12 de jan de 2014

Celebrem com júbilo ao Senhor – Pontos essenciais do culto



Texto Salmo 100
Introdução
Estamos diante de um salmo de extraordinária beleza e ampla doxologia ao nosso Senhor. Como bem sabemos, os salmos eram o "hinário" do povo de Israel e por esse motivo devemos atentar para o fato de que qualquer letra inventada pelo homem que não seja totalmente coerente com o que o povo de Deus cantava, deve ser eliminada e rejeitada com não bíblica.
Um chamado duplo para o culto caracteriza este curto mais eloqüente hino de louvor. O salmo foi sem duvida usado como hino processional e parece que foi escrito com este propósito, os versículos fazem uma declaração concisa da doutrina do Judaísmo.
De acordo com o titulo o salmo 100 é um mizmôr I(e) thôdah, um salmo de ações de graças. A palavra mizmôr, normalmente traduzida como salmo vem do verbo zmr que quer dizer tocar musica, No contexto do Antigo Testamento e especialmente nos salmos, a palavra é usada para descrever o ato de tocar ou cantar musica para adorar a Deus.
É difícil determinar somente a luz do texto o contexto histórico deste hino, por que é um salmo de ação de graças a Deus, provavelmente foi cantado durante um culto que incluiu um sacrifício a Deus. A palavra I(e) thôdah, traduzida ação de graças pela NVI, pode se referir a um sacrifício de ação de graças oferecido no contexto de um culto. Levitico 7.11-15 trata da regulamentação da oferta da comunhão ou pacifica. Conforme este regulamento, o sacrifício de ofertas pacificas podia ser oferecido como oferta de ações de graças, neste caso, é possível que este salmo seja um dos hinos cantados durante a procissão religiosa que terminava com um sacrifício no altar do templo em Jerusalém.
A.W.Tozer disse que nossa perda do sentido de majestade veio a perda da adoração religiosa e da consciência da Presença divina.Perdemos nosso espírito de adoração e a capacidade de recolher-nos interiormente para nos encontrarmos com deus em silenciosa adoração... É impossível conservar sadias as nossa praticas morais sadias e nossas atitudes interiores enquanto nossa idéia de Deus for errônea e inadequada. Se quisermos trazer de volta o poder espiritual as nossas vidas , devemos começar a pensar em deus mais próximo como de fato ele está.

1-  Celebrai com adoração alegre –
Celebrai com jubilo – o jubilo se refere a um grito de alegria, tal como a aclamação que o povo leal oferece ao presidente quando ele aparece no meio de seus súditos.
Os adoradores em Israel faziam questão de uma religião cheia de jubilo; a alegria do Senhor é um dos aspectos mais marcantes dos Salmos, que é o hinário inspirado para o povo de Deus.
O Deus feliz deseja adoradores felizes. Que tipo de empregado você gostaria de ter: um emburrado ou aquele que faz o seu serviço cantando de alegria?O júbilo santo é uma Tônica espiritual. Shakespeare escreveu: “ O coração alegre está disposto o dia inteiro, mas o coração triste se cansa no primeiro quilometro”.
Um antigo provérbio chinês declara: “Aquele que cuida duma venda precisa sorrir”. O mesmo se pode dizer daqueles que fazem promoção de venda do Evangelho que nada custa ao povo, mas que vale mais do que qualquer mercadoria humana.
A palavra celebrar no dicionário de língua portuguesa significa (lat celebrare) vtd 1 Realizar com solenidade. 2 Comemorar, festejar. 3 Publicar com louvor; exaltar. 4 Dizer missas. 5 Executar o que é exigido (como dar assinatura), para conferir validade; lamentavelmente em muitas igrejas esta palavra perdeu o real sentido , ou há um exagero exacerbado; ou há uma monotonia descomunal.

2- Celebrai o culto com cânticos
“Apresentai-vos diante dele com cânticos”. O cristão é aquele que mais tem direito de cantar do que qualquer outra pessoa no mundo, porque a religião que você tem como crente em Cristo é a mais alegre que existe. O Novo Testamento começa com o júbilo dos anjos que anunciam o nascimento de Cristo e termina com a descrição das incontáveis multidões cantando aleluias Àquele que venceu o pecado, a morte e o Diabo. O Cristianismo é uma religião de cânticos porque é a religião do júbilo, e este júbilo surge da mensagem da salvação baseada na obra completa e irrevogável de Cristo. O maometismo não possui cânticos; o budismo nunca teve hinos de louvor, embora tenha começado recentemente a copiar os hinos cristãos, colocando o nome de Buda, onde o texto menciona Cristo. Qual é a base da canção dos fieis? O salmo 40.1-2 diz: “Tirou-me dum lago horrível, dum charco de lodo, pôs os meus pés sobre uma rocha, firmou os meus passos.
E pôs um novo cântico na minha boca, um hino ao nosso Deus; muitos o verão, e temerão, e confiarão no Senhor.
O que estamos vendo hoje é muitos ditos louvores da Deus, carregados de mensagens triunfalistas, deixando o nome de Cristo para a ultima linha, e em muitos casos sequer mencionando seu Nome. Hodiernamente em raras exceções faz-se louvor sem pensar primeiro no lucro e na vendagem de cd‘s e DVDs, puramente comercial, sem atentar para o Autor da vida.
“O único meio pelo qual nos é possível alimentar-nos de Cristo; é mediante a palavra de Deus. Simplesmente estudar a Bíblia de um ponto de vista intelectual a fim de conhecê-la não é alimentar-nos dele; e mais ainda, tal estudo não é suficiente. Por outro lado, é impossível tentarmos conhecer a Cristo e alimentar-nos dele sem a Bíblia, porque Deus ordenou que ela fosse o veiculo de sua comunicação com o homem. (G.Campbell Morgan, This was his faith).

