora hoje seja considerável por muitos aceitável , até por algumas igrejas , a homossexualidade e totalmente proibida nas Escrituras (Lv 18.22). Não cabe a sociedade estabelecer padrões da lei de Deus.Os homossexuais acreditam que seus desejos são normais e que têm o direito de expressa-los , mas Deus não nos encoraja a realizar todos os nossos desejos(nem mesmos os normais). Os desejos que ofendem suas leis devem ser controlados por e banidos.Aqueles que têm desejos homossexuais podem e devem resistir e tomar providencias contra eles, evitando conscientemente lugares ou atividades que possam incitar às tentações. Não se deve subestimar o poder que Satanás tem para tentar as pessoas ou a possibilidade de as praticas homossexuais acarretarem sérios danos àqueles que continuarem a ceder a elas. È necessário ter em mente que Deus pode e perdoará os pecados sexuais, da mesma maneira que perdoa os demais.
Aqueles que têm problemas com homossexualismo e perversões devem entregar-se a Deus , pedir que Ele mostre o caminho distante do pecado e que os conduza à luz da liberdade e do amor cristão. A oração , o estudo da Bíblia e o apoio carinhoso dos cristãos de uma igreja ,,poderão ajudar as pessoas a alcançarem a força necessária para resistir a essas poderosas tentações. Aqueles que já estiverem profundamente envolvidos e um comportamento homossexual devem procurar um conselheiro cristão confiável e profissional.Deus está disposto a receber qualquer pessoa que se arrependa de seus pecados e o busque pela fé; e os cristãos devem amar a todos a despeito de seu passado.
O que fica claro é que Deus ama o homossexual, porém é contrário a pratica do homossexualismo.
Parabéns pastor Geremias por abordar um assunto desta magnitude.
Em Cristo Sola Fide Marcos
Obras consultadas : Jornal Mensageiro da Paz , ano 79, nº 1.486 - Março 2009
Biblia de Estudo Aplicação Pessoal

7 de mar de 2009

Angelologia I

“Ninguém vos domine a seu bel-prazer com pretexto de humildade e culto dos anjos, envolvendo-se em coisas que não viu; estando debalde inchado na sua carnal compreensão”. (Colossenses 2.18)
“Faz dos seus anjos espíritos, dos seus ministros um fogo abrasador”.(SL. 104.4)
“E outra vez, quando introduz no mundo o primogênito, diz: E todos os anjos de Deus o adorem”.(Hb.1.6)

