5 de set de 2009

O Sermão do Monte - As Beatitudes


Sermão do Monte – As Beatitudes

Mateus 5. 1 a 10 - 1- “Vendo a multidão , Jesus subiu ao monte.Depois de assentar-se seus discípulos aproximaram-se dele.
2- E ele começou a falar. Isto é que ele lhes ensinou:
3- Quão abençoados são os pobres de espírito! Porque o reino do céu é deles.
4- Quão abençoados são os que pranteiam! Porque serão confortados.
5- Quão abençoados são os pacíficos! Porque eles herdarão a terra.
6- Quão abençoados os que têm fome e sede de justiça!Porque serão satisfeitos.
7- Quão abençoados os que demonstram misericórdia! Porque lhes será demonstrado misericórdia.
8- Quão abençoados os puros de coração!Porque verão a Deus.
9- Quão abençoados os que promovem a paz! Porque serão chamados filhos de Deus.
10- Quão abençoados os que são perseguidos porque procuram à justiça! Porque deles é o Reino do céu. (Novo Testamento Judaico).


Definindo Bem-aventurança

A palavra grega traduzida como bem-aventurado significa ter bem-estar espiritual e prosperidade, uma alegria profunda no intimo.
Como forma literária, podemos encontrar as bem-aventuranças no Antigo Testamento em várias passagens principalmente nos salmos e muitas vezes no Novo Testamento.
Makarismo denota declaração de bem-aventurança, felicitação; é encontrado em Gálatas 4.5, os convertidos gálatas tinham considerado felizes quando ouviram e souberam do evangelhos de Paulo , ele lhes pergunta retoricamente o que tinha acontecido com o espírito que os tinha animado.

O Sermão

Entre os sermões proferidos por Cristo aos seus discípulos, o Sermão do Monte, como ficou conhecido, traduz de forma marcante e reveladora a essência e a natureza de sua doutrina.
Segundo, o evangelista Mateus, o Sermão do Monte foi proferido, o monte, e a postura física do pregador – como se assentasse (sendo que a pratica do tempo era que o Rabi ensinasse sentado).
As Beatitudes, também, não são primordialmente promessas individuais, mas uma descrição, do individuo. Não mostram ao homem como ser salvo, mas descrevem características por aquele que nasceu de novo.
Em seu mais longo sermão registrado, Jesus começou descrevendo as características que procurava em seus seguidores, chamou de bem-aventurados os que possuíam tais particularidades, por que Deus tem algo especial reservado para eles.
As bem-aventuranças contradizem o estilo o estilo de vida da sociedade. Na ultima, por exemplo, Jesus chega a afirmar que um esforço sério para ser justo está fadado a criar oposição. Mas, se a nossa meta é nos tornarmos parecidos com Jesus, o melhor, modelo de virtudes, as bem-aventuranças desafiarão diariamente o nosso modo de vida.
A primeira palavra da boca do Grande Mestre , no Novo Testamento é bem-aventurados, em contraste com ultimas palavras do Velho Testamento que ele ferirá a terra com maldição. Bem-aventurados quer dizer felizes ou alegres, indicando o transcendente o alvo do reino dos céus, o de chamar os homens para uma vida verdadeiramente feliz. Não é uma vida de alegria superficial, mas de gozo profundo e que perdura.
Neste capitulo nosso Salvador dá oito características da gente bem-aventurada, que para nos representam as principais graças do cristianismo.


1- Os pobres de espírito são bem-aventurados

Na palavra hebraica, pobre não era apenas a pessoa em desvantagem econômica, mas todos quantos, em sua necessidade apelam a Deus em busca de ajuda, Hill diz que são os humildes pobres que confiam na ajuda de Deus.
Os pobres de espírito, aqueles que têm a atitude humildade dependente, vulnerável das pessoas pobres, mesmo acontecendo de elas serem ricas.
A palavra grega para pobres, ptchos, possui tonalidade especial de extrema. Deriva de um verbo que significa rastejar ou agachar (a forma substantiva é usada para designar o mendigo, alguém em pobreza abjeta).
Certamente Cristo, ao dizer pobres de espíritos não se referia aos pobres de espiritualidade, não se referia aos que conhecem muito da intima comunhão com Deus.
Humildes de espírito, o oposto dos espíritos orgulhosos, aqueles que reconhecerem a sua pobreza nas coisas espirituais e permitiram que Cristo suprisse suas necessidades tornaram-se os herdeiros do reino dos céus.

