12 de jul de 2010

Arvores que simbolizam Israel(Fim)




A Oliveira


Arvore muito comum em toda a parte das terras mencionadas no Velho Testamento. Seus frutos, esmagados, produziam o óleo ou azeite. Era símbolo de prosperidade e bênçãos divinas (Sl 52.8 e Jr.11.16). Tornou-se também o ramo da oliveira em emblema de paz. Tanto o óleo como a arvore se usavam na Festa dos Tabernáculos.
O azeite de oliveira era empregado de varias maneiras no ritual do culto judaico. Usava-se no Castiçal do Tabernáculo, servindo para alumiar. Fazia parte do óleo da unção (Ex.27.20;30.24;Lv24.2).
A oferta de manjares levava azeite, lembrando a consagração ou a comunhão com Deus. O azeite era artigo importante como alimento ( 1 Rs.17.12,16 e 2Rs4.2-7)
Ainda servia de remédio. O samaritano aplicou nas feridas do homem que encontrou moribundo, azeite e vinho (Lc. 10.34)
Na santificação das coisas do tabernáculo e na unção para exercer o ministério, usava-se azeite. Neste uso é símbolo do Espírito Santo, que nos santifica e unge para o testemunho de Jesus Cristo (Ex30. 29 e Lv10. 7)
A oliveira, como símbolo de Israel, vem na parábola apresentada por Paulo em Romanos 11.17-27. Os judeus são a boa oliveira (v24), os gentios são a oliveira brava ou zambujeiro (v17). Foram quebrados alguns ramos da boa oliveira e enxertados os da oliveira brava (VV 17,19).
O fruto da oliveira brava são pequenos e menos abundantes. Enxertando-se um ramo da boa arvore na oliveira brava, os frutos são melhores. Na alegoria de Paulo o processo foi diferente, os gentios, oliveira brava, foram enxertados na boa oliveira. Foi à bondade de Deus para com os gentios que fez isto. “Se a raiz é santa, os ramos também o são” (v16).
A raiz da arvore judaica é Abraão. Deus disse a Moises; “Eu sou o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó...” (Ex3. 15b).Aparece como um Deus tríplice.Abraão é tipo de Deus Pai (Lc16.22-25); Isaque é tipo de Deus Filho , especialmente na historia do casamento (Gn24);Jacó , pelo modo como foi guiado por Deus(Gn28.15), lembra o ministério do Espírito Santo, que nos guia em toda a verdade (Jo16.13).
A raiz é tríplice e proveniente de Deus. Se ela é santa, os ramos ligados a ela participam da santidade.
Os judeus e os gentios crentes em Cristo são iguais, filhos espirituais de Abraão, participam da raiz e dos frutos da boa oliveira de Deus, por Cristo que foi semente de Abraão.
O endurecimento ou cegueira de Israel “... até que a plenitude dos gentios haja entrado” (Rm11.25b)- não está falando dos tempos gentios que é expressão profética com outro sentido (Lc21.24).Aqui se refere aos gentios salvos pela pregação do Evangelho.Quando for salvo o ultimo dos que Deus conhece,estará completo o numero.
Deus não rejeitou seu povo de Israel, não temos razão para considerá-los rejeitados; foram separados, mas os que não permaneceram serão enxertados (v23). “Se tu foste cortado do natural zambujeiro, e, contra a natureza, enxertado na boa oliveira, quanto mais esses, que são naturais será enxertado na sua própria oliveira” (RM11. 24)
Alem do óleo, a madeira da oliveira que era utilizada pelos marceneiros estava nos objetos sagrados. Os querubins do Templo eram feitos de madeira de oliveira (1Rs6.23) e a porta do Santo dos Santos (1Rs6.31-33).Quer dizer que os judeus tomaram parte na fundação da Igreja de Jesus Cristo.Os apóstolos , colunas da igreja, e os primeiros crentes eram judeus.
Em Cristo, oliveira verdadeira

Pr. Marcos Serafim


Obras consultadas: Melo Joel Leitão de - Sombras, tipos e mistérios da Bíblia. Rio de Janeiro, CPAD, 1989