19 de abr de 2010

Que tempos esses nossos! Parte II

Que tempos esses os nossos? – Parte II


Nesse nosso tempo ocorrem as mais variadas situações, tratando-se do meio em que vivo:- o chamado evangélico, que de evangelho tem muito pouco, vivemos uma ruptura de bons modos, bons costumes, boa educação, vivemos tempos trabalhosos e de muita concorrência. Concorrências dos mais diversos tipos, concorrências leais, e concorrências desleais e maquiavélicas, interesseiras para o comando de um clã que se forma a cada dia dentro da igreja, e mui especificamente da qual eu pertenço.
Falar, ou ter uma opinião diferenciada torna-se um herege, um mal intencionado, um rebelde, uma pessoa que não soma; um obreiro desqualificado para exercer qualquer tipo de função dentro da instituição, só porque se é contrario a algo que não se concorda. Em que mundo vivemos? Democracia diria alguns; outros diriam:- vivemos mesmo uma verdadeira monarquia ministerial que cada qual quer perpetuar-se no comando, sem deixar que qualquer pessoa se aproxime, pois logo se pensa que vão tentar tomar-lhes o comando.
Deus dotou o ser humano de uma qualidade distinta de todos os outros animais, dotou-o de inteligência, o homem não foi feito marionete, não é um boneco, ele pensa (alguns. Por que alguns pensam como o outro, não tem opinião própria) , age , anda. Deus dotou o homem de raciocínio, fez dele um ser pensante, com qualidades para discernir o bem e o mal, o que acha certo, e que acha errado, ou seja, dotou-o de capacidade, inclusive para argumentar, debater, discutir idéias, mas em nosso meio parece só prevalecer à idéia de alguns, que tempos esses os nossos? Mas o que mais me impressiona que muitas vezes se diz que está falando em nome de Deus e que Deus o autorizou , quando na verdade , não o é.
Penso, logo existo, frase de Reinaldo Descarta, mas cá do nosso lado, você não pode ter pensamento próprio, tem que pensar como eles pensam, senão você está fora, ou então ouvir frases do tipo:- se não quiser cooperar você não é obrigado, deixa seu lugar para outro, ou então, você está desclassificado para exercer o ministério que Deus lhe deu, só por não concordar com todas as atitudes tomadas. Que tempo esse nosso?Quem se não balançar a cabeça positivamente, está fora. Quando se está no comando à gente diz o que bem quer, mas e os liderados? Será que se perguntou o que pensam? Se concordam! Ao menos uma palavra de gratidão!Ufa! Que tempo.
A liderança de Jesus foi o máximo, Ele influenciou seus discípulos, nunca se sentiu maior que eles , quando era preciso chamava-lhes atenção , mas também sabia elogiar quando necessário, nunca usou o poder que vinha de Deus para influenciar as pessoas, sua fala foi:- “Vinde após mim, e eu vos farei pescadores de homens.” Seu marketing nunca fora promessas evasivas, sempre procurou não estar em evidencia ou buscar a fama para si, mas foi ao contrario as pessoas que o tornaram famoso. Atitude bem diferenciada da liderança atual, que investem num marketing pesado só para terem o poder na mão, ou serem aclamados como pequenos deuses , assim como a leva de deuses gregos da antiguidade , se instituíram deuses do presente século. Paulo na sua época já alertava, principalmente o jovem Timóteo dizendo:- “Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos”. Não muito diferente de nosso tempo, pois tudo isto está acontecendo.
O pior é que estamos criticando os de fora, de outras denominações, quando aqui se vive uma guerra política partidária para ver quem é o maior , o melhor, falamos como se fossemos os detentores da palavra, do domínio, do território, e que a graça fora revelada somente a nossa instituição. Batemos no peito que somos a maior igreja pentecostal no Brasil, arvore é bonita, mas suas raízes estão danificadas, o tronco está oco, estamos dormindo. Bem lamentável nossa condição que por interesse de alguns (já que existam homens muito sérios, no comando), só querem estar bem na foto, sair no periódico mensal, se favorecerem das escritas de nossa casa de edição, enfim favorecimentos para muitos poucos, e não é porque não existam bons comentaristas, ate há, mas muito pouco tem acesso, prefere-se publicar comentarista internacionais, com suas falácias e muitas delas cheias de distorções, e algumas até sendo reprovadas pelo conselho de doutrina, mas lá tudo passa. Enfim tenho presenciado muitas atitudes, ouvido muitas coisas, atitudes que com certeza não tomarei com a igreja e aqueles que estão sob o meu comando. E ai se pergunta, porque a igreja vem se esvaziando dia após dia? A resposta é simples, clara e objetiva:- é só se utilizar daqueles que comem o sal conosco, que bebem da mesma água, que comem do mesmo pão, que suportam calados as mesmas aflições, é só deixar o egoísmo de lado, deixar o egocentrismo, de fazer tudo sozinho, dividir as tarefas ministeriais, olhar para os companheiros que estão conosco, dar motivação aos seus comandados e não dizer que eles não servem, ou que se quiserem ir para outro lugar pode ir que não fará falta. Ufa que tempo!Que Deus nos ajude, por que Canaã e logo ali.


Vivamos o dia de hoje, como se Cristo voltasse agora mesmo,


Pr. Marcos Serafim Silva

3 comentários:

Juber Donizete Gonçalves disse...

Caro Pr. Marcos Serafim,

"O meio evangélico que de evangelho tem muito pouco" - Essa frase é a mais pura verdade. O movimento carrega o nome, mas perdeu o significado do mesmo. Parabéns pela postagem.

Um abraço.

Danilo Sergio Pallar Lemos disse...

O conteudo e capacitação se esvairam em nossos pulpitos,o que marca pouca essencia Bíblica e teológica,e um pentecostalismo inovacionista.
www.vivendoteologia.blogspot.com

Anônimo disse...

É realmente o senhor tem toda razão,realmente temos que nos calar eo pior não temos para onde ir,sinto me encurralado sem saida,olho para todos os lados e não vejo solução,ir para o mundo? isso é suicidio espiritual,esse não é um problema isolado e algo generalizado,como um cancer que esta matando batistas assembleianos,presbiterianos....