2- Os que choram são bem-aventurados

Um sentimento de angustia por causa do pecado caracteriza o homem bem-aventurado. Mas o arrependimento genuíno concede conforto para o crente.
Os que choram não se referem apenas aqueles que têm passado por épocas difíceis, mas que entendem que todo o sofrimento neste mundo deriva da tendência humana destrutiva, pecaminosa a qual nos impele a agir como se Deus não existisse.
A segunda bem-aventurança nos leva ao quebrantamento, aqui a idéia não é o da autocomiseração em que o individuo se entrega a um estado de lamuria pela própria sorte.Não e o lamento natural por alguma perda, nem a tristeza egocêntrica e invejosa por não ter alcançado o que outros já tem.
Mas é quebrantar-se com tristeza segundo Deus, em razão de seus próprios pecados, bem como tomar para si o sofrimento pelos pecados, maldades e injustiças dos homens que não conhecem a Deus.

3- Os mansos são bem-aventurados

Nos sinóticos, a palavra mansa no grego é Praus.
A idéia dos carnais e que a mansidão é o mesmo que fraqueza, os que andam no Espírito sabem que as duas são opostas, Moises era o mais manso de toda a terra, ao mesmo tempo era um dos maiores lideres e legisladores de todo o tempo, tinha caráter tão inflexível como aço.
Cristo era manso, porem ao mesmo tempo demonstrou que era o Leão da tribo de Judá. A mansidão para com Deus consiste em aceitar todas as suas providencias, sem murmurar, sem mostrar mau humor e nem dar lugar a qualquer ato de oposição.
Só os humildes têm a capacidade de gozar a vida, todas aquelas coisas que provêem satisfação duradoura e genuína.

4- Os que sede e fome de justiça são bem-aventurados

Uma paixão profunda pela justiça, tal desejo é evidencia da insatisfação com o alcance espiritual atual.Por ansiarem por ver o triunfo final de Deus sobre o mal e seu reino plenamente estabelecidos, anseiam também por fazer eles próprios o que é justo e reto.Todos estes tem a crescente satisfação de saber que estão avançando e não bloqueando os propósitos de Deus.
Os súditos do Rei não são justificados por sua própria justiça, mas pela justiça que vem dos céus.
Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça porque serão fartos. Este é um dos mais importantes dos versículos do Sermão do Monte, o estado espiritual do cristão durante toda sua vida dependerá da sua fome e sede da presença de Deus, da Palavra, da comunhão com Cristo, da justiça e da volta do Senhor.

5- Os misericordiosos são bem-aventurados

A quinta bem-aventurança descreve os seguidores de Cristo como sendo misericordiosos, isto é, cheios de compaixão.
Por traz do termo grego esta a rica expressão hebraica hesed, bondade, ou amor persistente.
Misericórdia é o ato de ser compassivo com o próximo em seu estado de carência espiritual, moral e social.
Conta-se que certa mãe pediu ao imperador Napoleão que perdoasse seu filho da sentença de morte. O imperador respondeu que em vista de ser a segunda ofensa, a justiça requereria que o filho morresse. “Não peço justiça, mas sim misericórdia, disse a mãe”. O imperador insistiu: “Mas ele não merece misericórdia”.Exclamou a mãe: “mas não seria misericórdia se ele merecesse, e peço somente misericórdia”. O imperador respondeu: “Ora, mostrarei misericórdia” – o filho foi salvo.

6- Os limpos de coração são bem-aventurados

Aqueles cujo ser moral esta livre da contaminação do pecado, sem interesse ou lealdade divididos. A referencia primaria não é a pureza sexual, embora esta esteja mencionada em 5.28, mas a retidão, a pessoa ser liberta da tirania do eu devido. Motivos ulteriores dividem o coração. Escritores judeus entendiam que essa inclinação para esquizofrenia moral resulta de um yeser ou impulso mau. O que deus exige do que deseja subir ao santo monte do Senhor, senão que seja limpo de mãos e puro de coração. (Sl. 24..3-4).
A pureza genuína prove uma experiência imediata da presença e poder de Deus.O apostolo diz: “Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor”. (Heb.12.14).
Portanto, esta pureza só é verdadeira quando se realiza a partir a partir do âmago do individuo.(1 Ts. 5.23)

7- Os pacificadores são bem-aventurados.

