3 de mar de 2014

Posso ter uma opinião diferente?




E, chegando Pedro à Antioquia, lhe resisti na cara, porque era repreensível.
Porque, antes que alguns tivessem chegado da parte de Tiago, comia com os gentios; mas, depois que chegaram se foi retirando, e se apartou deles, temendo os que eram da circuncisão.
E os outros judeus também dissimulavam com ele, de maneira que até Barnabé se deixou levar pela sua dissimulação.
Mas, quando vi que não andavam bem e direitamente conforme a verdade do evangelho, disse a Pedro na presença de todos: Se tu, sendo judeu, vives como os gentios, e não como judeu, por que obrigas os gentios a viverem como judeus? (Gálatas 2. 11-14) 

Paulo se opôs a Pedro porque sua conduta dava a falsa impressão de que estava renunciando à posição tomada em Jerusalém. A ação do concilio na questão do decreto abriu a porta da liberdade de intercambio social entre judeus e gentios na igreja de Antioquia, uma liberdade que Pedro aceitou com alegria. Chegou até comer com os gentios. Mas a chegada de certos homens enviados por Tiago, o reconhecido líder de Jerusalém, despertou o temor coração de Pedro, pois ele se lembrou que a igreja mãe o repreendera por se associar e comer com os gentios na casa de Cornélio. Impossível saber qual o relacionamento entre esses visitantes e Tiago, e qual precisamente foi à missão deles. Pedro afastou-se (dos irmãos gentios) gradualmente, conforme sugere o original, talvez se ausentando em uma refeição do dia, em duas no outro, e finalmente excluindo-se inteiramente.
O exemplo de Pedro influenciava os outros. O verbo influenciava dissimularam (disfarçavam), geralmente traduzido para hipocrisia, significa uma falta de correspondência entre os atos externos ou o comportamento e o estado do coração.
No farisaísmo os atos externos eram bons, mas o estado do coração era geralmente corrupto. No caso de Pedro, suas convicções internas eram perfeitas, pois ele endossava a igualdade dos judeus na Igreja, mas sua conduta não correspondia as suas convicções. Eis aqui uma observação melancólica – ao ponto de o próprio Barnabé, como se Paulo esperasse mais dele do que dos outros crentes judeus.                      
Cefas (Pedro), que tinha experimentado a liberdade que há em Cristo depois da visão de Atos 10.10-35, começou a comer com os gentios em Antioquia. Quando vieram os judaizantes de Jerusalém, Pedro, hipocritamente deixou de seguir o principio dado pelo próprio Deus. Será que devemos aceitar este apostolo mais do que qualquer outro com infalível?!sendo, como afirmam alguns, o primeiro papa?

Onde quero chegar?

Vez por outra sou questionado sobre ser contrario a liderança e as normas e doutrina de minha denominação (Assembleia de Deus), posso ter uma opinião diferente em alguns pontos; minha idéia pode ser diferente; mas, não sou contrario a nenhuma delas.
Paulo pertencia à mesma comunidade que Pedro, nem por isso deixou de questioná-lo por sua conduta; houve repreensão, até porque ninguém é irrepreensível.
Não acredito que discordar da opinião de um colega signifique, necessariamente, estar contra ele ou reclamando da sua posição e do que já está sendo feito na organização. Entendo que a expressão de opiniões contrárias pode ajudar muito para aprimorar idéias e processos. Também pode instigar as pessoas a pensarem juntas e compartilharem informações que possibilitarão a construção coletiva do conhecimento e a aprendizagem organizacional.
Os bereianos liam, ouviam e guardavam a Palavra por isto eram bem-aventurados. Examinavam a cada dia as Escrituras e conferiam a doutrina ensinada por Paulo com as Escrituras. O verbo examinar era usado na lei pelos advogados para ver se um processo podia ou não ser sustentado por um tribunal, e assim os Bereianos examinavam as Escrituras para confirmar o que estava sendo ensinado.
A Igreja de Beréia deve ser uma referência nesta época de “Babel” teológica. Não devemos ser “céticos”, não crendo em nada, e nem “crédulos”, crendo em tudo. Devemos ter a Bíblia em nossas mãos e em nossos corações verificando tudo que chega aos nossos ouvidos para se verificar a coerência ou não com as Escrituras. 
Ser educado é uma questão de decoro, discordo de argumentos e pontos de vista, não de pessoas. Meu debate é na dimensão técnica, concreta e factual. Não gosto de extrapolar  para ofensas, ironias ou acusações porque sei que não chegará a um fim proveitoso para nenhuma das partes envolvidas.

Termino com uma fala de Martinho Lutero que diz: “Todo ensinamento contrário às Sagradas Escrituras deve ser rejeitado, mesmo que faça chover milagres.”



No Calvário , a maior expressão do amor de Deus

Marcos Serafim Silva

Consultas:
www.minhacarreira.com
http://preberjamil.wordpress.com/

 Bíblia Shedd