Com tantas inovações no meio evangélico, como “cair no poder”, “unção do riso”, “unção do leão”, “unção da lagartixa”, “culto aos anjos” e tantos outros modismos, quero pautar-me dentro das Escrituras para um tratado simples sobre angelologia.
Angelologia é a parte da teologia que estuda os anjos e a sua missão, com inerência na Bíblia.
A palavra anjo no hebraico é malak e no grego é angellos que significam a mesma coisa: mensageiro, enviado, em ambas as línguas esta palavra pode ser usada tanto para mensageiros espirituais, como aos humanos, Jerônimo ao traduzir a bíblia para o latim, utilizou-se do termo “nuntio” para nominar os mensageiros meramente humanos, desta forma , na Vulgata Latina, o vocábulo ângelus é usado única e exclusivamente para designar os seres celestiais . O termo anjo aplica-se a todas as ordens dos espíritos criados por Deus(Hb.1.14). Pela sua natureza são chamados filhos de Deus, pelo menos em poesia e pelo seu caráter, são chamados santos. Os anjos são seres espirituais criados especialmente com a mais alta distinção entre todos os seres vivos criados por Deus, exercendo atividades no mundo espiritual, mas não independentes nessas atividades, pois a fazem dentro dos limites a que foram criados.
Sua manifestação é incorpórea; eles são seres espirituais e morais porque acima de tudo, são pessoas.Ao longo das Escrituras encontramos aparições angelicais tais como: na criação, no nascimento de Jesus; quando foram servir ao Senhor Jesus no deserto da tentação; na ressurreição; e na ascensão de Cristo.
Os anjos executam a vontade de Deus, sua vontade precípua é servir aos interesses de Deus, obedecendo-lhe em toda a sua vontade soberana. O autor da epistola aos Hebreus destaca os anjos como “espíritos ministradores” indicando que eles exercem a serviços especiais aos interesses do reino Deus e também para identificar o serviço que prestam a Deus em favor dos santos. No Apocalipse são identificados santos, e uma das características das atividades angelicais é o louvor e a adoração, Jesus declarou que sempre estão na presença do Pai e vêem a sua face (Mt18.10).
Os anjos são: criaturas, seres espirituais, seres poderosos, seres pessoais, seres imortais. Quanto a sua habitação a bíblia declara que os anjos de Deus são organizados em milícias espirituais que povoam os céus e são distribuídos em distintas ordens e graus (Lc. 2.13; Mt. 26.53), trata-se, portanto de uma habitação numa dimensão celestial.
A Bíblia dá a entender que os anjos se acham de forma organizadas hierarquicamente e se da a graduação pelo tipo de atividade que os anjos exercem em todo o Universo e na presença de Deus. A palavra Hierarquia, do grego “hierakhia” significa escala de poderes e atividades, sistema de governo eclesiástico, cuja tônica é a distinção de cargos, autoridades e investiduras ao que parece a hierarquia angelical pode estar divida assim:
· Arcanjo – no grego arch sugere tratar-se de um chefe , um príncipe , um primeiro ministro , a palavra arcanjo representa a mais elevada posição na hierarquia angelical, embora o livro apócrifo de Enoque declare que existam sete arcanjos : Uriel , Rafael , Raquel , Saracael , Miguel , Gabriel e Remiel, o único nome que aparece nos livros canônicos é Miguel (Jd.9), Esse arcanjo se destaca na bíblia cuidando dos interesses da nação de Israel , sendo destacado como príncipe dos filhos de Israel , porque é o guardião desta nação.
· Querubins – no original hebraico “querub”, tem o sentido de guardar , cobrir , aparecem em toda as escrituras como sendo guardiões , a entrada do Éden , depois de o homem ter sido expulso , na construção da arca para o Tabernáculo feitos em ouro maciço, há freqüentes referencias à habitação de Jeová entre os querubins , e presente na visão do profeta Ezequiel com quatro faces com rosto de boi, de leão , e águia , os escritores bíblicos dizem representar pelo menos simbolicamente como entes animados , com a inteligência do homem , com a força do boi , com a coragem do leão e com movimentos livres com o da águia para dominar o espaço.A ligação dos querubins com o trono de Deus nos ensina, que eles guardam o acesso a presença de Deus.
· Serafins – do original hebraico “sarafh” significando ardente, refulgente ou brilhante, nobres ou afogueados. Esta classe de anjos só aparece uma vez na bíblia no livro do profeta Isaias, e são representados como tendo seis asas e estão ligados intimamente ao louvor e adoração o Senhor.
“Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir.” ( Rm. 8.38 ). “Porque nele foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades. Tudo foi criado por ele e para ele”.(Col. 1.16).
Nestes dois textos do apostolo Paulo não quis dogmatizar a ordem angelical segundo o seu entendimento, mais quis tornar mais clara a compreensão sobre varias classes angelicais.
A classificação segundo a ordem do texto acima citado é:
· Tronos – No original grego "thronoi" tem o sentido especial porque se refer a uma classe de anjos ligados diretamente a majestade de Deus , sendo possível os querubins estarem ligados a esse tipo de atividade real pois alguns textos identificam os querubins com seres sobre os quais Deus está assentado e reinando(1 Sm 4.4 , 2Rs.19.14,Sl 80.1; Sl 18.9,10) .
· Domínios – o termo grego “kuriothes” ou “kuriotethoi” (em algumas versões) tem o sentido de soberanias ou denominações. Pode estar ligado a executarem as ordens de Deus sobre as coisas criadas.
· Principados – no grego a palavra principados é “arch” e pode se referir a uma classe de anjos que tem poderes de príncipes, Lúcifer como diz a palavra “Tu eras querubim Ungido para proteger e estava no monte santo antes de sua queda”(Ez. 28.14), supõe-se que governava o planeta na posição de principado , mas não o guardou. Outro que a bíblia de Miguel como “um dos primeiros príncipes” de Deus.
· Potestades – Potestades referem –se a anjos especiais que executam tarefas especiais, não se tratando de seres isolados, mas são assim chamados porque foram investidos de autoridade especial, dada pelo próprio Deus. Isto revela que são anjos poderosos, mas não são onipotentes (atributo somente da pessoa D’us).
Outra classe de anjos que a biblia fala são os anjos maus, caídos e que não guardaram seu estado original e pecaram, falaremos disso em outras edições.
Os anjos seguem em regime de obediência e disciplina ao nosso Deus. São seres ministradores ao comando de Deus em nosso favor, portanto fica claro para todos nós, pois os anjos não recebem nenhum tipo de culto, adoração, cadeiras especiais no centro de púlpitos, orações especiais e não trazem nenhuma normativa de Deus que não esteja na sua Palavra, como visto existem classes especiais de anjos , mas o que pude estudar não vi nenhum anjo do manto, da samambaia, renovo, do retete , e outros que espalham por ai , os anjos tem funções dadas por Deus especificadas por Ele e utiliza-os a hora que bem querer , e ao seu decreto.

Para sua edificação em Cristo Sola Fide Marcos .

Obras consultadas: Dicionário da Bíblia – Jonh D. Davis
Lições Bíblicas – jovens e adultos ano 1997 – 1º Trimestre
A Bíblia de Estudo de Aplicação Pessoal

5 de mar de 2009

Polémica no ar !!! Arcebispo de Olinda excomungou....

Arcebispo excomunga médicos e parentes de menina que fez aborto depois de ser estuprada
O arcebispo de Olinda e Recife, José Cardoso Sobrinho, excomungou nesta quarta-feira a mãe, os médicos e outros envolvidos no aborto legal feito por uma menina de 9 anos violentada pelo padrasto.
O arcebispo de Olinda e Recife excomungou nesta quarta-feira a mãe, os médicos e outros envolvidos no aborto legal feito por uma menina de 9 anos. O padrasto confessou que abusava da menina desde os 6 anos.

Ao justificar sua ação, dom José Cardoso Sobrinho disse que, aos olhos da Igreja, o aborto foi um crime e que a lei dos homens não está acima das leis de Deus. A menina está em uma maternidade pública do Recife. Assim que foi internada, nesta terça-feira à noite, começou a receber doses de um medicamento para interromper a gravidez de gêmeos. No fim da manhã desta quarta, o aborto se consumou. "Se a gravidez continuasse, o dano seria pior, podendo levar a uma gravidez de alto risco. O risco existiria até de morte ou de uma sequela definitiva de não poder mais engravidar”, explica o médico Olímpio Moraes. Mas, para a equipe médica, não foi uma decisão simples. A realização do aborto passou a contar com oposição declarada do arcebispo de Olinda e Recife, dom José Cardoso Sobrinho, um integrante da ala conservadora da Igreja. “A lei de Deus está acima de qualquer lei humana. Então, quando uma lei humana, quer dizer, uma lei promulgada pelos legisladores humanos, é contrária à lei de Deus, essa lei humana não tem nenhum valor”, acredita. Os médicos decidiram que a saúde da criança era mais importante e seguiram o que determina a lei dos homens. “Há duas indicações legais no abortamento previsto em lei, que é o estupro e o risco de vida. Ela está incluída nos dois e, como médico, a gente não pode deixar que uma menina de 9 anos seja submetida a sofrimento e até pagar com a própria vida”, rebate o médico. A reação de arcebispo foi imediata. Assim que soube que o aborto havia sido consumado, dom José Cardoso Sobrinho disse que a Igreja Católica considera que houve um crime e um ato inaceitável para a doutrina. E decidiu: todas as pessoas que participaram do aborto, com exceção da criança, estão excomungadas da Igreja. “Para incorrer nessa penalidade eclesiástica, é preciso maioridade. A Igreja, então, é muito benévola, quer dizer, sobretudo, com as pessoas de menor. Agora os adultos, quem aprovou quem realizou esse aborto, incorreram na excomunhão. A Igreja não costuma comunicar isso. Agora, a gente espera que essa pessoa, em momentos de reflexão, não espere a hora da morte para se arrepender”, afirma. Entidades de defesa da mulher, da criança e do adolescente não concordam com a decisão do arcebispo. “Há organizações que não levam em consideração a vida dessa menina em um momento como esse e fazem um enorme desserviço em criar uma polêmica em torno de um caso que está garantido por lei e que há uma decisão da responsável pela menor no sentido de encaminhar dessa forma como está sendo encaminhado”, afirma a educadora do SOS Corpo Carla Batista. O teólogo e ex-professor da PUC de São Paulo João Batistiole comentou a excomunhão dos envolvidos no aborto legal. “Acho que é uma posição dura, difícil de entender, uma posição institucional. Acho que a igreja perde um pouco da credibilidade perante seus fieis”, avalia.
E você o que responderia?
Em Cristo Sola Fide Marcos