Os pacificadores são aqueles que se reconciliaram , tem paz mediante a cruz(Rm 5.1), e agora se esforçam , mediante seu testemunho e sua vida , para levarem outras pessoas , inclusive os seus inimigos , à paz com Deus.
Assim como Deus é o “Deus da paz” (Heb. 13.20) e Cristo “O príncipe da paz” (Is. 9.6), os pacificadores no Reino serão reconhecidos como participantes da natureza devida, e serão devidamente honrados.
Os pacificadores são os que reconhecem a sua pobreza de espírito, os que choram em Sião, os mansos, os que têm fome e sede da justiça, os misericordiosos, os limpos de coração. Esses não somente promovem a paz em tudo que dizem, mas em tudo que fazem.
Aqueles que possuem as características das seis primeiras bem-aventurança, e assim exerceram enorme influencia para a paz entre os homens, serão chamados filhos de Deus. Se os pacificadores são bem-aventurados, ai daqueles que destroem a paz!
Na bíblia o termo paz abrange também o sentido de harmonia. Ora , o pecado, é a fonte de todas as mazelas , isto significa que o exercício da pacificação é uma qualidade de quem já removeu de seu coração , mediante ao sangue de Jesus , a causa dos males pessoais e pode , por isso mesmo , contribuir para que outros removam de suas vidas.


8- Aqueles que são perseguidos por causa da justiça são bem-aventurados

A das oito bem-aventuranças está repetida como o sonho de Faraó, por que é de difícil aceitação e porque a aplicação é certa. Parece incrível que os humildes que choram em Sião , os mansos, os misericordiosos , os limpos de coração , os pacificadores sejam odiados pela maioria dos homens.
Aqueles que são perseguidos sofrem simplesmente por sustentarem os padrões divinos de verdade, justiça e pureza, recusando ajustar-se ao paganismo ou a curva-se perante os ídolos que os homens erguem como substitutos de Deus.
Como Paulo alertou seu amigo Timóteo, todos os que querem viver piedosamente em Cristo Jesus serão perseguidos (2Tm 3.12) , mas a estes Jesus assegura que são cidadãos do único , permanente , o reino dos céus.
A bem-aventurança final tem que ver com os que sofrem perseguição porque mantêm na confissão de fé na vida as exigências de retidão impostas por Deus.
Insultos, oposição e mentiras devem ser esperadas pelos seguidores , quando isso acontecer, regozija-vos e alegrai-vos. O segundo verbo é composto por duas palavras gregas que significam “saltar excessivamente”.
O compromisso com o evangelho não admite outra opção. Não há como ser amigo do mundo e , ao mesmo tempo , agradar a Deus. Portanto , a possibilidade de o crente ser hostilizado por causa da fé é algo perfeitamente previsível na economia divina.
Quando estabelecer o reino messiânico , essas injustiças serão sanadas, e mesmo dentro desse reino a presença de homens com natureza pecadora tornarão possível, ainda que imediatamente julgado. Os profetas , videntes do velho testamento que profetizaram o reino e proclamaram seu caráter de justiça encontraram a mesma oposição.


n'Ele , em quem somos bem-aventurados,


Pr. Marcos Serafim Silva

Obras Consultas : Bíblia de Estudo Pentecostal
Lições Escola Bíblica Dominical – ano 2001
Dicionário Vine
Dicionário Ilustrado da Bíblia
Comentário Bíblico Moody – Volume
Comentário Bíblico Mattew Henry
Comentário Bíblico Mateus – R.S.V Tasker
Comentário Bíblico Mateus – Robert Mouce






Um comentário:

pastor guedes disse...

Prezado Pr. Marcos,

Que lindo estudo!

Eu andava sem tempo, mas quando sobrou um tempinho, o primeiro a visitar foi o seu. E que bênção foi me deparar com a beleza da explanação do sermão da montanha, que é tão rico e tão singular.

Parabéns pelo texto!!!

E um abraço do conservo Guedes
pastorguedes.blogspot.com