29 de set de 2009

As palavras Gat-Sh'manim e Abba

Marcos 14.32 e 36

32- Eles foram para o lugar chamado Gat-Sh’manim e Yeshua disse aos talmidim (discípulos): Sentem aqui enquanto oro.


Gat-Sh’manim

O nome significa prensa de óleo, prensa de azeite, lugar de óleo, lagar de azeite e é traduzido para o português como Getsêmani. No lugar chamado jardim do Getsêmani existe atualmente pés de oliveira muito antigos, retorcidas; elas provavelmente já estavam plantadas ali quando Jesus andou sobre a terra.
Jardim para onde Jesus frequentemente se dirigia sozinho ou com seus discípulos para orar, descansar ou conversar; local onde Jesus foi traído por Judas na noite anterior a sua crucificação.
O Getsêmani situava-se no monte das Oliveiras a leste de Jerusalém, por sobre o ribeiro de Cedrom e oposto ao templo (Mc.13.3;Jo18.1). A partir de seu nome, pesquisadores acreditam que o jardim situava-se em um pomar de oliveiras que tinha um lagar de óleo. Não foram bem sucedidas as tentativas de localização exato do jardim. Muitos cristãos concordam com um lugar: aquele que a mãe de Constantino, Helena, designou em aproxidamente 325 d. C.. Mas pelo menos dois outros lugares também são amparados pela tradição e apresentam seus defensores. Os relatos dos evangelhos não fornecem detalhes suficientes para indicar o lugar exato do jardim.
O jardim é quase quadrado e protegido por um muro, recentemente construído pelos latinos. O lado norte tem 49 metros e meio, e o lado do poente 52 metros e oitenta centímetros.
Robinson julga que o local é o mesmo descrito por Euzébio que o dá no monte das Oliveiras, e mais tarde, São Jerônimo o assinala na base do monte, ainda que em duvida , se era ou não o verdadeiro Getsêmani.Thomsom acha que o jardim deveria estar perto da cidade e junto a grande via do lado do oriente , por onde Jesus ter passado naquela noite triste e angustiosa.Pensa também que o Getsêmani deveria estar em um vale retirado , distante umas centenas de metros a nordeste do local que a tradição aponta. Barclay é de parecer que o muro do atual jardim não pode compreender senão uma parte do terreno primitivo que deveria ocupar o lado superior do vale. Os gregos fecharam ultimamente um pedaço de terreno, adjunto pelo lado oriente na encosta do monte, considerado por eles como sendo o verdadeiro jardim.
36- Abba!(isto é, querido Pai) “Todas as coisas são possíveis para ti”. Afasta de mim este cálice! Contudo, não seja o que eu quero, mas o que tu desejas.

Abba

αββα [abba] (Substantivo). Pai. (Transliteração do aramaico 'âbbâ', 'abî o 'âbînû [formas de 'âb, "pai"]).
È uma palavra aramaica, encontrada em Marcos 14.36; e em:
Romanos 8:15 :“Porque não recebestes o espírito de escravidão, para outra vez estardes em temor, mas recebestes o Espírito de adoção de filhos, pelo qual clamamos: Aba, Pai”.

Gálatas 4.6. "E, porque sois filhos, Deus enviou aos vossos corações o Espírito de seu Filho, que clama: Aba, Pai."

Na Gemara (Comentário Rabínico sobre a Mishná, ensino tradicional dos judeus) afirma-se que os escravos eram proibidos de se referir ao chefe da família com esse titulo. Aproxima-se ao nome pessoal, em contraste com “Pai”, com a qual está sempre ligada no N.T. Isso provavelmente pelo fato de que, ABBA, tendo se tornado praticamente um nome próprio, recebeu dos judeus gregos o acréscimo da palavra grega patêr, pai, da língua que usavam. “Abba” é a palavra pronunciada pelas crianças, e denota confiança cega, pai expressa um entendimento inteligente do relacionamento. As duas palavras juntas expressam o amor e a confiança e inteligente da criança. O hebraico incorporou a palavra “Abba” que é um modo familiar de se dirigir ao seu pai. É o equivalente de “pai” ou “paizinho”, como todos os filhos israelenses, o meu me chama de “abba”.
O judaísmo ensina que qualquer um pode se dirigir a Deus e que Deus está próximo de todos. No entanto, o judaísmo considera inaceitável soar muito familiar a Deus.
O artigo sobre “Abba” no Theological Dictionary of the New Testament, de Gerhard Kittel, diz:
“No que se refere à utilização de Jesus, a probabilidade é que Ele tenha usado a palavra a Abba não apenas onde isso fica expressamente revelado (Mc.14.36) mas em todos os casos , e especialmente ao dirigir a Deus, onde os evangelistas registram Ele dizendo o patêr (Pai), patêr mou, patêr mou (meu pai) e talvez , até mesmo patêr êmôm (nosso pai).
Em outras passagens do Novo Testamento , a palavra Abba é sempre associada ao Espírito Santo e com adoção. (Comentário Judaico do Novo Testamento).

