6 de jul de 2013

Reflexão : Entre a vida,morte e legado




Reflexão: Entre a vida, morte e legado

Vida e morte estão muito próximas. Se não há vida, não há morte. Nascimento é o primeiro passo para morte.
Nunca é fácil lidar com a perda de seus antecessores. É natural sentir-se só no mundo ou, pelo menos, incompleto, carecendo de alguma parte de si mesmo. Quando o mestre parte resta ao aprendiz assumir as lições e difundi-las, não sem as marcas de seu estilo.
Todos nós independentemente de classe social, credo religioso, raça, estamos fatidicamente destinados à descermos a sepultura, e neste caso não adianta nada jeitinho brasileiro , ou de qualquer nacionalidade, certamente morremos.
O salmista Moises no salmo 90 reflete sobre a vida e morte dizendo:- “Os dias da nossa vida chegam á setenta anos, e se alguns, pela sua robustez, chegam a oitenta anos, o orgulho deles é canseira e enfado, pois cedo se corta e vamos voando.” Moisés canta a fragilidade do homem e a brevidade da vida, contrastando com isso a eternidade de Deus, e fazendo apelos sinceros por compaixão. A única divisão que será útil separa a contemplação em Sl 90.1-11 de Sl 90.12-17. Não há necessidade nem dessa quebra, porque a unidade é bem preservada em todo o salmo.
O primeiro homem foi criado à imagem de Deus. Se fosse obedecida à vontade de Deus, este teria sido imortal. Ele teria passado por anos de existência infinita de eternidade em eternidade, sem deterioração e declínio. A passagem do tempo teria trazido maturidade para níveis mais elevados de satisfação e alegria. Se a sua existência tivesse permanecido com propósito e glória. Com a vinda do pecado, tudo estava perdido, e a existência do homem tomou um rumo trágico e distorcido para além do que se pode compreender. O homem tornou-se um ser mortal de curta duração, fraco e inútil. Ele agora vive sua vida até que envelheça e volte ao  pó de onde veio.
Tiago deixa-nos também algo sobre a brevidade da vida dizendo: “Digo-vos que não sabeis o que acontecerá amanhã. Porque, que é a vossa vida? É um vapor que aparece por um pouco, e depois se desvanece.”
O tempo passa rápido demais e a vida é muito curta, como vivemos agora vai definir o que deixaremos de legado posteriormente. Por gostarmos e amarmos algumas pessoas pensamos que elas serão eternas, mas, isso não é verdade, o tempo de nascer,crescer , envelhecer e morrer é para todos, voltaremos ao pó de onde fomos formados.
Como é fato... a vida passa rápido demais , não deveríamos perder tempo com coisas fúteis , sem valor , sem expressão , sem realmente agregar coisas boas.É certo que temos que nos preocupar com o que é eterno...ou seja a palavra do eterno Deus, e com suas verdades, e a palavra de Deus no orienta que : “Quanto ao homem, os seus dias são como a erva, como a flor do campo assim floresce. Passando por ela o vento, logo se vai, e o seu lugar não será mais conhecido”. (Salmo 103.15-16).
 Marcus Tullius Cícero visto como sendo uma das mentes mais versáteis da Roma antiga disse: “Embora seja curta a vida que nos é dada pela natureza, é eterna a memória de uma vida bem empregada”.
Que legado que deixaremos para gerações futura? Alguns deixarão um legado eterno, profícuo, seus escritos serão lidos, sua vida e obra serão lembradas na memória dos vivos. Leonardo da Vinci disse: “Que o teu trabalho seja perfeito para que, mesmo depois da tua morte, ele permaneça.
De vez em quando somos pegos de surpresa, pois a morte ceifou a vida de alguém que julgaríamos demoraria anos para ceifar, mas a vida e a morte estão na mão do Eterno que à da e tira a hora que lhe apraz, como diz sua palavra “O SENHOR é o que tira a vida e a dá; faz descer à sepultura e faz tornar a subir dela.”
A outorga da vida aos seres humanos é descrita como o resultado de um ato especial de Deus, para distingui-la da criação de todos os demais seres vivos. Deus comunicou de modo específico a vida e o fôlego ao primeiro homem, e assim evidenciou que a vida humana está num nível acima de todas as outras formas de vida, e que pertence a uma categoria à parte, e há uma relação ímpar entre a vida divina e a humana. Deus é a fonte suprema da vida humana.
Causa surpresa para nós quando alguns deixam de serem contados entre os vivos por sua importância entre nós e por seu conhecimento, maturidade, hombridade, lealdade e afins, e passa a ser contado entre os mortos. Ícones estão partindo para a eternidade, homens que deixarão um legado profícuo, para gerações posteriores, mas, o que receio é se essa nova geração vai se ater-se aos mesmos princípios que seus mentores, ou deixarão a soberba e o despreparo tomarem conta, principalmente em se tratando de igreja.
 A sentença que o homem morrerá fora dada ainda no Éden: “E o Senhor Deus lhe deu esta ordem: De toda árvore do jardim comerás livremente, mas da árvore do conhecimento do bem e do mal não comerás; porque, no dia em que dela comeres, certamente morrerás.”.
Quais legado as gerações posteriores terão? Isso dependerá do que estamos fazendo hoje, pois, refletirá no amanhã, pois o sábio diz: “ Tudo quanto te vier à mão para fazer , faze-o conforme tuas forças, porque na sepultura , para onde tu vais, não há obra nem projeto,nem conhecimento, nem sabedoria alguma.”.O que deixa claro é que todos morremos e que nenhum conhecimento será levado além tumulo e nem sabedoria alguma!
O final de todo homem já esta definido, a morte é certa! Pense nisso!

No Eterno,

           
Marcos Serafim Silva

Um comentário:

Anônimo disse...

A paz do senhor Jesus Cristo...
meu amigo, o que seria a vida do homem sem a sombra da morte? A unica coisa que ainda faz muito homens temerem é ela a "morte". Do pecado muitos já não tem medo, mas da "morte " muito lutam contra ela e tentam driblar-lá mas sabemos que isso é inevitavel. Belo post, que Deus continue a usa-lo grandemente para edificar nossas vidas atravez da palavra de Deus... Seu amigo de sempre Gesanias de Oliveira...