3- Celebrai todas as terras      
O culto de alcance mundial, a chamada é endereçada a todas as terras. Profeticamente, o salmista se refere a um período durante o qual não somente os judeus antigos, mas pessoas de todas as raças adorarão a Deus. Com a vinda de Cristo, o Messias prometido ao povo judeu passa a ser o Salvador de todos os que creem, e nisto já não há mais distinção entre judeu ou grego, bárbaro ou civilizado, homem ou mulher.
O que fica claro é que nenhuma denominação tem o manual correto de adoração a Deus, embora muitos queiram se rotular como sendo os melhores , os verdadeiros adoradores mesmo , adoram ao Pai em espírito e em verdade.
“Jesus não pertence ao grupo dos grandes do mundo.Fale se quiser, de Alexandre o Grande, de Carlos o Grande; e de Napoleão o Grande...Jesus está separado. Ele não é o Grande; Ele é o Único. Ele simplesmente Jesus.Nada se pode acrescentar a isso. (Carnegie Simpson , em Basic Christianity)

4 – Celebrai um culto com gratidão              
“Entrai por suas portas com ações de graça, e nos seus átrios com hinos de louvor; rendei-lhe graças e bendizei-lhe o nome”. Você poderá cair no erro de sempre ir cantando em tom menor algum triste lamento fúnebre na presença de Deus; o habito certo que Deus quer para você é que sempre procure algum motivo de cantar louvores alegres a Ele. Você pode achar motivo de gratidão a Deus em todas as circunstancias da sua vida. Paulo ao escrever aos Romanos 8.28 diz: “E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito.
Uma atitude de gratidão para Deus é um importante meio de graça. Foi justamente a falta de gratidão e louvor a Deus que formou o primeiro grande passo na apostasia total das nações pagãs.  
Um homem de Deus dos século dezenove destaca-se como um troféu da graça de Deus. O Salvador encontrou a Billy Bray. Em virtude do amor de Deus derramado na alma de Billy, ele disse : “ Não posso deixar de louvar ao Senhor.”
Billy era ébrio. Ele acostumava passar as noites bebendo. Tinha pavor de deitar-se porque temia acordar no inferno.Certa vez um amigo referiu-se a ele nestes termos: “ Ele era o mais selvagem, mais atrevido e implacável de todos os homens implacáveis e atrevidos”. Depois que Jesus salvou Billy deste tipo de vida ; Billy não se desgrudava de dois companheiros constantes : A Bíblia e o hinário. Ele se apaixonou pelo Salvador.Não podendo deixar de adorá-lo.
Billy Bray foi um homem simples que atendeu ao apelo de Deus.Pela graça de Deus foi transformado de rebelde em adorador. O chamado de Deus não mudou porque o Único digno de nossa adoração não mudou. Se alguma vez quisermos descobrir a alegria da adoração que Billy Bray experimentou, devemos curvar-nos diante de Jesus, o Cordeiro de Deus.Ele nos limpará de nossos pecados e nos introduzirá na presença de Deus.
Então, humildemente, o adoremos de todo nosso coração, dizendo : “Tu és digno!”

Conclusão
Muitas pessoas confundem o louvor com ações de graças; nas orações de gratidão, narramos àquilo que Deus fez por nós; e Seus dons ficam ainda mais preciosos quando reconhecemos que eles são a prova do amor individual que Deus dedica a cada um de nós, trazendo à memória a Pessoa do Doador, assim como um anel pode será a lembrança dalgum ente querido longínquo. O louvor, no entanto, é um exercício ainda mais sublime da alma piedosa, narra aquilo que Deus é; a relação entre as ações de graças e louvor é a mesma que há entre a oração e a intercessão; “Gloria nas altura”; o louvor dá graças a Deus por aquilo que Ele é. Fica silencioso no intimo da nossa alma, porquanto a forma mais sublime de culto é curvar nosso próprio ser diante de Deus e ficar a contemplá-lo em admiração e adoração.
“Se me inclinar diante de Deus em meu altar interior, então estarei em contato com o eterno e imutável poder de Deus...Oh! quem dera dedicássemos tempo para nos reunirmo-nos com Ele neste intimo altar, de sorte que pudéssemos experimentar em plena realidade a presença deste Jesus Todo-Poderoso! Que bem-aventurança teríamos mediante a fé!Uma comunhão não interrompida com Senhor Onipresente e Todo-Poderoso.” (Andrew Murray -  The Prayer Life)                 
      
                  
Vinde, celebremos ao Senhor!

Pr. Marcos Serafim Silva

Notas:
The Wycliffe Bible Commentary
Pearlman,Myer – Ouro para te enriquecer – Salmos   
http://2timoteo316.blogspot.com.br
Tippit, Sammy- Digno de Adoração  




Um comentário:

Marcello de Oliveira disse...

PAZ!

Desejo ao irmão e toda família, um FELIZ 2014 c/ as mais copiosas bençãos do ETERNO.

2 Co 2.14

Pr Marcello