Abba – palavra cheia de ternura e intimidade. É difícil para nós entendermos o quanto foi revolucionário haver Jesus chamado Jeová de Abba. O que hoje é uma prática habitual, nos dias de Jesus era algo incomum. Joachim Jeremias, erudito no Novo Testamento, descreve quão raramente o termo era usado:
“Com a ajuda de meus assistentes, examinei a literatura devocional do antigo judaísmo... O resultado desses exames foi que, em lugar algum dessa vasta literatura, foi achada a invocação de Deus como "Aba Pai". Abba era uma palavra comum; uma palavra familiar e corriqueira. Nenhum judeu teria ousado tratar Deus dessa maneira. Não obstante, Jesus o fez em todas as suas orações a nós legadas, com uma única exceção: o brado da cruz — ‘Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste? ’ Na oração do Senhor, Jesus autorizou os discípulos a repetirem a palavra Abba depois d’Ele, dando-lhes o direito de partilharem sua condição de Filho. Autorizou-os a falar com o seu Pai celeste de um modo mais confiante e familiar.”

Obras consultadas:
Dicionário da bíblia – John Davis
Dicionário Ilustrado da Bíblia
(Dicionário VINE)
(Hermenêutica – interpretando as Escrituras à luz de Jesus)

N’Ele a qual clamamos Abba (paizinho),

Pastor Marcos Serafim Silva

7 comentários:

CAMINHO PLANO disse...

A paz do Senhor amado irmão.
Parabéns pelo excelente espaço.
Que Deus o abençoe.
Visite-nos: http://caminhoplano.blogspot.com/

Marcello de Oliveira disse...

Shalom!

1. Parabenizo por tão elucidativo texto. Alegra meu coração de perceber que você está "mergulhando" na "lashon Kodesh" (língua santa) conforme os judeus chamam o ivrit (hebraico).

Ani Ohev Et ha Torá!

abraços do companheiro, Pr Marcello

Jose Ramon Santana Vazquez disse...

...traigo
sangre
de
la
tarde
herida
en
la
mano
y
una
vela
de
mi
corazon
para
invitarte
y
darte
este
alma
que
viene
para
compartir
contigo
tu
bello
blog
con
un
ramillete
de
oro
y
claveles
dentro...


desde mis
HORAS ROTAS
Y AULA DE PAZ


TE SIGO TU BLOG
BLOG DO PR. MARCOS SERAFÍN



CON saludos de la luna al
reflejarse en el mar de la
poesia ...


AFECTUOSAMENTE
MARCOS SERAFÍN



jose
ramon...

Hermes C. Fernandes disse...

Parabéns pelo belo trabalho no blog. Já estou seguindo.

Aproveito para lhe convidar a conhecer o meu blog, e se desejar segui-lo também, será uma honra.

Seus comentários também serão muito bem-vindos.

www.hermesfernandes.blogspot.com

Te espero lá!

Nilson Coelho disse...

Parabéns meu querido Pastor, pelo belíssiomo blog, e postagens. Um abração em abração em Cristo.

Nilson Coelho disse...

Agradeço ao querido Pastor e amigo, Marcos Serafin, por seguir nosso blog. O seu trabalho enriquecerá o nosso Marata! Deus o abençoe seeeempre. Um abração em Cristo.

Cleonice Luiza Moreira de Sá disse...

Uma benção o seu blog,gostei e tornei-me seguidora.
quando puder me visite
www.mulher-unica.blogspot.com