5 de jun de 2014

MATURIDADE

Por Marcos Serafim

O ser humano nasce, cresce, reproduz e morre. As fases da vida são infância, puberdade, adolescência e maturidade (vida adulta).
As fases são bem especificas, naturais e importantes, deve-se vivê-las de forma intensa cada uma,  sem burlar nenhuma etapa.
É comum passarmos por diversas transformações, corporais, físicas e mentais. Cada fase representa uma etapa vencida, todas as transformações são para o aperfeiçoamento de um aprendizado solido para vencer etapas posteriores.
Na infância aprende-se a falar, andar, ler, escrever, e ter seu desenvolvimento psicológico sadio. A adolescência é um período de profunda transformação no corpo e na mente. Na fase adulta as mudanças já ocorreram e chegou então à maturidade e agora a responsabilidade aumenta bastante, nesta fase se dá devida importância à independência financeira, conquistas seculares como faculdade, casamento, filhos e preocupa-se com a seguridade no trabalho e outros afins.
A maturidade é ter consciência do que quer, saber definir, analisar, agir no momento certo, ou seja, crescimento material, emocional e espiritual. A Maturidade não tem um ponto fixo, não tem definição precisa. A maturidade é uma atitude, um comportamento, um caminho que começa desde a juventude. Do mesmo modo que existe jovem imaturo existe idoso imaturo. Um sinal de imaturidade é a presunção (senso de superioridade) que hipertrofia o eu, a pessoa, gerando a superatividade.
Amadurecimento não se dá da noite para o dia, é um processo paulatino. Amadurecer significa abandonar as utopias e encarar as realidades como elas são, de forma racional, deixando de lado magoas, perseguições e tantas outras coisas que atingem o ser humano.
Maturidade mostra-nos um lado da vida que precisamos realmente valorizar coisas verdadeiras, e todos nós vivemos um processo continuo de amadurecimento,  cabe a cada um intensificar sua busca pela maturidade.
A maturidade nos ensina que no processo de crescimento muitas amizades que considerávamos importantes, não passavam apenas de coleguismo furtivo, apenas com intenção de lograr melhores condições, o fato verdadeiro é que quem encontrou um amigo encontrou um tesouro. Com o amadurecimento vêm certezas até então ocultas no caráter de muitas pessoas que só conhecemos com o passar dos dias e com muito discernimento.
Paulo discorre sobre a maturidade na seguinte fala: “Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino”. O importante é saber a hora de amadurecer os pensamentos de menino!
Com o passar dos anos vamos descobrindo que muitos dos quais chamávamos amigos ministeriais, não passavam de colegas e nem tão próximos como imaginávamos, o fato e que muitos ainda vivem pensando da mesma forma - como outrora, ou seja, são nanicos no agir e no pensar, e ainda continuam e continuarão a tratar todos do mesmo jeito e por muito tempo, até atingirem o completo amadurecimento, se é que um dia atingirão!
Não quero ter um milhão de amigos, mas amigos que sejam leais e que possa guardar do lado esquerdo do peito dentro do coração. Isso felizmente vem com a maturidade!   
Augusto Cury diz que: “Dar a outra face é um símbolo de maturidade e força interior. Não se refere à face física, mas à psíquica. Dar a outra face é procurar fazer o bem para quem nos decepciona, é ter elegância para elogiar quem nos difama, altruísmo para ser gentil com quem nos aborrece. É sair silenciosamente e sem estardalhaço da linha de fogo dos que nos agridem. Dar a outra face previne homicídios, traumas, cicatrizes impagáveis. Os fracos se vingam, os fortes se protegem”.
Uma dos grandes males da sociedade hodierna é falar, falamos demais, conversamos coisas inúteis sem relevância para a vida, sem se importar se ferirá, magoará, ou causará danos muitos dos quais irreversíveis, será que nossa fala tem sido construtiva ou depreciativa?   Somente com o passar do tempo e uma consciência libertadora e uma atitude voluntaria descobriremos se agimos de modo errôneo e analisarmos e corrigirmos as falhas para nos tornarmos alguém muito melhor.
Lya Luft escritora conhecida por sua luta contra os estereótipos sociais diz que: “A maturidade nos permite olhar com menos ilusões, aceitar com menos sofrimento, entender com mais tranquilidade, querer com mais doçura”. Idade não define maturidade, atitudes sim.
Dizemos que o ser humano é maduro, mesmo que ele não tenha atingido a velhice em termos de idade, quando ele atinge a sua plenitude, com uma capacidade plena de julgar e discernir todas as situações que se passam em sua vida.
Maturidade não é quando começamos a falar coisas grandes, mas quando começamos a entender coisas pequenas. (autor desconhecido)

  

Nenhum comentário: