17 de jun de 2009

Imitar, quem ?






Sede também meus imitadores, irmãos, e tende cuidado, segundo o exemplo que tendes em nós, pelos que assim andam. (Filipenses 3.17)
Sede meus imitadores, como também eu de Cristo. (1 Corintios 11.1)


O papagaio é uma das muitas aves pertencentes à ordem dos Psitaciformes, família Psittacidae; vivem cerca de 100 anos e tem apenas três filhotes durante sua vida. Os papagaios têm como característica um bico curvo e penas de várias cores, variando muito entre as diferentes espécies. Alguns papagaios são capazes de imitar sons e, inclusive, a fala humana.
Essa é uma palavra que tem sua raiz do latim “imitare” e pode ser traduzida por “reproduzir exatamente o que outrem faz”, “tomar como modelo”, “reproduzir”, “copiar”, “seguir o exemplo de”, “arremedar” e “falsificar”.

No meio evangélico existem hoje muitos papagaios, que sem nenhuma vergonha ou caráter, imitam pastores conhecidos pela mídia o seu jeito de falar, de vestir, o cabelo; como se aquela pessoa fosse digna de imitação, devemos sim tomar para nós bons legados deixados por outras pessoas; mas imitar pastor-popstar, deixando de lado todo o exemplo que Cristo nos deixou como se ele não tivesse sido nada, cadê a humildade, a caridade, o bom conselho, onde está? Escondidos em meio a uma imitação barata da pregação da prosperidade, da imundícia humana que cada dia mais toma a igreja. Onde esta a pregação de doutrina que nos adentra ao reino dos céus, o que existe hoje é uma liberação total do pecado, pelo jeito os pastores popstars vão vender indulgências, ninguém mais busca a Deus em suas casas, os cultos são para agradar aos homens e não mais a Deus, para enaltecer a pregadores cada dia mais fantasiosos e mentirosos ícones da pregação moderna, dá a impressão que o Espírito Santo que nos rege, ficou “careta”. Todavia devemos seguir a Cristo e o Seu exemplo.

Seguir o exemplo na obediência:

Bonhoeffer, analisando a obediência dentro do chamado de Jesus aos seus discípulos, afirma que muitas vezes o que falta em nós para seguir esse chamado de Jesus “não é falta de fé, mas falta de obediência”. Em Filipenses 2:8, o apóstolo Paulo afirma que Jesus “humilhou-se a si mesmo, tornando-se obediente até a morte, e morte de cruz”.

Seguir o exemplo do seu caráter:

Seguir o exemplo do caráter de Jesus Cristo só é possível através de um discipulado que me faça cada dia mais conhecer Jesus Cristo. Mas, como conheço a Jesus Cristo? Gosto muito da resposta de Jó: “com os ouvidos eu ouvia falar de ti; mas agora te vêem os meus olhos” (Jó 42:5).

Seguir o exemplo da sua compaixão:

Ter compaixão é sentir a dor perante o mal alheio, sentir a dor do outro, ter piedade. Jesus Cristo nos deu vários exemplos quando esteve com os leprosos, endemoniados gadarenos, o paralítico em Cafarnaum, a mulher enferma, a filha de Jairo, os dois cegos, o mudo endemoninhado e tantas outras pessoas com problemas semelhantes.
O ministério de Jesus Cristo foi integral: ensinava, pregava e curava. Jesus esteve presente e curou os endemoniados (possessos de demônios/problemas no espírito), os lunáticos (maníacos/problemas mentais) e os paralíticos (sofre de paralisia/problemas físicos). Nosso ministério não pode ser parcial, mas tem que evidenciar esses sinais; faz-se necessário um ministério pastoral onde os milagres aconteçam, pois ainda hoje há poder que salva cura e liberta o ser humano em nome de Jesus Cristo; o que hoje não acontece muito, pois se dá mais ênfase a pregação da prosperidade material, do que a própria salvação, que é maior do que qualquer cura que se possa alcançar pela fé.




n'Ele que está acima de todos - Pr. Marcos Serafim Silva

Fonte: Roberto Alves de Souza, Bispo na 4ª Região Eclesiástica/www.metodista.org.br/pesquisa.jsp
pt.wikipedia.org/